anafilaxia

anafilaxia | s. f.
a·na·fi·la·xi·a |cs| a·na·fi·la·xi·a |cs|
nome feminino

[Medicina]   [Medicina]   Aumento violento da sensibilidade do organismo para um antígeno a que já foi exposro anteriormente.


substantivo feminino [Medicina] Aumento da sensibilidade do organismo diante de determinada substância, provocado pela aplicação prévia (injeção ou ingestão) de uma dose, embora mínima, dessa substância.


Anafilaxia é uma reação alérgica grave e de rápida progressão que pode provocar a morte. Geralmente causa um ou mais dos seguintes sintomas: eritema pruriginoso, inflamação da garganta ou da língua, falta de ar, vómitos, atordoamento e diminuição da pressão arterial. Os sintomas geralmente manifestam-se no prazo de minutos ou horas.Entre as causas mais comuns estão picadas e mordeduras de insetos e determinados alimentos ou medicamentos. Entre outras possíveis causas estão o exercício físico e a exposição ao látex, sendo possível que ocorram casos sem uma razão aparente. O mecanismo envolve a libertação de mediadores a partir de determinados tipos de leucócitos, desencadeada por mecanismos quer imunitários, quer não imunitários. O diagnóstico tem por base os sinais e sintomas apresentados após a exposição ao potencial alergénio.O principal tratamento da anafilaxia é a injeção intramuscular de adrenalina, administração de soro e deitar a pessoa em posição horizontal. Podem ser necessárias doses adicionais de adrenalina. Outras medidas, como a administração de anti-histamínicos e corticosteroides, são complementares. Para pessoas com historial de anafilaxia, geralmente recomenda-se que transportem consigo um autoinjetor de adrenalina e identificação relativa à condição.Estima-se que entre 0,05% a 2% da população mundial tenha experienciado anafilaxia em determinado momento da vida. A prevalência aparenta estar a aumentar. Ocorre com maior frequência em jovens e mulheres. Nos Estados Unidos, cerca de 0,3% das pessoas que se dirigem a um hospital com um choque anafilático morrem.




Deixe um comentário