apoteose

apoteose | s. f.
a·po·te·o·se |ó| a·po·te·o·se |ó|
(latim apotheosis, -is, do grego apothéosis, deificação )
nome feminino

1. Glorificação.

2. Homenagem grandiosa.

3. Cena final das mágicas espectaculares .


substantivo feminino Ação de incluir entre os deuses; deificação.
[História] Cerimônia de deificação dos imperadores e heróis, depois de sua morte.
[Por Extensão] Honras extraordinárias concedidas a alguém.
Elevação à glória eterna; glorificação, exaltação.
[Teatro] Cena final nas peças alegóricas ou fantásticas, em que as personagens estão representadas numa espécie de glória celeste.
[Por Extensão] O ponto mais importante de uma situação, acontecimento, ação; ápice.
[Figurado] Luzes excessivas; resplendor, brilho.
Etimologia (origem da palavra apoteose). Do grego apothéosis; pelo francês apothéose, deidificação.


A apoteose consiste em elevar alguém ao estatuto de divindade, ou seja, endeusar ou deificar uma pessoa devido a alguma circunstância excepcional. No mundo antigo esta circunstância era geralmente considerada para os heróis.
Por extensão, utiliza-se o termo apoteose quando se atribui exageradamente a alguém honrarias ou qualidades. No teatro, a apoteose corresponde ao ponto final de uma cena que decorre de maneira espectacular.
O termo apoteose remete para o tema da divindade e tem duas acepções principais: uma ligada à civilização romana ou civilizações anteriores, e outra que constituiu o seu prolongamento para o domínio da história da arte.
Para as religiões de mistérios da antiguidade, apoteose constituía o momento ritualístico da união com divino (Uno), ou mesmo, “tornar-se deus”.


Deixe um comentário