arrependimento

arrependimento | s. m. derivação masc. sing. de arrepender
ar·re·pen·di·men·to
substantivo masculino

1. Acto de arrepender-se.

2. Contrição.
ar·re·pen·der |ê| ar·re·pen·der |ê| – Conjugar
(latim *[ar]repoenitere, de poeniteo, -ere, não estar satisfeito com, estar descontente com, ter pesar de )
verbo pronominal

1. Lamentar ou ter pena por alguma coisa feita ou dita ou não feita ou não dita.

2. Mudar de intenção ou de ideia .

3. Desdizer-se.

4. Mudar de aspecto , ameaçando chuva.Nota: usa-se apenas como verbo pronominal.


substantivo masculino Ação ou efeito de arrepender-se.
Remorso ou mágoa por se ter cometido um mal; contrição: era o arrependimento por ter cometido aquele crime que o atormentava.
Ação de mudar de opinião ou de comportamento em relação ao que já aconteceu: o arrependimento de não ter viajado.
[Jurídico] Capacidade designada às partes contratantes capaz de fazer com que as mesmas consigam anular um contrato já celebrado.
[Religião] Judaísmo e Cristianismo. Sentimento de contrição ou rejeição, demonstrado pelo pecador, em relação aos seus pecados, fazendo com este pratique o bem para conseguir sua remissão.
Etimologia (origem da palavra arrependimento). Arrepend(er-se) + imento.


Arrependimento é uma reação emocional para atos passados ​​pessoais e comportamentais. Arrependimento é muitas das vezes expressado pelo termo “desculpa”.
A palavra arrependimento é de origem grega (μετάνοια , metanoia ) e significa conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos, caráter, trabalho, geralmente conotando uma evolução. Então arrependimento quer dizer mudança de atitude, ou seja, atitude contrária, ou oposta, àquela tomada anteriormente em determinado assunto específico.Diferentemente do remorso, em que a pessoa que o sofre não se sensibilizou verdadeiramente do mal que possa haver causado a outros, e que, pensando apenas no próprio bem, é capaz até de infligir a si mesmo algum tipo de castigo (como uma auto-flagelação por exemplo) apenas para tentar se esquivar de sofrer uma punição ainda mais severa por causa do erro que cometeu (punição que pode realmente, ou não, vir a penar), o arrependido verdadeiramente percebe e se sensibiliza das conseqüências ruins que seus atos causaram para outras pessoas (ou o mal que acredite haver causado a algum ser/entidade sobrenatural em que creia).
Essa sensibilização à dor alheia leva o arrependido a uma tristeza verdadeira pelo dano sofrido pelos que prejudicou. E, como consequência, sempre faz o arrependido tomar uma firme decisão de não mais cometer o mesmo erro, para não mais causar mal a outros. O arrependimento pode assim, também, ser considerado como a dor sentida por causa da dor causada.




Deixe um comentário