campainha

campainha | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de campainhar 2ª pess. sing. imp. de campainhar
cam·pa·i·nha |a-í| cam·pa·i·nha |a-í|
(campa + -inha )
nome feminino

1. Pequeno sino de mão. = SINETA, TINTINÁBULO

2. Dispositivo acústico de chamada ou de alarme, accionado de forma eléctrica ou mecânica.

3. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Ornato dórico em forma de sineta.

4. [Informal]   [Informal]   Apêndice carnudo, móvel e contráctil , em forma de bago de uva, que pende do véu palatino, à entrada da garganta. = ÚVULA

5. [Informal, Figurado]   [Informal, Figurado]   Pessoa que divulga tudo o que ouve.

6. [Botânica]   [Botânica]   Designação comum a várias plantas da família das campanuláceas. = CAMPÂNULA

7. Flor dessas plantas. = CAMPÂNULA
cam·pa·i·nha·r |a-í| cam·pa·i·nha·r |a-í| – Conjugar
(campainha + -ar )
verbo intransitivo

Fazer tocar uma campainha.


substantivo feminino Dispositivo conectado a portões ou portas que, emitindo um som, avisa quem está no interior da existência de alguém do lado de fora, querendo entrar.
Alarme; dispositivo sonoro conectado a despertadores, telefones utilizado para acordar alguém ou chamar a atenção dessa pessoa.
Sineta; pequeno sino de mão.
[Figurado] Quem não guarda segredo; pessoa que fala tudo aquilo que ouve.
[Anatomia] Úvula; nome comum de algumas massas carnosas que, no corpo humano, se apresentam dependuradas; apêndice em forma de cone do véu palatino, situado na parte posterior da boca.
[Botânica] Designação comum a várias plantas da família das campanuláceas, geralmente usadas como plantas ornamentais.
Etimologia (origem da palavra campainha). Campa + inha.


Uma campainha elétrica é um dispositivo constituído por um interruptor, um eletroíman, uma armadura, um martelo, uma campânula e um gerador de corrente contínua ou alterna.
O interruptor do circuito utilizado neste tipo de campainhas foi inventado em 1837 por Johann Philipp Wagner e conhece-se também pelo nome de martelo de Wagner.
O funcionamento de uma campainha elétrica baseia-se numa peça fundamental: o eletroíman.
Assim, ao ligar-se o interruptor, a corrente que passa no circuito faz com que o eletroíman adquira propriedades magnéticas atraindo a armadura e arraste com ela um martelo de mola que bate numa caixa metálica em forma de sino ou semiesfera, fazendo-a ressoar.
No momento do choque o eletroíman deixa de ter propriedades magnéticas e a armadura volta à sua posição inicial estabelecendo-se novamente o circuito.
Este processo repete-se rapidamente e ouve-se a campainha tocar até que seja desligado o interruptor.
Nalguns casos, quando se usa corrente alterna existem duas caixas metálicas ressoadoras e o martelo bate alternadamente em cada uma delas.




Deixe um comentário