O que é osteopenia?

A palavra osteopenia possui uma classificação gramatical como sendo um substantivo feminino. Ademais, referida palavra possui 10 letras, dentre elas vogais e consoantes. As vogais são: o, e, i, a, já as consoantes são: s, t, p, n. Por outro lado, dita palavra pode ser escrita de outro modo, ou seja, ao contrário, ficando assim: ainepoetso. Além disso, dita palavra como sendo uma doença no osso.Significado de osteopenia

A osteopenia é uma diminuição na densidade mineral óssea, o que pode ser uma condição precursora da osteoporose. No entanto, nem todas as pessoas diagnosticadas com osteopenia irão desenvolver osteoporose. Mais especificamente a osteopenia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como inferior a -1,0 e maior do que -2,5, pontuação T determinada pelo teste de densitometria. A escala T refere-se à densidade média do osso de pessoas saudáveis do mesmo sexo e 20 anos de idade. A osteopenia é uma situação epidemiológica teórica e conceitual, em que a densidade mineral óssea não é normal nem osteoporótica. A intenção original da OMS para criar esta definição densitométrica da foi aplicar apenas para fazer uma classificação a partir de um ponto de vista epidemiológico, não usá-la na prática clínica. No entanto, ela estendeu seu uso na prática clínica habitual.

Esta definição circunstância um “limítrofe” e com isso cria muitos problemas. Por um lado, porque na consulta é muito comum preocupados pacientes atendidos com esse diagnóstico de osteopenia, um fato que pode ser normal em certas idades. Ou, de outra forma, não pode ser avaliado, porque o risco de fraturas em pacientes existe. O risco de fratura não é determinado apenas pela massa óssea, mas outros fatores predisponentes (idade, tratamentos, doenças anteriores, antecedentes pessoais e familiares, etc.) podem ter o mesmo ou maior potência da incidência de fraturas sobre o assunto, ou seja, o doente sem baixa massa óssea está propenso a sofrer de tão doença. Por exemplo, num estudo realizado no Brasil 48% das fraturas em ocorreu em mulheres pós-menopáusicas, ao passo que 44% destas fraturas ocorreram em pessoas com critérios densitométricos de osteoporose. Classificação: Abordar as causas que produzem a perda óssea, ela é classificada como primária, involução e secundaria.

Primária ou involução: É o tipo mais comum. Este diagnóstico é estabelecido quando, após avaliar o paciente, a causa não é a causa. Por sua vez, podem ser categorizados como juvenil, da menopausa, relacionada com a idade e idiopática.

Secundário: Perda de massa óssea considerada secundária quando causada por outra doença ou uso de drogas no particular.

Etiologia: Os ossos são submetidos a remodelação contínua através de processos de formação e reabsorção, também servem como um reservatório de cálcio no corpo. A partir de 35 anos, a perda de massa óssea começa. Doenças múltiplas ou estilo de vida sedentário pode aumentar a perda óssea levando à osteopenia ou osteoporose em idade precoce.

Os três principais mecanismos que causam a perda óssea são:

A falta de massa durante o crescimento.

Reabsorção óssea excessiva mediada por osteoclastos.

Neoformação óssea inadequada pelos osteoblastos durante o processo contínuo de renovação óssea.Sinônimos de osteopenia

São sinônimos de osteopeniaa as seguintes palavras: doença dos ossosAntônimos de osteopenia

São antônimos de osteopenia as seguintes palavras:Exemplos de usos e frases

A osteopenia é uma grave problema que afetam mulheres pós-menopausa.

Após ser diagnosticada com osteopenia, a paciente ficou suscetível à fraturas em ossos longos, ocasionando incapacidade, sendo necessária a reabilitação.

A osteopenia é uma queda na densidade de massa óssea, caracterizando perda da parte cortical esponjosa óssea.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *