cornucópia

cornucópia | s. f.
cor·nu·có·pi·a
(latim cornu copia, corno da abundância de cornu, -us, corno, chifre + copia, -ae, abundância, riqueza )
nome feminino

1. Vaso em forma de chifre que se representa cheio de frutos e flores e que é símbolo da agricultura e do comércio.

2. Fonte de abundância.

3. [Culinária]   [Culinária]   Bolo de massa folhada, com formato de um chifre, geralmente com recheio de creme doce. = CARAMUJO


substantivo feminino Corno da abundância, símbolo da produtividade da natureza.
Na mitologia grega, há duas histórias sobre sua origem. Em uma, Hércules e um deus fluvial tiveram uma disputa. Quando o rio assumiu a forma de um touro, Hércules arrancou um de seus cornos e o encheu de flores para a deusa da abundância. Segundo outro relato, o menino Zeus teria se alimentado com o leite de uma cabra. Zeus deu um dos cornos da cabra para suas amas, como uma lembrança por seus cuidados. O corno era capaz de se encher de qualquer coisa que seu dono desejasse.


Cornucópia é um símbolo representativo de fertilidade, riqueza e abundância. Na mitologia greco-romana era representada por um vaso em forma de chifre, com uma abundância de frutas e flores se espalhando dele. Hoje, simboliza a agricultura e o comércio, além de compor o símbolo das ciências econômicas.
O seu significado provém da cabra Amalteia que na mitologia greco-romana amamentou Zeus/Júpiter enquanto criança.
Atualmente essa palavra é utilizada como sinônimo de abundância, porém está sendo esquecida por seu estilo rebuscado e antigo.




Deixe um comentário