corrupção

corrupção | s. f.
cor·rup·ção
(latim corruptio, -onis, deterioração, sedução, depravação )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de corromper ou de se corromper.

2. [Antigo]   [Antigo]   Deterioração física de uma substância ou de matéria orgânica, por apodrecimento ou oxidação (ex.: após vários meses no mar, a corrupção dos mantimentos era inevitável). = DECOMPOSIÇÃO,PUTREFACÇÃO , PUTRESCÊNCIA

3. Alteração do estado ou das características originais de algo. = ADULTERAÇÃO

4. Comportamento desonesto, fraudulento ou ilegal que implica a troca de dinheiro, valores ou serviços em proveito próprio (ex.: os suspeitos foram detidos por alegada corrupção e desvio de fundos).

5. [Figurado]   [Figurado]   Degradação moral (ex.: corrupção de valores). = DEPRAVAÇÃO, PERVERSÃO

6. Sedução (ex.: o réu foi condenado pela corrupção de pessoa menor de 14 anos).

corrupção de menores • Crime que consiste na sedução de um indivíduo menor de idade ou no seu aliciamento para práticas pornográficas ou de prostituição.


substantivo feminino Ação ou efeito de corromper, de adulterar o conteúdo original de algo.
Ação ou resultado de subornar, de oferecer dinheiro a uma ou várias pessoas, buscando obter algo em benefício próprio ou em nome de uma outra pessoa; suborno.
Utilização de recursos que, para ter acesso a informações confidenciais, podem ser usados em benefício próprio.
Alteração das propriedades originais de alguma coisa: corrupção de um livro.
Ação de decompor ou deteriorar; putrefação: corrupção das frutas.
Desvirtuamento de hábitos; devassidão de costumes; devassidão.
Etimologia (origem da palavra corrupção). Do latim corruptio.onis.


Corrupção ou corrompimento, em sentido lato, corresponde à ideia de decomposição. Na esfera das relações humanas em particular, está relacionado ao subornoː ato ou efeito de se corromper, oferecer algo para obter vantagem em negociata onde se favorece uma pessoa e se prejudica outra. Busca oferecer ou prometer vantagem indevida a qualquer pessoa, para determiná-lo a praticar, omitir ou retardar ato de ofício, conforme o artigo 333 do Código Penal brasileiro de 1940.Segundo Calil Simão, é pressuposto necessário, para instalação da corrupção, a ausência de interesse ou compromisso com o bem comum. “A corrupção social ou estatal é caracterizada pela incapacidade moral dos cidadãos de assumir compromissos voltados ao bem comum. Vale dizer, os cidadãos mostram-se incapazes de fazer coisas que não lhes tragam uma gratificação pessoal”.
Entre os crimes contra a administração pública previstos no Código Penal Brasileiro, estão o exercício arbitrário ou abuso de poder, a falsificação de papéis públicos, a má-gestão praticada por administradores públicos, a apropriação indébita previdenciária, a lavagem ou ocultação de bens oriundos de corrupção, emprego irregular de verbas ou rendas públicas, contrabando ou descaminho, a corrupção ativa e passiva, entre outros.