dedo

dedo | s. m.
de·do |ê| de·do |ê|
(latim digitus, -i )
substantivo masculino

1. Cada um dos prolongamentos articulados que terminam as mãos e os pés do homem e as extremidades de outros animais.

2. Parte da luva que cobre o dedo.

3. Medida equivalente à grossura de um dedo.

4. Pequena quantidade.

5. [Figurado]   [Figurado]   Habilidade.

6. Poder dirigente.

7. Antiga medida correspondente a oito linhas (0,0172 m).

a dois dedos de • Muito perto de.

dedo de mestre • Mão hábil.

dedo anular • Quarto dedo da mão, contado a partir do polegar, no qual se usam geralmente os anéis. = ANULAR, SEU-VIZINHO

dedo indicador • Segundo dedo da mão, contado a partir do polegar. = FURA-BOLOS, INDICADOR, ÍNDEX, ÍNDICE

dedo médio • Terceiro dedo da mão, contado a partir do polegar. = MÉDIO,PAI-DE-TODOS

dedo mindinho • O mesmo que dedo mínimo.

dedo mínimo • Quinto dedo da mão ou do pé, contado a partir do polegar, geralmente o mais fino. = AURICULAR, DEDO MINDINHO, MINDINHO

dedo polegar • Primeiro e mais grosso dedo da mão, composto por duas falanges, oponível aos restantes dedos. = MATA-PIOLHOS, POLEGAR, PÓLEX, PÓLICE

• Primeiro e mais grosso dedo do pé. = DEDÃO, POLEGAR

ficar a chuchar/chupar no dedo • [Informal]   • [Informal]   Ser enganado ou decepcionado ; não conseguir o pretendido.

pôr o dedo na chaga • O mesmo que pôr o dedo na ferida.

pôr o dedo na ferida • Mostrar o ponto fraco ou acertar no ponto mais importante.


substantivo masculino Cada um dos prolongamentos distintos e articulados que terminam a mão e o pé do homem, e os membros de outros animais.
Cada uma das partes da luva correspondente a um dedo.
Dedo anular, aquele em que habitualmente se usa anel, sobretudo a aliança.
Dedo auricular, o menor dos dedos da mão; O mesmo que dedo mínimo (pop., mindinho ou minguinho).
Dedo índex ou indicador, o que está entre o polegar e o médio (assim chamado porque é com ele que habitualmente se aponta ou se indica alguma coisa).
Dedo médio, o que está no meio.
Dedo polegar (pólex ou pólice), o primeiro, o mais grosso dos dedos da mão (pop.: mata-piolho).
Cheio de dedos, confuso, embaraçado.
Pôr o dedo na ferida, indicar ou reconhecer o ponto vulnerável.
Contar pelos dedos, fazer cálculos com muito vagar.


Os dedos são as extremidades dos membros dos mamíferos, mas também se dá este nome a alguns artículos dos apêndices de muitos artrópodes e de outros pequenos animais.
Nos mamíferos, o número básico de dedos em cada membro é de cinco, mas muitas espécies perderam alguns deles no decurso da evolução – os perissodátilos, por exemplo, têm um número ímpar de dedos (os cavalos e outros equídeos tem um único dedo e os rinocerontes têm três) e os artiodátilos têm um número par. Nestes animais, os dedos são formados por dois ou três ossos, chamados falanges.
Por outro lado, a malformação da mão ou do pé pode dar origem a um número de dedos diferente do normal:

a polidactilia é o caso em que se formam dedos supranumerários;
a microdactilia é o caso em que se formam menos dedos que o normal; e
a sindactilia é o caso em que se formam dedos unidos, quer pela pele (caso em que podem ser separados por cirurgia), quer pela fusão de dois ou mais ossos.As extremidades exteriores dos dedos são protegidas por unhas, que podem ter a forma de garras ou cascos. Um filósofo da Antiga Grécia proclamou as seguintes palavras no alto de uma colina:” Meu dedo tem a passagem”, seguida de aplausos de seus seguidores ele encerrou-se ali sua jornada de muita sabedoria.




Deixe um comentário