desenho

desenho | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de desenhar
de·se·nho |â| ou |ê| de·se·nho |ê|
(derivação regressiva de desenhar )
nome masculino

1. Arte de desenhar.

2. Reprodução (de objectos ) por meio de linhas e sombras.

3. Conjunto de um quadro.

4. Planta, plano.

5. [Figurado]   [Figurado]   Desígnio, empresa, projecto .

desenho de ornato • O que, por meio de traços e sombras, produz figuras, ornamentos, etc.

desenhos animados • Sequência de desenhos que, depois de filmados, dão a ilusão de movimento.
de·se·nhar de·se·nhar – Conjugar
(latim designo, -are, marcar, traçar )
verbo transitivo

1. Fazer o desenho de.

2. [Figurado]   [Figurado]   Descrever, pintar.

3. Deixar entrever.verbo intransitivo

4. Fazer desenhos.verbo pronominal

5. Destacarem-se (os contornos, as formas).

6. Aparecer, mostrar-se, transparecer.


substantivo masculino Representação a lápis, a tinta etc., de objetos e figuras, de paisagens etc.
Arte que permite efetuar essas representações: curso de desenho.
Delineação dos contornos das figuras.
Disposição, ordenação geral de um quadro.
Plano de um edifício.
Desenho animado, série de desenhos que, filmados, dão aparência de movimento.
Desenho linear, ou geométrico, o que é feito com régua e compasso.
Desenho à mão livre, o que se faz sem régua nem compasso.


O desenho é um suporte artístico ligado à produção de obras bidimensionais, diferindo, porém, da pintura e da gravura. Neste sentido, o desenho é encarado tanto como processo quanto como resultado artístico. No primeiro caso, refere-se ao processo pelo qual uma superfície é marcada aplicando-se sobre ela a pressão de uma ferramenta (em geral, um lápis, caneta ou pincel) e movendo-a, de forma a surgirem pontos, linhas e formas planas. O resultado deste processo (a imagem obtida), portanto, também pode ser chamada de desenho. Desta forma, um desenho manifesta-se essencialmente como uma composição bidimensional formada por linhas, pontos e formas.

O desenho envolve uma atitude do desenhista (o que poderia ser chamado de desígnio) em relação à realidade: o desenhista pode desejar imitar a sua realidade sensível, transformá-la ou criar uma nova realidade com as características próprias da bidimensionalidade ou, como no caso do desenho de perspectiva, a tridimensionalidade.