deserto

deserto | adj. | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de desertar
de·ser·to |é| de·ser·to |é|
(latim desertus, -a, -um )
adjectivo adjetivo

1. Ermo, despovoado, solitário.

2. Pouco frequentado .

3. [Direito]   [Direito]   Não reclamado (pelo recorrente, para seguir seus termos) no prazo legal.

4. [Direito]   [Direito]   Ao qual não se apresentou nenhum concorrente ou candidato (ex.: concurso deserto).

5. [Informal]   [Informal]   Impaciente, desejoso (ex.: estava deserta para se ir embora).substantivo masculino

6. Lugar estéril e desabitado.

7. [Figurado]   [Figurado]   Lugar pouco frequentado .

pregar no deserto • Perder tempo a dar conselhos a quem não presta atenção ou falar a quem não percebe ou quem despreza o que se lhe diz. = PREGAR AOS PEIXESConfrontar: decerto, diserto.

de·ser·tar de·ser·tar – Conjugar
(francês déserter )
verbo intransitivo

1. Deixar o serviço militar, sem licença e com ânimo de o abandonar de todo.

2. Ausentar-se, afastar-se.

3. Fugir (falando do cavalo).verbo transitivo

4. Desamparar.

5. Renunciar.

6. Despovoar, deixar deserto.

7. [Direito]   [Direito]   Desistir do recurso.


substantivo masculino Região árida, coberta por um manto de areia, com um índice anual de baixíssima precipitação de água, caracterizada pela escassez de vegetação, dias muito quentes, noites muito frias, e ventos muito fortes.
[Biologia] Bioma com essas características, definido pela falta de diversidade de flora e fauna, baixíssimo índice de precipitação de água, calor exagerado, dias quentes e noites frias etc.
Características dos lugares ermos, desabitados, sem pessoas.
Ausência completa de alguma coisa; solidão: minha vida é um deserto de alegria.
adjetivo Que é desabitado: ilha deserta.
Pouco frequentado; vazio: rua deserta.
De caráter solitário; abandonado.
expressão Pregar no deserto. Falar algo para alguém.
Etimologia (origem da palavra deserto). Do latim desertum.


Deserto, em geografia, é uma região que recebe pouca precipitação pluviométrica. Muitos desertos têm um índice pluviométrico anual abaixo de 400 mm. Como consequência são quentes e áridos, os desertos têm a reputação de serem capazes de sustentar pouca vida assim como na Antártida. Comparando-se com regiões mais úmidas isto pode ser verdade, porém, examinando-se mais detalhadamente, os desertos frequentemente abrigam uma riqueza de vida que normalmente permanece escondida (especialmente durante o dia) para conservar umidade.
Aproximadamente 20% da superfície continental da Terra é desértica. As paisagens desérticas têm alguns elementos em comum: o solo do deserto é principalmente composto de areia, com frequente formação de dunas. Paisagens de solo rochoso são típicas, e refletem o reduzido desenvolvimento do solo e a escassez de vegetação. As terras baixas podem ser planícies cobertas com sal. Os processos de erosão eólica (isto é, provocados pelo vento) são importantes fatores na formação de paisagens desérticas.
Os desertos algumas vezes contêm depósitos de minerais valiosos que foram formados no ambiente árido ou que foram expostos pela erosão. Por serem locais secos, os desertos são locais ideais para a preservação de artefatos humanos e fósseis. Sua vegetação é constituída por gramíneas e pequenos arbustos, é rala e espaçada, ocupando apenas lugares em que a pouca água existente pode se acumular (fendas do solo ou debaixo das rochas). As maiores regiões desérticas do globo situam-se na África (deserto do Saara) e na Ásia (deserto de Gobi).
A fauna predominante no deserto é composta por animais roedores (ratos-cangurus), por répteis (serpentes e lagartos), e por insetos. Os animais e plantas têm marcantes adaptações à falta de água. Muitos animais saem das tocas somente à noite, e outros podem passar a vida inteira sem beber água, extraindo-a do alimento que ingerem.