bookmark_borderO que é estático

estático | adj.
es·tá·ti·co
adjectivo adjetivo

1. Da estática ou a ela relativo.

2. Em estado de repouso (em oposição a dinâmico).

3. [Figurado]   [Figurado]   Imóvel, sem se mover, parado (como estátua)

movimento estático • A força aumentada pelo braço da alavanca.Confrontar: extático.


adjetivo Imóvel; falta de movimento; que não se consegue movimentar, mover; que está parado: carro estático; ficou estático após o assalto.
Paralisado; sem progresso, evolução, atividade: país estático.
[Física] Diz-se da propriedade ou do processo que está em equilíbrio, pela ação das forças.
[Linguística] Diz-se do aspecto cujo estado não apresenta alteração ou ação.
Etimologia (origem da palavra estático). Do grego statikos.é.ón.

bookmark_borderO que é basilar

basilar | adj. 2 g.
ba·si·lar
(francês basilaire )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. Que é ou serve de base ou fundamento. = BÁSICO, ESSENCIAL, FUNDAMENTAL

2. Que está situado na base ou forma a base de alguma coisa.

3. [Botânica]   [Botânica]   Que nasce ou se localiza na base de um órgão. = BASALConfrontar: bacilar.


adjetivo Fundamental; que pode ser utilizado como base ou nela tem origem.
Diz-se do que compõe uma base.
[Botânica] Que forma a base de um órgão vegetal.
Artéria basilar. Aquela formada pela junção das artérias cerebrais posteriores.
Vértebra basilar. A última vértebra que compõe a lombar.
Etimologia (origem da palavra basilar). Do francês basilaire.

bookmark_borderO que é punk

punk | s. m. | adj. 2 g. | adj. 2 g. s. 2 g.
punk |pânque|
(palavra inglesa )
nome masculino

1. Movimento de contestação e provocação cultural e social, sobretudo através da música, do vestuário, dos penteados e dos comportamentos, nascido nos anos 70 do século XX, na Grã-Bretanha.

2. Estilo musical associado a esse movimento.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

3. Relativo a esse movimento ou a essa música (ex.: cultura punk; estilo punk; movimento punk; música punk).adjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

4. Que ou quem é seguidor dessa movimento ou dessa música.Plural: punks. Plural: punks.


adjetivo Diz-se de um movimento musical e cultural surgido na Grã-Bretanha por volta de 1975 e cujos adeptos atraem as atenções sobre si com atitudes de provocação, contestação e escarninho diante de uma sociedade que julgam incapaz de trazer à sua juventude qualquer esperança (o que se resume em sua divisa no future, sem futuro).
Que tem traços desse movimento, que dele derivou: moda punk.
substantivo masculino e feminino Adepto(a) desse movimento.

bookmark_borderO que é vilancete

vilancete | s. m.
vi·lan·ce·te |ê| vi·lan·ce·te |ê|
nome masculino

[Versificação]   [Versificação]   Composição poética em verso de pequena medida, geralmente curta e de carácter campesino.


substantivo masculino Antiga composição poética de caráter campesino, constituída por um terceto (dito mote) glosado em duas ou mais oitavas (ditas voltas), cujo verso final repete integral ou parcialmente um dos versos do terceto.


Vilancete, vilancico ou vilhancico (em catalão: Villancet) era uma forma poética comum na Península Ibérica, na época da Renascença. Os vilancetes podiam também ser adaptados para música: muitos compositores ibéricos dos séculos XV e XVI, como Juan del Encina ou o português Pedro de Escobar compuseram vilancetes musicais.
Em Portugal vilancete aparece pela primeira vez no Cancioneiro Geral, antologia poética de Garcia de Resende (1516).
Este tipo de poema tem um mote – o início do poema que, na música, funciona como refrão – seguido de uma ou mais estrofes – as voltas, coplas ou glosas – cada uma com 7 versos. A diferença entre o vilancete e a cantiga depende do número de versos no mote: se houver 2 ou 3 é um vilancete, se houver 4 ou mais é uma cantiga.
Cada verso de um vilancete está normalmente dividido em cinco ou sete sílabas métricas (“medida velha”). Se o último verso do mote se repetir no fim da estrofe, diz-se que o vilancete é perfeito. Eis um exemplo de um vilancete, escrito por Luís de Camões:
(Mote:)

Enforquei minha Esperança;
Mas Amor foi tão madraço,
Que lhe cortou o baraço.(Volta:)

Foi a Esperança julgada
Por setença da Ventura
Que, pois me teve à pendura,
Que fosse dependurada:
Vem Cupido com a espada,
Corta-lhe cerce o baraço.
Cupido, foste madraço.Como se pode ver, o esquema rimático é: lllb,bbc, que era o mais comum.
O tema dos vilancetes era normalmente a saudade, o campo e os pastores, a ‘mulher perfeita’ e amor não-correspondido e consequente sofrimento. Os poetas ibéricos foram fortemente influenciados por Francesco Petrarca, um poeta italiano.


bookmark_borderO que é epigrafia

epigrafia | s. f.
e·pi·gra·fi·a
nome feminino

Estudo ou ciência das inscrições.


substantivo feminino Análise, conhecimento, estudo daquilo que compõe as epígrafes ou às inscrições antigas.
Paleografia. Ciência que se dedica ao estudo das inscrições lapidares (inscritas em pedras) situadas, geralmente, em monumentos antigos.
Etimologia (origem da palavra epigrafia). Epígrafe + ia.


Epigrafia (do grego επιγραφή; transl. epi-graphē “sobre-escrita”, lit. “inscrição”) é uma ciência auxiliar da história, na qual se estudam as inscrições antigas, ou “epígrafes”, gravadas em matérias sólidas (tais como a madeira, rocha, ossos, metal), visando obter a decifração, interpretação e classificação das inscrições.
Embora também estude os estilos epigráficos usados nas moedas e similares, na realidade o estudo especializado das inscrições ou lendas que aparecem sobre estas são matéria da numismática.
Ciríaco de Ancona (1391-1455) é considerado o fundador da epigrafia[carece de fontes?].


bookmark_borderO que é candeia

candeia | s. f. | adj. 2 g. | s. f. pl.
can·dei·a
(latim candela, -ae, círio, tocha, vela )
substantivo feminino

1. Vaso de metal ou de barro que se suspende por um gancho à parede.

2. Luz de candeia.

3. Amentilho (de algumas plantas).

4. Inflorescência do castanheiro.

5. Espécie de jarro (planta).

6. Arbusto do Brasil cuja lenha arde sem fumo e dá boa luz.

7. Nome de várias plantas rosáceas, resedáceas e de alguns líquenes.

8. [Antigo]   [Antigo]   Vela.

9. [Portugal: Madeira]   [Portugal: Madeira]   Vela dos moribundos.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

10. [Brasil]   [Brasil]   Elegante, casquilho, gracioso.
candeiassubstantivo feminino plural

11. A festa da Candelária.

estar de candeias às avessas com alguém • Estar de mal, zangado.


substantivo feminino Vaso suspenso por um gacho fixado à parede.
Candeeiro de óleo ou de cera ou vela de cera.
Lâmpada formada por um recipiente, com um bico pelo qual passa a extremidade de um pavio, que se enche com óleo para queimar.
[Botânica] Árvore brasileira, da família das compostas, largamente usada por sua madeira branca, resistente e resinosa e por suas flores com propriedades terapêuticas.
[Botânica] Planta carduácea, popularmente conhecida por candeeiro, pau-candeia e pau-de-candeia.
Etimologia (origem da palavra candeia). Do latim candela.ae, “vela”.


Antônio Candeia Filho. mais conhecido como Candeia (Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1935 — Rio de Janeiro, 16 de novembro de 1978), foi um sambista, cantor e compositor brasileiro.


bookmark_borderO que é sotaque

sotaque | s. m.
so·ta·que
(origem obscura )
nome masculino

1. Tom, inflexão ou pronúncia particular de cada indivíduo ou de cada região.

2. Dito picante ou mordaz. = REMOQUE


substantivo masculino Pronúncia própria de cada indivíduo, região ou nação: sotaque mineiro.
Pronúncia que alguém tem ao falar outro idioma, caracterizada pela influência de aspectos linguísticos da sua língua materna: falava inglês com sotaque.
Comentário que repreende, censura; motejo.
Dito repleto de atrevimento; gracejo.
[Religião] Verso cantado que, no candomblé, é direcionado a quem não é bem-vindo.
Etimologia (origem da palavra sotaque). De origem questionável.


Sotaque é uma maneira particular de determinado locutor pronunciar determinados fonemas em um idioma ou grupo de palavras. É a variante própria de uma região, classe ou grupo social, etnia, sexo, idade ou indivíduo, em qualquer grupo linguístico, e pode-se caraterizar por alterações de ritmo, entonação, ênfase ou distinção fonêmica. É também o nome usado para a pronúncia imperfeita de um idioma falado por um estrangeiro. A variação do sotaque não depende apenas da região mas também da forma e condição social em que a pessoa vive.


bookmark_borderO que é entorpecido

entorpecido | adj. masc. sing. part. pass. de entorpecer
en·tor·pe·ci·do
(particípio de entorpecer )
adjectivo adjetivo

Que se entorpeceu.
en·tor·pe·cer |ê| en·tor·pe·cer |ê| – Conjugar
(en- + torpecer )
verbo transitivo

1. Causar entorpecimento ou torpor.

2. Embotar.

3. Não deixar medrar ou desenvolver-se.

4. Retardar.verbo intransitivo e pronominal

5. Perder o vigor, a energia.


adjetivo Cheio de torpor, de uma sensação de desconforto definida pela redução da sensibilidade ou do movimento.
[Figurado] Sem ânimo, vontade e disposição; desanimado.
Que se tornou imobilizado; sem movimento; paralisado.
Desprovido de força, de vigor, de energia; enfraquecido.
Etimologia (origem da palavra entorpecido). Particípio de entorpecer.

bookmark_borderO que é dístico

dístico | adj. | s. m.
dís·ti·co
adjectivo adjetivo

1. Formado de duas séries opostas ao longo de um eixo comum.nome masculino

2. Poesia ou estância de dois versos.

3. Pensamento, frase expressa em dois versos.

4. Letreiro; rótulo.

5. [Heráldica]   [Heráldica]   Divisa do escudo.


substantivo masculino Frase, sentença ou conceito expresso em dois versos.
[Literatura] Estrofe que contém somente dois versos; parelha.
Inscrição com uma informação; letreiro, rótulo, divisa.
Imagem ou palavras que traz a informação sobre aquilo que ilustra.
Divisa de um escudo.
[Botânica] Órgão vegetal em que as partes que o formam estão dispostas em duas séries ou renqulegenes; disticado.
adjetivo [Botânica] Cujas partes que compõem um órgão vegetal estão dispostas em duas séries opostas; disticado.
Etimologia (origem da palavra dístico). Do grego distichos, pelo latim distichon.


Dístico (ou pareado) é um estilo de versejar em que as rimas se fazem em grupos ou estrofes de dois versos.