O que é aranha

aranha | s. f.
a·ra·nha
(latim aranea, -ae, aranha, teia de aranha, fio muito fino )
substantivo feminino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Animal articulado, de oito patas e sem asas, da classe dos aracnídeos .

2. Lustre de metal para poucas velas.

3. Armação de arame que sustenta a pantalha do candeeiro.

4. Armação de arame para suspender pratos.

5. Espécie de cabriolé descoberto.

6. [Enologia]   [Enologia]   Prensa de uvas, com cincho e gaiola, em que o fuso é fixo solidamente ao tabuleiro.

7. Peça que remata a cadeia do travão.

8. [Figurado]   [Figurado]   Pessoa sem expediente.

9. [Marinha]   [Marinha]   Certo reforço da vela.

10. Utensílio com rodas e assento usado para ajudar na locomoção de crianças que começaram recentemente a andar. = ANDARILHO

11. [Brasil, Calão]   [Brasil, Tabuísmo]   Conjunto das partes genitais femininas. = VULVA


substantivo feminino Animal articulado, com quatro pares de patas e abdome não segmentado. (Algumas espécies tecem teias, armadilhas para pequenos insetos, outras cavam tocas.) [Família dos aracnídeos.].
Lustre simples de ferro onde se metem velas.
Viatura puxada por um cavalo, para uma ou duas pessoas.
Pequena armação de arame onde repousa o quebra-luz. O mesmo que peixe-aranha, nome vulgar dos caranguejos do gênero Maia, muito espinhosos.


Araneae (grego: arachne; “aranha”) é uma ordem de artrópodes da classe Arachnida que inclui as espécies conhecidas pelos nomes comuns de aranhas ou aracnídeos. Tem distribuição natural em todos os continentes (com excepção da Antártida) e ocorrência em praticamente todos os tipos de habitats terrestres. Apresentam oito pernas e maioritariamente quelíceras que injetam veneno, diferenciando-se anatomicamente dos restantes artrópodes por um plano corporal (tagmose) caracterizado por dois tagmas, o cefalotórax e o abdómen, unidos por uma estrutura pequena e cilíndrica, o pedicelo. Ao contrário dos insectos, as aranhas não apresentam antenas e possuem um sistema nervoso bem desenvolvido e centralizado, o mais centralizado de entre os artrópodes. Produzem teias com grande variabilidade morfológica e de tamanho utilizando seda das aranhas, uma estrutura de base proteica que combina leveza, força e grande elasticidade, sendo em alguns destes aspectos superior aos melhores materiais sintéticos.
Há duas subordens: (1) Opisthothelae, a mais diversa e abundante, que agrupa os taxa Mygalomorphae (as caranguejeiras) e Araneomorphae (as aranhas modernas); e (2) Mesothelae, que inclui apenas a família Liphistiidae, constituída por aranhas asiáticas raramente avistadas. Estima-se que existam cerca de 40 000 espécies de aranhas, presentemente divididas em mais de 100 famílias, o que faz deste taxon a segunda maior ordem dos aracnídeos, apenas ultrapassada em diversidade pela ordem Acari (os ácaros).
A espécie de aranha mais corpulenta é a Theraphosa blondi (Latreille, 1804), que chega a medir até 20 cm de envergadura, e a menor é a Patu digua (Forster & Platnick, 1977), nativa da Colômbia, que tem o tamanho da cabeça de um alfinete.
As aranhas são referência frequente na arte e mitologia, simbolizando paciência, crueldade e criatividade. A seda e os compostos químicos presentes no veneno das aranhas são considerados como potenciais fontes de matéria prima para aplicações nanotecnológicas e outros usos no campo da engenharia dos materiais e para a preparação de medicamentos e biopesticidas. Apesar da elevada prevalência da aracnofobia, apenas a picada de cerca de 30 espécies das mais de 40 000 existentes é considerada perigosa para os humanos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *