O que é juízo

juízo | s. m.
ju·í·zo
(latim judicium, -ii, acção de julgar, julgamento, decisão, tribunal )
substantivo masculino

1. Faculdade de julgar intelectualmente.

2. Discernimento, tino.

3. Opinião, conceito.

4. Acto de julgar judicialmente.

5. Julgamento.

6. Tribunal; foro; jurisdição.

7. Apreciação, voto, parecer.

8. Prognóstico.

9. [Lógica]   [Lógica]   Acto de entendimento pelo qual se afirma a relação de duas ideias .

10. Juízo das armas, juízo que se fazia de uma causa pela sorte que, os interessados nela, tinham em combate singular.

juízo de Deus • Prova judicial que, pelo fogo, pela água, etc., se fazia da culpabilidade de um acusado.

• Vontade divina; decreto da Providência. (Mais usado no plural.)

juízo de menores • [Brasil]   • [Brasil]   • [Jurídico, Jurisprudência]   • [Jurídico, Jurisprudência]   Órgão do poder judicial responsável pela assistência, defesa, protecção , processo e julgamento de menores de 18 anos. = JUIZADO DE MENORES

juízo de Salomão • Sentença recta e imparcial.

juízo do ano • Predição que do ano se faz nas folhinhas e almanaques.

juízo final • Juízo que a Igreja anuncia para o fim do mundo. = JUÍZO UNIVERSAL

juízo universal • O mesmo que juízo final.


substantivo masculino Ação de julgar; faculdade intelectual de julgar, entender, avaliar, comparar e tirar conclusões; julgamento.
Apreciação acerca de algo ou alguém; opinião.
Qualidade de quem age responsável e conscientemente; prudência.
[Popular] Capacidade de agir racionalmente; razão: perder o juízo.
[Jurídico] Tribunal em que questões judiciais são deliberadas ou analisadas: o divórcio está em juízo.
[Jurídico] Reunião das ações realizadas pelos juízes no exercício de suas funções.
Etimologia (origem da palavra juízo). Do latim judicium.ii.


Juízo é o processo que conduz ao estabelecimento das relações significativas entre conceitos, que conduzem ao pensamento lógico objetivando alcançar uma integração significativa, que dê possibilidade a uma atitude racional frente as necessidades do momento. E julgar é, nesse caso, estabelecer uma relação entre conceitos.
A natureza do Juízo consiste em afirmar uma coisa de outra, diz Aristóteles. O Juízo encerra, pois três elementos: duas ideias e uma afirmação. A ideia da qual se afirma alguma coisa chama-se sujeito. A ideia que se afirma do sujeito chama-se atributo ou predicado. Quanto à própria afirmação, representa-se pelo verbo é, chamado cópula, porque une o atributo ao sujeito.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *