O que é nome

nome | s. m.
no·me |ô| no·me |ô|
(latim nomen, -inis )
substantivo masculino

1. Palavra que designa pessoa, animal ou coisa (concreta ou abstracta ).

2. Denominação.

3. Apelido.

4. Prenome.

5. Alcunha.

6. Nomeada.

7. Fama.

8. Poder, autoridade.

9. [Gramática]   [Gramática]   Palavra que pertence à classe de palavras que designa seres ou coisas, concretos ou abstractos , estados, processos ou qualidades. = SUBSTANTIVO

chamar nomes • [Informal]   • [Informal]   Proferir insultos (ex.: evitem chamar nomes aos colegas; não vale chamar nomes). = INJURIAR, INSULTAR

em nome de • Da parte de.

• Em atenção a.

nome comum • Nome que designa um elemento de uma classe ou categoria, não designando um indivíduo ou uma entidade única e específica, por oposição a nome próprio.

nome de código • Nome ou designação com que se esconde o nome ou designação de algo ou alguém.

nome de fantasia • Nome que alguém adopta a seu bel-prazer.

nome de guerra • pseudónimo .

nome feio • Palavra indecorosa ou ofensiva. = PALAVRÃO

nome predicativo • [Gramática]   • [Gramática]   Palavra que qualifica ou determina o sujeito e que completa a significação do verbo.

nome próprio • Nome que designa um indivíduo ou uma entidade única e específica e que é geralmente escrito com inicial maiúscula, por oposição a nome comum.Confrontar: nume.

Ver também dúvida linguística: pronúncia de nome.


substantivo masculino Denominação; palavra ou expressão que designa algo ou alguém.
A designação de uma pessoa; nome de batismo: seu nome é Maria.
Sobrenome; denominação que caracteriza a família: ofereceu seu nome.
Família; denominação do grupo de pessoas que vivem sob o mesmo teto ou possuem relação consanguínea: honrava seu nome.
Fama; em que há renome ou boa reputação: tinha nome na universidade.
Apelido; palavra que caracteriza alguém.
Quem se torna proeminente numa certa área: os nomes do cubismo.
Título; palavra ou expressão que identifica algo: o nome de uma pintura.
[Gramática] Que designa genericamente os substantivos e adjetivos.
Etimologia (origem da palavra nome). Do latim nomen.inis.


O Nome (do latim nōmen, cuja raiz é comum a várias outras línguas indo-europeias, como o grego; [ὄνομα]) é – num sentido amplo na gramática e na linguística – qualquer palavra que siga a flexão nominal, ou seja, a declinação em contraposição à flexão verbal (ou conjugação). Portanto, não só substantivos, mas também adjetivos e, por vezes, as formas nominais dos verbos, podem ser considerados nomes.
No sentido restrito e no uso comum, o nome é um vocábulo ou locução que tem a função de designar uma pessoa, um animal, uma coisa ou um grupo de pessoas, animais e coisas.
Acredita-se que antes mesmo da invenção da escrita, os seres humanos já se faziam valer de imagens e sons para denominar coisas e seres, prática que remonta aos primórdios da história da humanidade. A evolução da linguagem permitiu que fossem criados nomes para designar conceitos abstratos tais como “tempo”, “amor”, “feudalismo” e “Deus”, por exemplo.
A questão do nome como designador de um conceito universal tal qual “cavalo” para certas pessoas não é tão simples como parece. Em filosofia, a questão dos universais está na origem da querela entre nominalistas e realistas, havendo também os realistas moderados (a corrente do realismo moderado foi defendida por são Tomás de Aquino, chamado de Doutor Angélico, e é defendido pela Igreja Católica Apostólica Romana), que tiveram muita importância na Idade Média, embora sejam pouco conhecidos e divulgados devido ao preconceito para com a Idade Média.De acordo com a semiótica, um nome é um signo em que o significante é a imagem acústica da palavra falada ou a representação gráfica da palavra escrita, e o significado é conceito do objeto ao qual esta palavra remete. Este signo pode atuar como símbolo (quando se refere a uma universalidade; ex.: “rei” — todo e qualquer rei), como índice (quando se refere a um elemento ou indivíduo; ex.: “Luís XV” — e não qualquer rei) e também como ícone (quando se refere a uma ideia geral; ex.: “coroa” — ícone que indica o símbolo “rei”). Obviamente, a função semântica e sintática de um nome pode variar de acordo com o contexto.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *