O que é pará

pará | s. m. pára para pára para | s. 2 g. pára- para- pára- para- | pref. para | prep. para- | pref. Será que queria dizer para ou pára?
pa·rá
(origem obscura )
nome masculino

[Brasil: Rio Grande do Sul]   [Brasil: Rio Grande do Sul]   [Religião]   [Religião]   Culto religioso de origem afro-brasileira.
pá·ra |pá| pa·ra |pá| pá·ra |pá| pa·ra |pá|
(redução de pára-quedista )
nome de dois géneros

[Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]   [Militar]   [Militar]   Soldado especialmente exercitado para descer em pára-quedas na retaguarda inimiga, ou para praticar destruições em pontos estratégicos (ex.: os páras participaram no ataque). = PÁRA-QUEDISTA• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:pára. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:para. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:pára
pára- |pà| para- |pà| pára- |pà| para- |pà|
(forma do verbo parar )
prefixo

Elemento designativo de aquilo ou aquele que protege ou ampara (ex.: pára-quedas, pára-raios).• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: para-. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:pára-. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:para-. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:pára-
pa·ra pa·ra
(latim per, por, através de + latim ad, para, em direcção de )
preposição

1. Exprime direcção ou lugar de destino (ex.: arrancou para o Sul; a casa está virada para norte).

2. Exprime lugar de destino com intuito de demora (ex.: foram para Londres e só regressaram passados 30 anos).

3. Indica destinatário ou beneficiário (ex.: trouxe bolinhos para vocês).

4. Indica limite temporal aproximado (ex.: a abertura está prevista para sábado; o vestido está pronto para a semana).

5. Usa-se para indicar a hora exacta que se completará quando passarem os minutos referidos, menos de 30 (ex.: faltam cinco para a uma).

6. Usa-se para exprimir finalidade ou propósito (ex.: lutou para conseguir o que queria; deixaram documentação para que possamos analisar o caso; espremedor para citrinos).

7. Indica intenção (ex.: ando para comprar esse livro).

8. Indica especificidade, aptidão ou adequação de alguma coisa (ex.: comprimido para as dores; casaco para o frio).

9. Indica restrição (ex.: o filme é para maiores de 18 anos).

10. Indica ponto de vista (ex.: para os atletas, o treinador é um modelo).

11. Indica relação, proporção ou comparação (ex.: 1 está para 10 assim como 20 está para 200).

para que • Indica o fim, o objectivo ou a consequência de determinada acção (ex.: preciso de mais tempo, para que isto seja bem feito). = A FIM DE QUEConfrontar: pára, forma do verbo parar.

para- para-
(latim paro, -are, preparar, esforçar-se para obter ou conseguir )
prefixo

Entra na composição de um grande número de palavras com várias significações: ao lado, além, acima de, a par de, à volta de, para, contra, quase (ex.: paranormal, paraolímpico, paratexto).


preposição Preposição que indica a orientação ou o sentido de: caminharam para o exterior do hotel.
Num momento oportuno: adiaremos o compromisso para amanhã.
Que determina a designação, a classificação: filme proibido para menores.
Que age contra: remédio para dor de cabeça.
Com o propósito de: estuda para entrar na faculdade.
Que vai acontecer a qualquer momento: o show está para terminar.
Segundo a opinião de: para o autor, o livro é ótimo.
Com o objetivo de: viajou para descansar.
Apropriado a: é um espetáculo para assistir ou para ouvir?
Tendo em consideração: para o dinheiro que gasta, ainda tem economias.
Que se preparou ou está apto: ela é a aluna para o trabalho.
Etimologia (origem da palavra para). Do latim pera/ per.ad.
adjetivo Diz-se da posição ou do que indica a posição 1,4 dos grupos que se encontram ligados ao anel benzênico (p-).
substantivo masculino Essa indicação da posição.
Etimologia (origem da palavra para). De origem questionável.
prefixo Prefixo que pode ser encontrado na formação de várias palavras, com sentido de ao lado, além, acima de, a par de, à volta de, para, contra, quase .
Etimologia (origem da palavra para). Do latim paro.are.


Pará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situado na Região Norte, sendo o segundo maior estado do país em extensão territorial, com uma área de 1 247 954,666 km², constituindo-se na décima-terceira maior subdivisão mundial. É maior que a área da Região Sudeste brasileira, com seus quatro estados, e um pouco menor que o estado norte-americano do Alasca. É dividido em 144 municípios, que possuem área média de 8 664,50 km². O maior deles é Altamira com 159 696 km², o quinto município mais extenso do mundo, e o menor é Marituba, com 103,279 km². Sua capital é o município de Belém e seu atual governador é Helder Barbalho.
Com 8,5 milhões de habitantes, é o estado mais populoso da Região Norte e o nono mais populoso do Brasil. Dois de seus municípios possuem população acima de 500 mil habitantes: Belém, a capital e sua maior cidade com 1,4 milhão de habitantes em 2018 e Ananindeua, com 525,5 mil habitantes. O estado é ainda, subdividido em 7 regiões geográficas intermediárias e 21 regiões geográficas imediatas. Seus limites são com o estado do Amapá a norte, Roraima a noroeste, Amazonas a oeste, Mato Grosso a sul, Tocantins a sudeste, Maranhão a leste; além do Suriname e Guiana ao extremo norte. O Pará possui uma densidade demográfica considerada baixa, sendo superado apenas por Rondônia em sua macrorregião. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2018 a densidade demográfica equivalia a 6,70 habitantes por quilômetro quadrado. Existem três regiões metropolitanas no estado: a Região Metropolitana de Belém, com 2,5 milhões de habitantes, a Região Metropolitana de Marabá, com 350 mil habitantes, e a Região Metropolitana de Santarém, com 335 mil habitantes.
A região que hoje forma o estado do Pará foi explorada, inicialmente, pelo espanhol Francisco de Orellana. Orellana iniciou sua viagem partindo da foz do rio Amazonas, percorrendo todo o interior amazônico, enquanto descrevia em cartas as belezas e possíveis riquezas do local, com os fatos e atos mais prováveis de chamar a atenção da coroa espanhola. A partir do século XVII a região passou a integrar a capitania do Maranhão, e em 1616 foi criada a Capitania do Grão-Pará. Os portugueses decidiram expandir seus domínios para o oeste, criando o Estado do Grão-Pará e Rio Negro, que englobava tanto o atual estado do Pará como a Capitania de São José do Rio Negro, hoje o estado do Amazonas.
O território paraense é coberto pela maior floresta tropical do mundo, a Amazônia. O relevo é baixo e plano; 58% do território se encontram abaixo dos 200 metros. As altitudes superiores a 500 metros estão nas seguintes serras: Serra dos Carajás, Serra do Cachimbo e Serra do Acari. Nos últimos anos, o estado experimentou um notável crescimento econômico, registrando um Produto interno bruto (PIB) considerado alto e uma urbanização maciça em suas maiores cidades. No entanto, o Pará ainda registra vários problemas sociais e ambientais, especialmente em seu interior. Vem do Pará o maior índice de desmatamento no Brasil, mesmo em áreas de preservação ambiental, alinhado a outras anomalias sociais. Problemas como a pobreza e criminalidade são encontrados demasiadamente e o estado possui a segunda pior educação pública do Brasil, conforme o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD-Brasil), além do quarto menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da nação, com 0,698 (2017) e o município com a pior qualidade de vida em todo o país, Melgaço, situado na Ilha de Marajó.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *