ressonância | s. f.
res·so·nân·ci·a
substantivo feminino

1. Propriedade de aumentar a duração ou a intensidade do som.

2. Eco, reflexo, repercussão.

3. Maneira como um corpo transmite as ondas sonoras.

4. Produção de um movimento oscilatório por impulsões repetidas de frequência conveniente.

5. [Medicina]   [Medicina]   Ruído especial que se distingue quando se ausculta uma pessoa que fala.

ressonância eléctrica • Fenómeno em que um sistema físico recebe energia por meio de excitações de frequência iguais a uma frequência natural de vibração.

ressonância magnética nuclear • Técnica utilizada nomeadamente em imagiologia médica (imagiologia por ressonância magnética, sigla: IRM), que assenta no estudo da ressonância nuclear observada quando se aplica uma determinada frequência de radiação electromagnética e uma intensidade de campo magnético (sigla: RMN).

Fenómeno apresentado por compostos que reagem como se possuíssem várias estruturas atómicas devido a uma variação da repartição dos electrões de ligação.

ressonância nuclear • Fenómeno de ressonância no interior do núcleo, devido às transições entre níveis de energia.


substantivo feminino Ato ou efeito de ressonar, de repercutir; repercussão do som.
Propriedade de aumentar a duração ou a intensidade do som: a ressonância de uma sala.
Modo de transmissão das ondas sonoras por um corpo.
Ruído confuso resultante do prolongamento ou reflexão de um som.
[Figurado] Repercussão, reação: sua proposta não teve a menor ressonância.
Grande aumento da amplitude de uma oscilação sob a influência de impulsões regulares de igual frequência.
[Química] Particularidade de certas moléculas orgânicas que não podem ser representadas a não ser por um conjunto de estruturas que diferem pela localização dos elétrons.
expressão Ressonância elétrica. Fenômeno da mesma natureza, produzido por indução a distância.
Caixa de ressonância. Caixa capaz de ressonar, fazer soar; ressonador.
Ressonância magnética. Método de análise espectroscópica baseado nas transições induzidas entre certos níveis de energia de um átomo, de um íon, de uma molécula, submetidos a um campo magnético.
Etimologia (origem da palavra ressonância). Do latim resonantia.


Em física, ressonância é o fenômeno em que um sistema vibratório ou força externa conduz outro sistema a oscilar com maior amplitude em frequências específicas, conhecidas como frequências ressonantes ou frequências naturais do sistema. Nessas frequências, até mesmo forças periódicas pequenas podem produzir vibrações de grande amplitude, pois o sistema armazena energia vibracional.
Um oscilador harmônico simples possui uma frequência angular natural relacionada com as características do sistema em questão. Quando o oscilador harmônico simples está sujeito a uma força externa periódica e contínua, o denominamos de oscilador forçado. Dependendo da frequência dessa força, pode ocorrer efeito ressonante.
Interpretaremos em um primeiro momento a ressonância de maneira idealizada, ou seja, não levaremos em conta as perdas de energia ocasionadas por atrito, por exemplo. Então, de maneira simplificada, a ressonância ocorre em um sistema quando o mesmo está sujeito a uma força externa contínua e periódica cuja periodicidade está diretamente relacionada com a frequência natural do sistema. Nesse caso, o sistema produzirá grandes amplitudes.
Contudo, a realidade não é tão simples, existem algumas perdas de energia de período a período, a qual denominamos de amortecimento. Quando o amortecimento é pequeno, a frequência de ressonância do sistema é aproximadamente igual à frequência natural do sistema.
Os sistemas possuem múltiplas e distintas frequências de ressonância e esse fenômeno ocorre com todos os tipos de vibrações ou ondas; mecânicas (acústicas), eletromagnéticas, e funções de onda quântica. Sistemas ressonantes podem ser usados para gerar vibrações de uma frequência específica, ou para obter frequências específicas de uma vibração complexa contendo muitas frequências.
A ressonância foi descoberta por Galileu Galilei quando começou suas pesquisas com pêndulos e cordas musicais no começo de 1602. Outros acreditam que Pitágoras foi o pioneiro no assunto muito antes durante sua vida entre 570 – 495 anos a.C. especialmente na investigação sobre teorias musicais.


Deixe uma resposta 0

Your email address will not be published. Required fields are marked *