tétrade | s. f.
té·tra·de
(latim tetras, -adis, do grego tetrás, -ádos, número quatro, quarto dia )
nome feminino

1. Conjunto formado por quatro unidades ou por quatro elementos.

2. [Música]   [Música]   Acorde de quatro sons.


substantivo feminino Grupo ou arranjo de quatro coisas.
Algo composto de quatro partes.
[Química] Elemento, átomo ou radical tetravalente.
[Biologia] Grupo de quatro células dispostas comumente em forma de um tetraedro e produzido pelas divisões sucessivas de uma célula-mãe.
[Biologia] Arranjo de cromossomos aos quatro na primeira prófase miótica, devido à cisão longitudinal precoce de pares de cromossomos homólogos.
Etimologia (origem da palavra tétrade). Do latim tetrade.


Definição da palavra “tétrade”:
1 Grupo ou arranjo de quatro coisas. 2 Algo composto de quatro partes. 3 Quím Elemento, átomo ou radical tetravalente. 4 Biol Grupo de quatro células dispostas comumente em forma de um tetraedro e produzido pelas divisões sucessivas de uma célula-mãe. 5 Biol Arranjo de cromossomos aos quatro na primeira prófase miótica, devido à cisão longitudinal precoce de pares de cromossomos homólogos.
O termo tétrade, na harmonia tonal, é referente ao conjunto de 4 notas fundamentais que estruturam e caracterizam um acorde musical. Se o acorde possui apenas 3 notas, diz-se que possui uma tríade. À harmonia musical baseada em tétrades dá-se o nome de tetrafonia, sendo também comum chamá-la harmonia tetrádica.

Introdução: Assim como os acordes de tríade definem através da sua estrutura a função potencial que poderão desempenhar no trecho musical, os tétrades reforçam esse conceito trazendo a inclusão de mais uma nota, a sétima, encurtando a ambiguidade. Um acorde só irá representar com exatidão a escala da qual faz parte quando for usado com todas as suas notas de tensão ou dentro da cadência harmônica, mas a tétrade é a forma estrutural mais completa.
Como existem 4 tipos de tríade (tríade maior, tríade menor, tríade diminuta, tríade aumentada), multiplicadas por 3 tipos de sétima, resultam em 4 X 3 = 12 acordes de tétrade. Usamos na prática 8 desses tipos pois os outros 4 podem ser reescritos de forma enarmônica. Eles são:
Tríade maior
Tríade maior + Sétima maior = T7M ou Tmaj7 ou T∆
Exemplo: Tríade de C (C E G) + sétima maior, nota B = C E G B = C7M ou Cmaj7 ou C∆
Tríade maior + Sétima menor = T7
Exemplo: Tríade de C (C E G) + sétima menor, nota Bb = C E G Bb = C7
Tríade maior + Sétima diminuta = não utilizado pois pode ser reescrito de forma enarmônica.
Exemplo: Tríade de C (C E G) + sétima diminuta, nota Bbb (A) = C E G A = A C E G = Am7

Tríade menor
Tríade menor + Sétima maior = Tm7M ou Tmmaj7 ou Tm∆
Exemplo: Tríade de Cm (C Eb G) + sétima maior, nota B = C Eb G B = Cm7M ou Cmmaj7 ou Cm∆
Tríade menor + Sétima menor = Tm7
Exemplo: Tríade de Cm (C Eb G) + sétima menor, nota Bb = C Eb G Bb = Cm7
Tríade menor + Sétima diminuta = não utilizado pois pode ser reescrito de forma enarmônica.
Exemplo: Tríade de Cm (C Eb G) + sétima diminuta, nota Bbb (A) = C Eb G A = A C Eb G = Am7(b5)
Tríade diminuta
Tríade diminuta + Sétima maior = não utilizado pois pode ser reescrito de forma enarmônica. Esse tipo de acorde é uma variação do acorde diminuto To onde a sétima diminuta é substituida pela sétima maior, mas a função do acorde se mantém. Normalmente é escrito como To(7M).
Exemplo: Tríade de Cm(b5) (C Eb Gb) + sétima maior, nota B = C Eb Gb B = Co(7M)
Tríade diminuta + Sétima menor = Tm7(b5) ou TØ (acorde meio diminuto)
Exemplo: Tríade de Cm(b5) (C Eb Gb) + sétima menor, nota Bb = C Eb Gb Bb = Cm7(b5) ou CØ
Tríade diminuta + Sétima diminuta = To (acorde diminuto)
Exemplo: Tríade de Cm(b5) (C Eb Gb) + sétima diminuta, nota Bbb = C Eb Gb Bbb = C
Tríade aumentada
Tríade aumentada + Sétima maior = T7M(#5) ou Tmaj7(#5)
Exemplo: Tríade de C(#5) (C E G#) + sétima maior, nota B = C E G# B = C7M(#5) ou Cmaj7(#5)
Tríade aumentada + Sétima menor = T7(#5)
Exemplo: Tríade de C(#5) (C E G#) + sétima menor, nota Bb = C E G# Bb = C7(#5)
Tríade aumentada + Sétima diminuta = não utilizado pois pode ser reescrito de forma enarmônica.
Exemplo: Tríade de C(#5) (C E G#) + sétima diminuta, nota Bbb (A) = C E G# A = A C E G# = Am7M

O acorde alterado – é derivado do sétimo grau do campo harmônico menor melódico e é característico por ser um acorde do tipo T7 com combinações de quintas e nonas alteradas.
T7 (b5 b9) | T7 (b5 #9) | T7 (#5 b9) | T7 (#5 #9)
De forma geral as variações com apenas uma das alterações ( T7(#5), T7(b5), T7(b9), T7(#9) ) também são consideradas como acordes alterados. Nesse caso podemos adicionar mais um tipo de formação aos tétrades, o T7(b5).
Tipos: T7M | T7 | Tm7 | Tm7(b5), TØ | To | Tm7M | T7(#5) | T7M(#5) | T7(b5)
__________________________________________________________________________________
Montagem: Uma forma prática para descobrir os diferentes shapes de cada tipo de tétrade é escolher uma tônica, definir a terça, quinta e sétima, e posicionar as notas no braço da guitarra.
Para montar o tétrade bastam as 4 notas da sua formação, a Tônica, a terça, a quinta e a sétima. Independente da inversão (nota mais grave) o acorde será sempre o mesmo.

Relação de proximidade entre os acordes – Ao comparar os 9 tipos de acordes de tétrade podemos facilmente relacioná-los de acordo com as notas que possuem em comum.
3 notas em comum:
Cm7 (C Eb G Bb) tem 3 notas em comum com os acordes de…
C7 (C E G Bb)
Cm7(b5) (C Eb Gb Bb)
Cm7M (C Eb G B)

2 notas em comum:
Cm7 (C Eb G Bb) tem 2 notas em comum com os acordes de…
C7M (C E G B)
Co (C Eb Gb Bbb)
C7(#5) (C E G# Bb)
C7(b5) (C E Gb Bb)

1 nota em comum (tônica):
Cm7 (C Eb G Bb) tem 1 nota em comum com o acorde de…
C7M(#5) (C E G# B)

Os formatos com 3 ou 1 nota em comum são os mais proximos pois basta a alteração de uma nota do acorde para transformar a função. Os formatos com 2 notas em comum são os mais distantes. Por exemplo:
Cm7 subindo a terça ½ tom = C7
Cm7 descendo a quinta ½ tom = Cm7(b5)
Cm7 subindo a sétima ½ tom = Cm7M
O acorde de C7M(#5) difere do acorde de Cm7 em 3 notas mas o formato de ambos os acordes são parecidos. Ao tocar um Cm7, mova a tônica ½ tom abaixo, o acorde muda de função formando um B7M(#5). A mesma coisa se aplica no sentido contrário, quando tocar um B7M(#5), mova a tônica ½ tom acima e obterá um Cm7.
Cm7 – C Eb G Bb reduzindo a tônica ½ tom e pensando nas outras notas de forma enarmônica (trocando o nome) = B D# Fx A# = B7M(#5)
Ou
B7M(#5) – B D# Fx A# elevando a tônica ½ tom e pensando nas outras notas de forma enarmônica (trocando o nome) = C Eb G Bb = Cm7
Depois suba o acorde de B7M(#5) ½ tom para obter o C7M(#5).
Observe na tabela abaixo o resumo dessas relações de proximidade:
As relações sinalizadas com cor são aquelas com uma única nota de diferença, ou com 3 diferenças do mesmo tipo (formatos proximos). Os quadros em branco são as relações com formatos distantes.


Deixe uma resposta 0

Your email address will not be published. Required fields are marked *