O que é tropo

tropo | s. m. tropo | adj.
tro·po |ô| ou |ó| tro·po |ó| 1
(grego trópos, -ou, direcção )
nome masculino

1. [Retórica]   [Retórica]   Emprego de uma palavra ou expressão em sentido figurado. = FIGURA

2. [Filosofia]   [Filosofia]   Cada um dos vários argumentos com que os filósofos cépticos gregos da Antiguidade pretendiam provar a impossibilidade de alcançar a verdade. (Mais usado no plural.)

3. [Música]   [Música]   Na Grécia Antiga, determinação da altura absoluta na escala musical.

4. [Música]   [Música]   Processo de ampliação usado no canto gregoriano, com intercalações de partes com melodia e texto.

5. [Teatro]   [Teatro]   Pequeno diálogo ou recitativo incluído na liturgia da missa, que foi umas das primeiras manifestações teatrais medievais.Plural: tropos |ô|. Plural: tropos |ô|.
tro·po |ô| tro·po |ô| 2
(redução de trôpego )
adjectivo adjetivo

[Informal]   [Informal]   Que sente dificuldade em movimentar-se ou a mover algum membro. = TRÔPEGOPlural: tropos |ô|. Plural: tropos |ô|.


substantivo masculino [Retórica] Emprego de uma palavra no sentido figurado, atribuindo-lhe uma significação não literal nem habitual, geralmente transferindo o sentido de uma palavra para outra: a metáfora é um tipo de tropo.
[Gramática] Figura de linguagem em que se emprega uma palavra com um sentido diferente do habitual.
[Teatro] Diálogo breve que, fazendo parte da liturgia de uma missa, pode ser definido como umas das primeiras manifestações do teatro na Idade Média.
[Filosofia] Premissas gregas de natureza cética, incrédula, descrente, que visam provar ser impossível e inútil a busca pela verdade (mais usado no plural: tropos).
[Música] Na Grécia antiga, determinação da altura absoluta de uma escala musical; tom.
[Música] No canto gregoriano, ato de intercalar partes com melodia e textos ditos melodicamente.
Etimologia (origem da palavra tropo). Do grego trópos, “volta” + do latim tropu.


Um tropo (do grego τρόπος, transl. trópos, ‘direção’, ‘giro’, do verbo trépo, “girar”), é uma figura de linguagem ou da retórica onde ocorre uma mudança de significado, seja interna (em nível do pensamento) ou externa (em nível da palavra). No primeiro caso e quando ocorre apenas uma associação de ideias, dá-se o nome de perífrase; se a associação de ideias é de caráter comparativo, produz-se uma metáfora, que é o tropo por excelência. A palavra também é usada para definir clichês em obras de ficção.A retórica clássica, segundo Lausberg, somente classifica como tropos a sinédoque, a antonomásia, a ênfase, a lítotes (“atenuação”), a hipérbole, a metonímia, a metáfora, a perífrase, a ironia e a metalepse (um tipo raro de metonímia).
Na música da Grécia Antiga, indicava a altura baseada na oitava média das vozes e que dava forma ao elemento principal da estrutura musical. Na música medieval, significava a ampliação do canto litúrgico através da inserção de textos curtos que facilitavam a memorização da música e que deram origem ao drama musical a partir do século IX.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *