frontão

frontão | s. m.
fron·tão
(francês fronton )
nome masculino

1. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Ornato arquitectónico triangular que encima geralmente o topo da parte central de um edifício.

2. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Ornato triangular no topo de portas, janelas, pórticos ou peças de mobiliário.

3. [Brasil]   [Brasil]   Edifício onde se joga a pelota.

4. [Brasil]   [Brasil]   Parede contra a qual se joga a péla ou a pelota basca.


substantivo masculino [Arquitetura] Ornato arquitetônico na face principal de um edifício, geralmente decorando a fachada principal, composto pela cimalha e duas empenas.
Ornamento que, anexo ao remate de portas, janelas, mobília ou objetos de ouro, tem o formato semelhante ao do triângulo.
Muro contra o qual os jogadores da chamada “pelota basca” atiram a bola; local onde se pratica esse jogo; o próprio jogo.
Nome popular do jogo de bola de origem espanhola.
expressão Frontão do Partenon. Parte frontal, decorada e triangular, que sustentava uma cobertura, composta por um telhado de duas águas, do Paternon grego, templo que simboliza a hegemonia de Atenas, construído entre 447-436 a.C.
Etimologia (origem da palavra frontão). Do francês fronton.


Um frontão é um conjunto arquitetônico de forma triangular que decora normalmente o topo da fachada principal de um edifício, sendo constituído por duas partes essenciais: a cimalha (base) e as empenas (dois lados que fecham o triângulo). Provém da arquitetura clássica greco-romana.
É muito comum em edifícios de arquitectura clássica, como no Partenon, na Grécia e em edifícios de arquitectura neoclássica, como a fachada norte da Casa Branca, nos Estados Unidos. É também visto em edifícios tardo-barrocos na transição para o neoclassicismo, como na Basílica da Estrela, em Lisboa.
Encontra-se, também, o “frontão” no Brasil, nas construções neoclássicas (como, por exemplo, na Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro, RJ).




Deixe um comentário