grandeza

grandeza | s. f. | s. f. pl.
gran·de·za |ê| gran·de·za |ê|
substantivo feminino

1. Qualidade de grande; tamanho; extensão; altura; comprimento.

2. [Figurado]   [Figurado]   Excelência (em coragem, magnanimidade, etc.).

3. Fausto, pompa, opulência.

4. Nobreza.

5. Dignidade, hierarquia.

6. Título honorífico de grande do reino.

7. [Astronomia]   [Astronomia]   Grau de intensidade da luz das estrelas.

8. [Matemática]   [Matemática]   Tudo o que é susceptível de ser acrescentado ou diminuído.
grandezassubstantivo feminino plural

9. Dignidade, honras.

grandeza vectorial • Grandeza física cuja definição exige o enunciado de um número, de uma direcção e dum sentido sobre essa direcção .


substantivo feminino Qualidade do que é grande, extenso, tanto em altura, como em largura, intensidade, extensão, amplitude; amplidão, vastidão.
Extensão em altura, comprimento e largura: a grandeza da sala.
Tudo o que pode aumentar ou diminuir: medida de grandeza.
Expressão de abundância; opulência, ostentação: viver com grandeza.
[Figurado] Fortaleza de ânimo; elevação, nobreza de sentimentos: a grandeza da profissão de enfermeira.
O que tem muita relevância, importância; superioridade: a grandeza das pirâmides do Egito.
Noção exagerada que alguém tem em relação às suas próprias qualidades, possibilidades, capacidades.
[Astronomia] Grau de luminosidade de um astro; magnitude: estrela de 1.ª grandeza.
Demonstração de autoridade; poder, majestade: a grandeza dos sábios.
Ponto mais alto de; fastígio: a grandeza e a decadência do Império Romano.
[História] Título de nobreza atribuído a alguns soberanos que pertenciam a grandes reinos.
[Religião] Honraria de nobres ou aqueles que ocupavam altos cargos eclesiásticos.
expressão Mania de grandeza. Valorização excessiva de si mesmo; megalomania.
Grandeza de ânimo, de caráter, de coração. Magnanimidade, sublimidade, generosidade.
substantivo feminino plural Os bens do mundo, dignidades, honrarias: as grandezas terrenas.
Etimologia (origem da palavra grandeza). Grande + eza.


O termo grandeza, na nobreza com grandeza, é um tratamento honorífico dos antigos “Grandes do Reino”. Originalmente era uma recompensa e reconhecimento por serviços grandiosos prestados à pátria, principalmente em tempos de guerra.
Apanágio concedido por beneplácito dos reis e imperadores que reconhecia e confirmava a existência das qualidades pertinentes para a nobilitação do indivíduo, e a expansão da condição de nobres aos seus descendentes diretos.
A grandeza não era hereditária, mas enobrecia os descendentes dos Grandes.
Dentre os direitos e deveres concedidos pela condição de ser reconhecido e tornado Grande estavam: o de poder sentar-se e manter a cabeça coberta na presença real, marcar hora e local para prestar depoimentos. Prisão e condenação à morte só poderiam ocorrer com autorização real.
Eram também direitos, o privilégio de ter preparada permanente na própria casa, uma cadeira com dossel para receber o Rei, e ostentar brasão de armas na fachada das casas, sobre as sepulturas, capelas e nos veículos de transporte.
Aos Grandes e seus descendentes era necessária a licença para casamentos. Os filhos e descendentes dos Grandes tinham o direito de assentarem praça como cadete. As regalias e direitos da Grandeza no reino de Portugal e no império do Brasil não eram excluídas aos que descendiam dos Grandes pelas linhas femininas.
Barão e visconde eram títulos que não possuíam automaticamente a distinção de grandeza, mas esta podia ser conferida por decisão do monarca, seja no próprio decreto de concessão do título nobiliárquico ou em promoção posterior. Assim, havia Barões e Viscondes com e sem grandeza. Os Barões com grandeza, como marca de sua distinção especial, tinham o direito de usar, em seu brasão, uma coroa de visconde em lugar de uma de barão. Da mesma forma, os viscondes que recebiam a honra de grandeza podiam utilizar, nos seus brasões, uma coroa de conde no lugar da de visconde.
Já ao conde, ao marquês e ao duque, a honra da grandeza era inerente ao título, da mesma forma também a um par do Reino, oficial-general, bispo, arcebispo e cardeal.
No Império Brasileiro, as titulações de Grandeza eram registradas no Cartório da Nobreza e Fidalguia.
Na monarquia da Espanha ainda estão em curso as leis da Grandeza.