hipnose

hipnose | s. f.
hip·no·se |ó| hip·no·se |ó|
(francês hypnose )
nome feminino

Estado de pessoa mergulhada em sono hipnótico. = HIPNOSIA


substantivo feminino Processo que leva alguém a um estado semelhante ao sono, causado por meios artificiais pelo hipnotizador, sendo que a pessoa hipnotizada faz o que lhe solicitado sem se opor.
[Figurado] Estado de sonolência, apatia, torpor.
Condição de passividade definida pela influência que algo ou alguém exerce sob outra pessoa; magnetismo.
Etimologia (origem da palavra hipnose). Hipno + ose.


Hipnose, segundo a atual definição pela Associação Americana de Psicologia, é um estado de consciência que envolve atenção focada e consciência periférica reduzida, caracterizado por uma maior capacidade de resposta à sugestão. É um estado mental (teorias de estado) ou um tipo de comportamento (teorias de não-estado) usualmente induzidos por um procedimento conhecido como indução hipnótica, o qual é geralmente composto de uma série de instruções preliminares e sugestões.
O termo “hipnose” (grego hipnos = sono + latim osis = ação ou processo) deve o seu nome ao médico e pesquisador britânico James Braid (1795-1860), que o introduziu pois acreditou tratar-se de uma espécie de sono induzido (Hipnos era também o nome do deus grego do sono). Quando tal equívoco foi reconhecido, o termo já estava consagrado, e permaneceu nos usos científico e popular.
Contudo, deve ficar claro que hipnose não é uma espécie ou forma de sono. Os dois estados são claramente distintos e a tecnologia moderna pode comprová-lo de inúmeras formas, inclusive pelos achados eletroencefalográficos de ambos, que mostram ondas cerebrais de formas, frequências e padrões distintos para cada caso. O estado hipnótico é também chamado transe hipnótico.[carece de fontes?]