hippie

hippie | adj. 2 g. s. 2 g. | adj. 2 g.
hippie |ípi|
(palavra inglesa )
adjectivo de dois géneros e nome de dois géneros adjetivo de dois géneros e nome de dois géneros

1. Que ou quem, em especial nas décadas de 60 e 70 do século XX, se opunha aos valores da sociedade, geralmente com uso de cabelos compridos e vestuário pouco convencional e defendendo um modo de vida baseado no amor e na paz.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

2. Relativo ao movimento hippie.Plural: hippies. Plural: hippies.


substantivo masculino e feminino Pessoa que, seguidora do movimento jovem da década de 60 e 70, se recusa a viver tendo em conta os valores tradicionais, de consumo, e defende a paz e o amor.
substantivo masculino Movimento jovem de protesto que surgiu nos E.U.A. na década de 1960 e 1970.
adjetivo Que não segue os valores tradicionais e defende a paz e o amor.
Que se veste com um estilo próprio, com cabelos compridos e roupas simples.
Etimologia (origem da palavra hippie). Do inglês hippie.


O movimento hippie foi um comportamento coletivo de contracultura dos anos 1960. Embora tendo uma relativa queda de popularidade nos anos 1970 nos Estados Unidos, a célebre máxima “paz e amor” (em inglês, “peace and love”), que precedeu a expressão “ban the bomb” (“proíbam a bomba”), a qual criticava o uso de armas nucleares. As questões ambientais, a prática de nudismo e a emancipação sexual eram ideias respeitadas recorrentemente por estas comunidades.
Optaram por um modo de vida comunitário, tendendo a uma espécie de Nova Esquerda, a um estilo de vida nômade e à vida em comunhão com a natureza. Negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietnã, bem como todas as guerras. Abraçavam aspectos de religiões orientais como o budismo e o hinduísmo e do Xamanismo indígena norte-americano. Estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas. Enxergavam o patriarcalismo, o militarismo, o poder governamental, as corporações industriais, a massificação, o capitalismo, o autoritarismo e os valores sociais tradicionais como parte de uma instituição única sem legitimidade.


Deixe um comentário