labelo




labelo | s. m.
la·be·lo |é| la·be·lo |é|
(latim labbellum, -i, lábio pequeno, diminutivo de labrum, -i, lábio )
nome masculino

1. Pequeno lábio.

2. [Botânica]   [Botânica]   Pétala média das orquídeas, de tamanho e coloração diferente das restantes, que serve de plataforma para insectos polinizadores.

3. [Botânica]   [Botânica]   Plataforma inferior de um invólucro floral, formada por uma pétala ou conjunto de pétalas, presente, por exemplo, nas flores das labiadas, das leguminosas, das zingiberáceas e das escrofulariáceas.


substantivo masculino Pequeno lábio.
[Botânica] Pétala superior da corola das orquídeas, aparentemente inferior, graças à torção do eixo floral.


Labelo é uma tépala modificada, presente nas flores das orquídeas. É a pétala dorsal que, por uma torção de 180° no botão floral (ressupinação), termina por posicionar-se numa posição ventral, embora em certas orquídeas isto não ocorra. De uma forma ou de outra, o labelo encontra-se em posição oposta aos órgãos reprodutivos, o que lhe confere grande importância na polinização das orquídeas.
O labelo tem as funções de atrair visualmente o polinizador mediante a sua forma e suas cores, ou guiar o polinizador de forma a que ele eventualmente venha a esbarrar na antera e carregar as polínias por meio de calos na sua superfície.

O labelo também pode produzir odor, guiando principalmente insetos pequenos pelo olfato em direção aos órgãos sexuais da flor. O labelo ainda pode secretar néctar, que é um atrativo para certos polinizadores.
Em casos extremos de especialização, o labelo pode simular, em cor e forma, o dorso de uma abelha fêmea, iludindo os machos da espécie a copularem com a flor, de forma a carregarem as polínias para outra flor e efetuarem a polinização.