lógica

lógica | s. f. fem. sing. de lógico
ló·gi·ca
substantivo feminino

1. Ciência de raciocinar.

2. Livro que trata dessa ciência.

3. [Figurado]   [Figurado]   Coerência.

4. [Popular]   [Popular]   Palavreado.
ló·gi·co ló·gi·co
(grego logikós, -ê, -ón, relativo à palavra, ao discurso, hábil a falar, relativo ao raciocínio )
adjectivo adjetivo

1. Conforme as regras da lógica.

2. Coerente.

3. Diz-se da análise que estuda as proposições e seus membros componentes.substantivo masculino

4. Aquele que é versado em lógica.

5. [Popular]   [Popular]   Indivíduo manhoso, finório.


substantivo feminino Modo de raciocinar coerente que expressa uma relação de causa e consequência; raciocínio, método: falta lógica nesta obra.
[Figurado] Maneira particular de raciocinar: a lógica dos sentimentos.
[Por Extensão] Maneira coerente através da qual os fatos ou situações se encadeiam.
Disposição para raciocinar com justeza: lógica natural.
Ciência do raciocínio; obra que ensina essa ciência: Aristóteles formulou os princípios da lógica tradicional; a “Lógica” de Aristóteles.
Lógica moderna, ou dedutiva, ou algorítmica, ou matemática, sistema científico de raciocínio, que se divide em cálculo das proposições e cálculo funcional.
Etimologia (origem da palavra lógica). Do grego logiké; tékhné.


Lógica (do grego λογική logos) tem dois significados principais: discute o uso de raciocínio em alguma atividade e é o estudo normativo, filosófico do raciocínio válido. No segundo sentido, a lógica é discutida principalmente nas disciplinas de filosofia, matemática e ciência da computação. Ambos os sentidos se baseando no foco comum referente a harmonia de raciocínio, a proporcionalidade formal entre argumentos, assim sendo, a correta e equilibrada relação entre todos os termos, a total concordância entre cada um deles dentro de um desenvolvimento.A lógica examina de forma genérica as formas que a argumentação pode tomar, quais dessas formas são válidas e quais são falaciosas.
Em filosofia, o estudo da lógica aplica-se na maioria dos seus principais ramos: metafísica, ontologia, epistemologia e ética.
Na matemática, estudam-se as formas válidas de inferência de uma linguagem formal. Na ciência da computação, a lógica é uma ferramenta indispensável. Por fim, a lógica também é estudada na teoria da argumentação.A lógica foi estudada em várias civilizações da Antiguidade. Na Índia, a recursão silogística, Nyaya remonta a 1900 anos atrás. Na China, o Moísmo e a Escola dos Nomes datam de 2200 anos atrás.
Na Grécia Antiga a lógica foi estabelecida como disciplina por Aristóteles, com a sua obra Organon. Ele dividiu a lógica em formal e material. O estudo da lógica era parte do Trivium clássico, juntamente com a gramática e a retórica (ver: Artes liberais).
A lógica é frequentemente dividida em três partes: o raciocínio indutivo, o raciocínio abdutivo e o raciocínio dedutivo.


Deixe um comentário