manifesto

manifesto | adj. | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de manifestar
ma·ni·fes·to |é| ma·ni·fes·to |é|
adjectivo adjetivo

1. Patente, público, notório.

2. Evidente, claro.nome masculino

3. Exposição (geralmente escrita) em que se manifesta o que é preciso, ou o que se deseja que se saiba.

4. Coisa manifestada.

5. Declaração feita à alfândega, ou suas delegações, dos géneros que se trazem sujeitos a direitos.

dar ao manifesto • Fazer essa declaração.
ma·ni·fes·tar ma·ni·fes·tar – Conjugar
verbo transitivo

1. Tornar manifesto, patentear, publicar.

2. Dar indícios de.

3. Expor, apresentar.

4. Dar ao manifesto (na alfândega).verbo pronominal

5. Declarar-se.

6. Aparecer.

7. Tornar-se visível, descobrir-se.


substantivo feminino Declaração formal que, geralmente escrita, transmite intenções, opiniões, decisões ou ideias políticas, particulares a uma pessoa ou a um grupo de pessoas. manifesto de apoio ao presidente.
Declaração divulgada publicamente com variados propósitos.
Documento com a lista de mercadorias transportadas que, antes do desembarque, deve ser entregue na alfândega.
Listagem de bens para fiscalização.
adjetivo Inegável; que não se consegue negar; que não pode ser contestado nem ocultado: uma opinião manifesta; ponto de vista manifesto.
Que se percebe por meio de indícios ou evidências: doença com sintomas manifestos.
Etimologia (origem da palavra manifesto). Do latim manifestus.a.um.


Na literatura, define-se manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva, uma declaração pública de princípios e intenções, que objetiva alertar um problema ou fazer a denúncia pública de um problema que está ocorrendo, normalmente de cunho político. O manifesto destina-se a declarar um ponto de vista, denunciar um problema ou convocar uma comunidade para uma determinada ação. Ele tem uma estrutura, relativamente, livre, mas com alguns elementos indispensáveis, tais como: título, identificação e análise do problema, argumentos que fundamentam o ponto de vista do(s) autor(es), local, data, assinaturas dos autores e, até, dos simpatizantes da causa.
Na transição da era moderna para a contemporânea, os artistas, além de utilizar os dispositivos tecnológicos comunicacionais em suas obras, passaram a necessitar dos produtos da comunicação para a divulgação de suas criações.




Deixe um comentário