medeia

3ª pess. sing. pres. ind. de mediar 2ª pess. sing. imp. de mediar
me·di·ar – Conjugar
verbo transitivo

1. Dividir ao meio.

2. Intervir acerca de.verbo intransitivo

3. Ficar no meio.

4. Passar-se (entre dois factos ou duas épocas). Intervir, interceder.


substantivo deverbal Ação de mediar, de discutir ou atuar como mediador em acordos ou ações de conciliação: o jornalista medeia o debate dos candidatos à presidência.
Ato de repartir em partes iguais: ele medeia o dinheiro da herança.
Etimologia (origem da palavra medeia). Forma regressiva de mediar.


Na mitologia grega, Medeia (em grego: Μήδεια, transl.: Médeia) era filha do rei Eetes, da Cólquida (atualmente, a Geórgia), sobrinha de Circe (aparecendo, ainda, como filha de Circe e Hermes ou como irmã de Circe e filha de Hécata) e que foi, por algum tempo, esposa de Jasão. É uma das personagens mais terríveis e fascinantes da mitologia, ao envolver sentimentos contraditórios e profundamente cruéis, que inspiraram muitos artistas ao longo da história – na escultura, pintura, teatro, cinema, ópera…
Os mitos e personagens que envolvem Medeia têm sido classificados por alguns autores como narrativas e elementos-chave respeitantes ao limiar cultural e civilizacional que separa, por um lado o mundo primitivo das culturas pelásgicas dos xamãs, das divindades ctónicas, dos matriarcados arcaicos e da Deusa-mãe e, por outro, os novos desafios e paradigmas abertos pela Idade do Bronze. O mito de Medeia insere-se no ciclo narrativo dos Argonautas que nos chegou até hoje, de forma mais completa, na obra Argonautica de Apolónio de Rodes (século III a.C.) que se baseou em material disperso, a que tinha acesso na famosa biblioteca de Alexandria.




Deixe um comentário