peste

peste | s. f. | s. 2 g.
pes·te
(latim pestis, -is )
substantivo feminino

1. Doença epidémica grave, infecto-contagiosa , provocada por um bacilo, em que a pele é geralmente atacada de bubões ou de úlceras.

2. [Medicina]   [Medicina]   Doença que causa grande mortandade.

3. [Figurado]   [Figurado]   Mau cheiro. = FEDOR

4. Coisa perniciosa ou funesta.

5. O que corrompe ou destrói, física ou moralmente.

6. [Portugal, Informal]   [Portugal, Informal]   Pessoa irrequieta ou travessa (ex.: aquele garoto é uma peste!). = DIABRETE

7. [Informal]   [Informal]   Faísca eléctrica .substantivo de dois géneros

8. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Pessoa má.

não ser peste • Ser bonito ou agradável.

peste bubónica • [Medicina]   • [Medicina]   Doença epidémica altamente infecciosa causada pela bactéria Yersinia pestis, caracterizada por tumefacções ganglionares dolorosas.

peste negra • Designação dada à grande epidemia de peste, de tipo hemorrágico subcutâneo, que provocou grande mortandade na Europa Ocidental no século XIV.


substantivo feminino Doença contagiosa que, causando infecção, pode se manifestar como bubônica (tumores na pele), pulmonar ou septicêmica, sendo provocada pelo Basillus pestis e transmitida ao homem pela pulga do rato.
Epidemia que causa um número excessivo de mortes.
Toda forma de corrupção moral ou física.
Algo mórbido, funesto, que lembra a morte.
Fedor; cheiro horrível e insuportável.
[Por Extensão] Pestilência; qualquer mal que pode ser contagioso.
substantivo masculino e feminino [Brasil] Informal. Pessoa que gosta de criar confusão; quem é malcriado e mal-humorado: aquele vizinho é uma peste.
Peste bubônica. Peste caracterizada pelo aparecimento de dores generalizadas, inchaço nos gânglios linfáticos, bubões e febre, lenvado à infecção generalizada.
Peste negra. Peste que matou grande parte da população européia, durante a Idade Média, definida por manchas negras na pele.
Etimologia (origem da palavra peste). Do latim pestis.is.


Peste é uma doença infeciosa causada pela bactéria Yersinia pestis. Existem três formas principais: peste bubónica, peste septicémica e peste pneumónica. Os sintomas mais comuns são febre, fraqueza e dor de cabeça. Os sintomas geralmente começam-se a manifestar de um a sete dias após exposição à bactéria. Na forma bubónica é também comum o aumento de volume dos gânglios linfáticos, enquanto na forma septicémica os tecidos podem tornar-se pretos e morrer, e a forma pneumónica pode ser acompanhada por falta de ar, tosse e dor no peito.As pestes bubónica e septicémica são geralmente transmitidas pela picada de pulgas ou pelo manuseio de um animal infetado. A peste pneumónica é geralmente transmitida entre pessoas por via aérea através de gotículas infetadas. O diagnóstico é geralmente realizado pela deteção da bactéria em amostras de líquido de um gânglio linfático, sangue ou escarro.As pessoas em maior risco podem ser vacinadas. As pessoas expostas a um caso de peste pneumónica pode ser tratadas com medicação preventiva. Quando a pessoa é infetada, o tratamento consiste na administração de antibióticos e cuidados de apoio. Geralmente os antibióticos incluem uma associação entre gentamicina e uma fluoroquinolona. Com tratamento, o risco de morte é de cerca de 10%, enquanto sem tratamento é de cerca de 70%.Todos os anos são reportados cerca de 600 casos da doença. Em 2017 os países com o maior número e casos foram a República Democrática do Congo, Madagáscar e o Perú. Nos Estados Unidos ocorrem infeções ocasionais em áreas rurais, onde é possível que a bactéria circule entre roedores. Ao longo da História a peste esteve na origem de vários surtos de grande dimensão, dos quais o mais conhecido é a Peste negra no século XIV que causou mais de 50 milhões de mortos.
== Referências ==


Deixe um comentário