pião

pião píon | s. m. pião | s. m.
pi·ão pí·on 2
(inglês pion, de pi meson, mesão pi )
nome masculino

[Física]   [Física]   Cada um dos três tipos de partículas mais leves da família dos mesões .Plural: píones ou píons. Plural: piões.Confrontar: peão.
• Grafia no Brasil: píon. • Grafia no Brasil: píon. • Grafia em Portugal:pião. • Grafia em Portugal:pião.
pi·ão pi·ão 1
(alteração de peão, do latim medieval pedo, -onis, que tem pés grandes, que vai a pé )
nome masculino

1. Objecto de madeira, metal ou plástico de forma cónica , com um bico (ferrão), que serve para jogo ou brincadeira.

2. [Jogos]   [Jogos]   Jogo em que se lança esse objecto para o fazer rodar. (Equivalente no português do Brasil: finca.)

3. [Militar]   [Militar]   Flanco sobre o qual rodam as tropas.

4. [Portugal]   [Portugal]   Inversão violenta do sentido da marcha de um automóvel ou de um avião durante a aterragem . (Equivalente no português do Brasil: cavalo-de-pau .)

5. Movimento acrobático rotativo apoiado na cabeça.

6. Estrutura à volta da qual se constrói uma escada de caracol.

7. [Brasil]   [Brasil]   Estaca, mourão.

8. [Regionalismo]   [Regionalismo]   Marco, geralmente de pedra, levantado à entrada de ruas, em passeios ou à esquina das casas para impedir a passagem ou estacionamento de veículos. = FRADE

9. Eixo do moinho de vento.

apanhar o pião à unha • Aproveitar uma oportunidade.

fazer (um) pião • Rodar sobre si mesmo.

pião das nicas • Indivíduo em quem todos mandam e a quem todos responsabilizam; bode expiatório.Plural: piões. Plural: piões.Confrontar: peão.


substantivo masculino Brinquedo de madeira ou de metal, em formato cônico, com ponta, o qual se lança ao chão e se faz girar por meio de um barbante enrolado nele, ou por efeito de pressão sobre uma mola.
Parte central do interior de uma escada caracol; eixo dessa escada.
[Esporte] Giro no chão do capoeirista que está com o corpo apoiado na cabeça.
[Mecânica] Eixo ao redor do qual uma peça pode girar.
[Botânica] Arbusto tropical da família das euforbiáceas, com flores usadas como ornamento, inflorescências avermelhadas, com sementes a partir das quais é possível extrair um óleo proteico, usado como purgante; pinhão-de-purga.
Etimologia (origem da palavra pião). De origem questionável.


Pião (ou pinhão, como é chamado em algumas partes do Brasil, em corruptela de pião; xindire, em Maputo; n’teco, em Nampula e mbila, no Niassa, em Moçambique) é o nome dado em português aos vários tipos de brinquedo que consistem, na brincadeira clássica e antiga, em puxar uma corda enrolada a um objecto afunilado, geralmente de madeira ou plástico e com uma ponta de ferro, colocando-o em rotação no solo, mantendo-se erguido. Atualmente, há novos materiais para piões e esses materiais permitem girá-los sem a utilização de uma corda. Nos piões mais antigos, a corda é o intermerdiário que transmite a força motriz dos braços, fazendo girar o pião em movimentos circulares em torno do próprio eixo que, em equílibro, gira (por causa da inércia) até perder sua força e parar.
Os piões mais simples são feitos de plástico ou de madeira e giram apenas com a força dos dedos (sem o auxílio e cordas ou molas), até pararem devido ao atrito com a superfície. Quanto mais rápido o pião estiver girando, mais equilibrado ele fica. Dependendo da superfície o pião pode não girar corretamente.
Ao longo da história, seu uso vem variando da mais simples brincadeira de criança até instrumento de adivinhação e xamanismo. De fato, acredita-se que esta brincadeira (jogo), de origem arcaica, está associada com rituais de adivinhação e interpretação de presságios em certas épocas do ano, utilizando-se o pião para recriar o movimento dos astros, dando possivelmente como fruto a perinola.Para as comunidades hispânicas (e também do Japão e anglófonas) existe uma ligeira variante do pião, chamada de trompo, na verdade o mesmo pião com um corpo mais bojudo, cuja nomenclatura pode variar segundo o lugar e a época. Existem também múltiplas denominações derivadas do termo “pião”, consideradas incorretas em espanhol. Nos países lusófonos, entretanto, é adotado o termo pião para designar este brinquedo.
Foi um dos brinquedos mais populadores e difundidos na América Latina e no sul da Espanha, sendo substituído gradativamente por jogos/brinquedos das novas gerações. Sem dúvida, na tentativa de subsistir a tradição, os fabricantes de piões revolucionaram o conceito: atualmente encontram-se piões impulsionados por molas e métodos de fricção diferentes da corda. Novos modelos de piões, como o Beyblade e o Levitron, ainda possuem certa vigência no mercado e tem se desenvolvido uma estrutura em torno deles que vão das tradicionais brincadeiras até elaboradas competições freestyle (estilo livre).