piolho




piolho | s. m.
pi·o·lho |ô| pi·o·lho |ô|
substantivo masculino

1. [Entomologia]   [Entomologia]   Insecto sem asas, parasita externo do homem e de outros mamíferos, aos quais suga o sangue.

2. [Botânica]   [Botânica]   Planta esmilacácea do Brasil.

3. Prego miúdo usado pelos sapateiros.Plural: piolhos |ô|. Plural: piolhos |ô|.


substantivo masculino Pequeno inseto que suga a seiva de plantas ou o sangue de animais. Os piolhos são parasitos de animais e vegetais. Três tipos de piolhos parasitam a espécie humana, o piolho-da-cabeça, o piolho-do-corpo e o piolho-do-púbis. Os piolhos-do-corpo são os principais transmissores, para o homem, do tifo exantemático. O tifo exantemático, causado por uma rickettsia, transmitida pelo piolho, é uma doença febril aguda, altamente infecciosa e epidêmica. Além do tifo exantemático, os piolhos são transmissores da febre recorrente e causadores de uma dermatite irritante, a pediculose. Os piolhos-do-púbis, vulgarmente conhecidos como chatos, afetam a região das virilhas e do púbis, assim como, mais raramente, as axilas, o tórax, os cílios e os supercílios.


A Ordem Phthiraptera (do grego phthirus=achatado; a=sem; ptera=asas), estabelecida por Haeckel em 1896 , é constituída por insetos pequenos, com aproximadamente de 0,5 a 8 mm de comprimento, popularmente conhecidos como piolhos. São ectoparasitas obrigatórios de aves e mamíferos, inclusive marinhos, como focas e leões marinhos, com alta especificidade parasitária: a maioria das espécies ocorre apenas em uma única espécie de hospedeiro. Há cerca de 5000 espécies no mundo e 900 no Brasil, sendo que apenas 20 ou 30 apresentam importância econômica relevante. São distribuídos em quatro subordens: Amblycera, Ischnocera, Rhyncophthirina e Anoplura.Os piolhos possuem corpo achatado dorsoventralmente, pernas robustas e garras que agarram firmemente os pelos, cabelos ou penas, são desprovidos de ocelos e asas (são secundariamente ápteros) e a coloração do corpo varia de bege claro a cinza escuro, mas eles podem ficar mais escuros após se alimentarem. Os olhos, rudimentares, e palpos maxilares podem estar presentes ou ausentes e as antenas têm de três a cinco artículos dependendo das subordens.São apterigotos, dióicos e hemimetábolos, o que significa que do ovo eclode uma ninfa, fase juvenil muito semelhante ao adulto que passará por mudas antes de chegar à fase adulta.
Os piolhos são muito dependentes da temperatura e umidade próximas da pele hospedeira, sendo às vezes restritos a parasitar determinadas regiões do corpo. Tanto os piolhos das aves, quanto dos mamíferos não vivem muito tempo fora do corpo do seu hospedeiro ou após a morte desse, já que o calor do corpo do animal parasitado é indispensável à sua sobrevivência, o que dificulta seu cultivo in vitro.
Eles podem ser exclusivamente hematófagos, como os anopluros, ou se alimentarem de penas, descamações, secreções, sangue exposto no hospedeiro (machucados por exemplo), outros artópodes, como, ácaros, ou suas próprias exúvias.Os piolhos de humanos, do gênero Pediculus, conhecidos no Brasil como muquirana, mucana, piolho da cabeça e do corpo, e do gênero Phthirus, chato ou piolho-caranguejo, são da subordem Anoplura. São cosmopolitas, ou seja, estão presentes em todos os continentes, e são importantes vetores de doenças como o tifo, febre recorrente e febre da trincheira.Os piolhos mastigadores, pertencentes às outras três subordens, são pragas importantes de animais domésticos e de interesse econômico, especialmente aves, cachorros, gado, cavalos e porcos, causando irritação, inquietação e feridas na pele, o que leva a comportamentos de má alimentação, diminuindo o ganho de peso e produção de leite e ovos. O controle dos piolhos é feito pelo uso de pesticidas.