rena

rena | s. f.
re·na |ê| re·na |ê|
nome feminino

1. [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero ruminante da família dos cervídeos que vive na Sibéria, na Escandinávia, na Gronelândia e no Canadá.

2. O mesmo que rangífer. (A rena atinge 1,50 m de altura. As suas pontas ramificam-se em esgalhos achatados, que lhe servem para descobrir debaixo da neve os líquenes de que se alimentam. Os lapões e os esquimós empregam-na para puxar trenós e utilizam o seu sangue, a carne, o leite, as pontas e o couro.)


substantivo feminino Mamífero ruminante da família dos cervídeos que vive no norte da Europa e da Ásia, na Groenlândia e no Canadá, aparentado com o caribu.
Pode ser domesticada e tornou-se muito valiosa nas regiões árticas. A rena e o caribu diferem dos outros membros da família porque têm cascos profundamente fendidos e grandes, focinho peludo e galhos bastante largos, que existem tanto no macho como na fêmea. A rena atinge 1,50 m de altura e pesa em torno de 140kg. Seus chifres têm esgalhos achatados, em forma de palheta, que lhe facilitam a tarefa de escavar na neve os líquens de que se alimenta. Provavelmente por ser menor e ter as pernas mais curtas que o caribu, o homem a escolheu como animal próprio para ser domesticado.


Rena (Rangifer tarandus; do nórdico antigo hreinn pelo francês renne) ou caribu (na América do Norte) é um cervídeo de grande porte que habita a tundra e florestas boreais da Groenlândia, Escandinávia, Rússia, Alasca e Canadá. Se divide em dois ecotipos (a da tundra e a da floresta); a primeira anualmente migra cerca de 5 000 quilômetros entre a tundra e floresta em grandes manadas de mais de meio milhão de animais, enquanto a segunda é bem menos numerosa. Na Europa, foi domesticada.Os machos atingem 1,2 metro de altura e excedem 250 quilos, enquanto as fêmeas são um pouco menores. Seus cascos são muito fechados e as permitem andar na neve e em solo macio, bem como são boas nadadoras. Sua pelagem é esbranquiçada no inverno e marrom no verão e seus pelos são ocos, o que aumenta suas propriedades isolantes. Seus chifres podem ter 44 pontos e crescer até 1,4 metro de comprimento nos machos. É a única espécie de cervídeo em que as fêmeas também tem chifres.




Deixe um comentário