sansimonismo

sansimonismo

Outras sugestões: sandinismo sincronismo santimonial anexionismo anacronismo sensacionismo sanscritismo santimoniais sansimonismos (norma brasileira)


substantivo masculino Doutrina de Saint-Simon e de seus discípulos, principalmente Enfantin e Bazard.
A doutrina preconiza o coletivismo, que garantirá a retribuição “a cada um conforme suas capacidades, a cada capacidade conforme suas obras”, e critica a propriedade privada porque conduz a uma organização anárquica da produção e consagra a exploração do homem pelo homem. A escola sansimoniana degenerou em verdadeira seita religiosa. Divididos em suas opiniões, condenados pelos tribunais, os sansimonistas dispersaram-se em 1833. É de importância acentuar a participação ativa que tiveram na administração econômica da França, após a dispersão da escola, diversos sansimonistas (sobretudo os irmãos Pereire e Enfantin).


O sansimonismo, saint-simonismo ou saint-simonianismo foi o movimento ideológico com fins políticos fundado pelos seguidores do socialista aristocrático Henri de Saint-Simon após a morte deste em 1825. Na França, constituiu a primeira experiência prática de socialismo, ainda que se discuta se suas propostas foram realmente socialistas. Sua influência estendeu-se fora da França e atingiu praticamente a todo o planeta, se apresentando não tanto como um «movimento socialista ou social como quanto agrupamento técnico-político, com objetivos reformistas, metas financeiras e místico-filosóficas não demasiado definidas».As ideias de Saint-Simon, expressas em grande parte através de uma sucessão de periódicos como l’Industrie (1816), La politique (1818) e L’Organisateur (1819–20) focavam na percepção de que o crescimento da industrialização e da descoberta científica trariam mudanças profundas na sociedade. Ele acreditava que a sociedade se reestruturaria abandonando as ideias tradicionais de poder temporal e espiritual, uma evolução que levaria, inevitavelmente, a uma sociedade produtiva baseada em e se beneficiando de uma “… união de homens engajados em trabalho útil”; a base da “verdadeira igualdade”.As primeiras publicações de Saint-Simon, como sua Introduction aux travaux scientifiques du XIXe siècle (Introdução às descobertas científicas do século XIX) (1803) e o Mémoire sur la science de l’homme (Notas sobre o estudo do homem) (1813), (a última das quais é um elogio a Napoleão), demonstra sua fé na ciência como um meio de regenerar a sociedade. Em seu ensaio de 1814, De la reorganisation of the société européenne (Sobre a reorganização da sociedade europeia), escrito em colaboração com seu então secretário Augustin Thierry, Saint-Simon parece ter previsto a União Europeia, esperando, no entanto, que a Inglaterra assumisse a liderança em formar um continente compartilhando as mesmas leis e instituições. Durante sua última década, Saint-Simon concentrou-se em temas de economia política. Juntamente com Auguste Comte, (então apenas adolescente), Saint-Simon projetou uma sociedade que contornase as mudanças da Revolução Francesa, na qual a ciência e a indústria tomariam o poder moral e temporal da teocracia medieval. Porém, em seu último trabalho, Le Nouveau Christianisme (O Novo Cristianismo) (1825), Saint-Simon voltou às ideias mais tradicionais de renovar a sociedade por meio do amor fraternal cristão. Ele morreu logo após a sua publicação.