seda

seda | s. f. | s. f. pl. sedã | s. m. 3ª pess. sing. pres. ind. de sedar 2ª pess. sing. imp. de sedar
se·da |ê| se·da |ê|
(latim saeta, -ae ou seta, -ae )
nome feminino

1. Fio delgado e brilhante produzido pela larva do bicho-da-seda para construir o casulo que a envolve.

2. Tecido feito com esse fio.

3. [Botânica]   [Botânica]   Pêlo rijo dos invólucros florais das gramíneas.

4. [Zoologia]   [Zoologia]   Cada um dos pêlos ásperos e compridos de certos animais. (Mais usado no plural.) = CERDA

5. [Zoologia]   [Zoologia]   Estrutura quitinosa, encontrada sobretudo em anelídeos e artrópodes, com funções locomotoras ou tácteis . = CERDA

6. Pequena fenda em instrumentos metálicos, pela qual ordinariamente se partem.
sedasnome feminino plural

7. [Popular]   [Popular]   Trajes de seda.

seda de fantasia • Fio ou tecido que é feito de anafaia e dos casulos destramados.
se·dã se·dã
(inglês sedan )
nome masculino

[Automóvel]   [Automóvel]   Veículo automóvel com carroçaria coberta, lugares à frente e atrás e quatro portas para passageiros e uma mala grande para transportar bagagens. = BERLINA
se·dar se·dar – Conjugar
verbo transitivo

Moderar; acalmar; assedar.


substantivo feminino Fio fino e macio, produzido pela larva do bicho-da-seda (Bombix moris) e de outros insetos que se encasulam na fase larvar.


A seda é uma fibra proteica usada na indústria têxtil obtida a partir dos casulos do Bombyx mori (bicho-da-seda).
A fibra de seda natural é um filamento contínuo de proteína, produzido pelas lagartas de certos tipos de mariposas, sendo uma das matérias-primas mais caras. As lagartas expelem através das glândulas o líquido da seda (a fibroína) envolvido por uma goma (a sericina), os quais se solidificam imediatamente quando em contato com o ar.
A seda é utilizada para se produzir tecidos leves, brilhantes e macios. Os tecidos são usados em camisas, vestidos, blusas, gravatas, xales, luvas etc. A seda tem uma aparência cintilante, devido à estrutura triangular da fibra, parecida com um prisma, que refrata a luz.
Em 3600 aC, a seda tem sua primeira aparição na China. Acredita-se que os chineses começaram a produzir seda por volta do ano 2700 a.C.. Reza a lenda que a imperatriz Si Ling Chi descobriu a seda quando um casulo de bicho-da-seda caiu de uma amoreira dentro de sua xícara de chá. Depois de experimentar algumas vezes, ela, finalmente, conseguiu tecer o filamento da seda em um pedaço de tecido.
A seda era considerada a mais valiosa mercadoria da China e gerou a famosa rota da Seda, a mais importante rota comercial da época. A manufatura da seda era um segredo de estado, muito bem guardado até o ano 300, quando se tornou conhecida na Índia. Ou seja: 3.000 anos após sua descoberta pelos chineses.




Deixe um comentário