bookmark_borderO que é humilhação

humilhação | s. f. derivação fem. sing. de humilhar
hu·mi·lha·ção
(humilhar + -ção )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de humilhar ou humilhar-se.

2. Vergonha; rebaixamento.
hu·mi·lhar hu·mi·lhar – Conjugar
(latim humilio, -are, abaixar, abater )
verbo transitivo

1. Tornar humilde.

2. Rebaixar, vexar.

3. Tratar desdenhosamente a.

4. Abater, submeter.verbo pronominal

5. Mostrar humildade.

6. Submeter-se; render-se; prostrar-se.


substantivo feminino Ação em que alguém humilha, rebaixa, diminui o valor de outra pessoa ou coisa; rebaixamento moral; afronta, diminuição.
Quem teve sua honra ou dignidade ofendida; desonra, vergonha.
Ação em que uma pessoa é diminuída numa escala hierárquica.
Ato que resulta em obediência; abatimento, submissão.
Etimologia (origem da palavra humilhação). Humilhar + ção.


Humilhação é, literalmente, o ato de ser tornado humilde, ou seja alguém que se tornou humilde perante outro ser de devida superioridade, logo, humilhação não é o mesmo que chamar o outro de menos esperto, por exemplo. Tem muito em comum com a emoção da vergonha. A humilhação não é, geralmente, uma experiência agradável, visto que costuma diminuir a autoestima da pessoa que sofreu a humilhação.
No livro a Linguagem do Deuses, de Antônio Carlos Farjani, humildade provém também da palavra humus, relativo à terra. “A fórmula latina homo-humus-humilis é altamente esclarecedora: assim como o universo advém do Caos e a ele retorna no final de cada ciclo, o homem, produto da terra, a ela retornará no fim da sua existência, quando então será ‘humilhado’, isto é, baixado ao húmus, por ocasião de seu sepultamento, e passará a fazer parte do elemento fértil subjacente ao solo. Do ponto de vista esotérico, esse retorno ao seio da terra não coincide com a morte do corpo, mas com a morte do eu profano ocorrida na iniciação. Descer ao húmus, nesse contexto, equivale a descer ao Hades, ou seja, os Infernos ou o Reino dos Mortos; essa ‘descida’ é feita em vida pelo iniciado, e consiste numa viagem interior.”


bookmark_borderO que é preconceito

preconceito | s. m.
pre·con·cei·to
(pre- + conceito )
substantivo masculino

1. Ideia ou conceito formado antecipadamente e sem fundamento sério ou imparcial.

2. Opinião desfavorável que não é baseada em dados objectivos . = INTOLERÂNCIA

3. Estado de abusão, de cegueira moral.

4. Superstição.


substantivo masculino Juízo de valor preconcebido sobre algo ou alguém; prejulgamento.
Opinião ou pensamento acerca de algo ou de alguém, construída a partir de análises sem fundamento, conhecimento nem reflexão.
Repúdio demonstrado ou efetivado através da discriminação de grupos religiosos, pessoas, ideias; refere-se também à sexualidade, à raça, à nacionalidade etc.; intolerância: o racismo, a xenofobia, a homofobia são tipos de preconceito.
Comportamento que demonstra esse repúdio ou aversão.
Convicção fundamentada em crenças ou superstições; cisma.
Forma de pensamento em que uma pessoa chega a conclusões que entram em conflito com os fatos por os ter prejulgado.
Etimologia (origem da palavra preconceito). Pré + conceito.


Preconceito é uma opinião desfavorável que não é baseada em dados objetivos, mas que é baseada unicamente em um sentimento hostil motivado por hábitos de julgamento ou generalizações apressadas. A palavra também pode significar uma ideia ou conceito formado antecipadamente e sem fundamento sério ou imparcial. O preconceito pode ocorrer para com uma pessoa ou um grupo de pessoas de determinada afiliação política, sexo, género, crenças, valores, classe social, idade, deficiência, religião, sexualidade, identidade de género, raça/etnia, linguagem/língua, nacionalidade, beleza, ocupação, educação, criminalidade, apoio a uma equipa desportiva ou outras características pessoais. Neste caso, refere-se a uma avaliação positiva ou negativa de outra pessoa baseada na perceção da associação de grupo dessa pessoa.Gordon Allport definiu preconceito como um «sentimento, favorável ou não, para com alguém ou algo anterior a, ou não baseada na verdadeira experiência». Auestad (2015) define preconceito como caracterizado pela transferência simbólica, transferência de um conteúdo de significado carregado de valor a uma categoria formada socialmente e então a indivíduos que são considerados pertencentes a tal categoria, resistência a mudança e sobregeneralização.


bookmark_borderO que é bullying

bullying | s. m.
bullying |búlingue|
(palavra inglesa )
nome masculino

Conjunto de maus-tratos, ameaças, coacções ou outros actos de intimidação física ou psicológica exercido de forma continuada sobre uma pessoa considerada fraca ou vulnerável.


substantivo masculino Forma de violência que, sendo verbal ou física, acontece de modo repetitivo e persistente, sendo direcionada contra um ou mais colegas, caracterizando-se por atingir os mais fracos de modo a intimidar, humilhar ou maltratar os que são alvos dessas agressões.
Etimologia (origem da palavra bullying). Do inglês bullying.


Bullying (inglês) é o uso de força física, ameaça ou coerção para abusar, intimidar ou dominar agressivamente outras pessoas de forma frequente e habitual. Um pré-requisito é a percepção, pelo intimidador ou por outros, de um desequilíbrio de poder social, político ou físico, o que distingue o bullying do conflito. Os comportamentos usados para afirmar dominação podem incluir assédio verbal ou ameaça, abuso físico ou coerção, e tais atos podem ser direcionados repetidamente contra alvos específicos. As justificativas para tal comportamento às vezes incluem diferenças de classe social, raça, religião, gênero, orientação sexual, aparência, comportamento, linguagem corporal, personalidade, reputação, linhagem, força, tamanho ou habilidade. O bullying feito por um grupo de pessoas, é chamado assédio moral .Uma cultura de bullying pode se desenvolver em qualquer contexto em que humanos interajam uns com os outros. Isso inclui a escola, a família, o local de trabalho etc. Os websites de redes ou mídias sociais costumam ser uma plataforma para o bullying.No Brasil, a Lei n. 13.195/2015 refere-se ao bullying como intimidação sistemática.


bookmark_borderO que é abuso

abuso | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de abusar
a·bu·so
(latim abusus, -us )
nome masculino

1. Mau uso.

2. Uso excessivo. = EXCESSO

3. Desmando, desregramento.
a·bu·sar a·bu·sar – Conjugar
(latim eclesiástico abusari )
verbo transitivo

1. Usar ou consumir de forma excessiva, errada ou inconveniente (ex.: ele abusa dos calmantes).

2. Ter relações sexuais com alguém sem o seu consentimento (ex.: foi acusado de abusar da rapariga).

3. [Brasil]   [Brasil]   Insultar.verbo transitivo e intransitivo

4. Agir de forma a servir apenas os próprios interesses, mesmo se prejudicando outrem.
Ver também dúvida linguística: abusar de / ser abusado.


substantivo masculino Uso mau, excessivo ou injusto: fazer abuso da própria força.
Ausência de justiça, ordem; injustiça, desordem, excesso: cometem-se muitos abusos.
Transgressão de bons costumes: seu comportamento aqui em casa é um abuso!
Algo, situação ou circunstância que causa aborrecimento; desgosto.
Excesso de comida ou de bebida: foi internado por abuso de substâncias ilícitas.
expressão Abuso sexual de menores. Exploração do corpo e da sexualidade de crianças e adolescentes, efetivada através da força ou de outro meio de coerção, que um adulto usa para envolver crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias.
Abuso de autoridade. Ato de um funcionário que vai além de suas atribuições.
Abuso de confiança. Ação de abusar da confiança de alguém.
Abuso de direito. Ação que consiste em ultrapassar os limites consignados ao exercício de um direito.
Etimologia (origem da palavra abuso). Do latim abusus, “uso excessivo de algo”.


Abuso (do termo latino abusu) indica um comportamento inadequado, excessivo, contrário aos costumes e à harmonia. Em sentido estrito, refere-se a abuso sexual.


bookmark_borderO que é escravidão

escravidão | s. f.
es·cra·vi·dão
substantivo feminino

1. Estado de escravo; cativeiro.

2. [Figurado]   [Figurado]   Servidão; sujeição; falta de liberdade.


substantivo feminino Circunstância em que se encontra o escravo; condição da pessoa que serve; servidão: a escravidão é inconstitucional.
Governo ou sistema que se baseia na escravização de indivíduos; escravismo.
Que se sujeita ou tende a se sujeitar a um poder arbitrário (déspota); sujeição: a escravidão no Brasil.
P.met. Estado da pessoa que está completamente dependente de um amor, de uma paixão, de um hábito ou vício: a escravidão do álcool.
[Por Extensão] Tudo aquilo que pode estar relacionado com o que causa certo constrangimento (vergonha): seu trabalho sempre foi uma escravidão.
Etimologia (origem da palavra escravidão). Escravo + (i)dão.


A escravidão (denominada também de escravismo, escravagismo ou escravatura) é a prática social em que um ser humano assume direitos de propriedade sobre outro designado por escravo, imposta por meio da força. Em algumas sociedades, desde os tempos mais remotos, os escravos eram legalmente definidos como uma mercadoria ou como despojos de guerra. Os preços variavam conforme as condições físicas, habilidades profissionais, idade, procedência e destino.
O dono ou comerciante pode comprar, vender, dar ou trocar por uma dívida, sem que o escravo possa exercer qualquer direito e objeção pessoal ou legal, mas isso não é regra. Não era em todas as sociedades que o escravo era visto como mercadoria: na Idade Antiga, haja vista que os escravos de Esparta, os hilotas, não podiam ser vendidos, trocados ou comprados, isto pois ele eram propriedade do Estado espartano, que podia conceder a proprietários o direito de uso de alguns hilotas; mas eles não eram propriedade particular, não eram pertencentes a alguém, o Estado que tinha poder sobre eles. A escravidão da era moderna está baseada num forte preconceito racial, segundo o qual o grupo étnico ao qual pertence o comerciante é considerado superior. Embora já na Antiguidade as diferenças étnicas fossem bastante exaltadas entre os povos escravizadores, principalmente quando havia fortes disparidades fenotípicas. Na antiguidade também foi comum a escravização de povos conquistados em guerras entre nações.
Enquanto modo de produção, a escravidão assenta na exploração do trabalho forçado da mão de obra escrava. Os senhores alimentam os seus escravos e apropriam-se do produto restante do trabalho destes. A exploração do trabalho escravo torna possível a produção de grandes excedentes e uma enorme acumulação de riquezas, e contribuiu para o desenvolvimento econômico e cultural que a humanidade conheceu em dados espaços e momentos: grandes construções como diques e canais de irrigação, castelos, pontes e fortificações, exploraram-se minas e florestas, desenvolveu-se a agricultura em larga escala, abriram-se estradas, desenvolveram-se as artes e as letras.
Nas civilizações escravagistas, não era pela via do aperfeiçoamento técnico dos métodos de produção (que se verifica com a Revolução Industrial) que os senhores de escravos procuravam aumentar a sua riqueza. Os escravos, por outro lado, sem qualquer interesse nos resultados do seu trabalho, não se empenhavam na descoberta de técnicas mais produtivas. Atualmente, apesar de a escravidão ter sido abolida em quase todo o mundo, ela ainda continua existindo de forma legal no Sudão e de forma ilegal em muitos países, sobretudo na África e em algumas regiões da Ásia.


bookmark_borderO que é intimidação

intimidação | s. f. derivação fem. sing. de intimidar
in·ti·mi·da·ção
(intimidar + -ção )
nome feminino

Acto ou efeito de intimidar. ≠ DESINTIMIDAÇÃO
in·ti·mi·dar in·ti·mi·dar – Conjugar
(latim tardio intimido, -are )
verbo transitivo e pronominal

1. Inspirar ou sentir receio, medo ou temor. = AMEDRONTAR, ASSUSTAR, ATEMORIZAR ≠ ANIMAR

2. Causar ou sentir acanhamento, timidez. = ACANHAR, CONSTRANGER, ENVERGONHAR, INIBIR ≠ DESACANHAR, DESINIBIR

Antónimo Antônimo Geral: DESINTIMIDAR


substantivo feminino Ação ou efeito de intimidar(-se); ação de fazer com que (alguém) se sinta amedrontado.
Etimologia (origem da palavra intimidação). Intimidar + ção.


Intimidação é o ato de fazer com que outros façam o que alguém quer, através do medo. A intimidação é a resultante do desajuste da compulsão competitiva normal de dominância inter-relacional, geralmente vista em animais, mas que é mais completamente modulada por forças sociais em seres humanos.