bookmark_borderO que é corola

corola | s. f.
co·ro·la |ó| co·ro·la |ó|
(latim corolla, -ae, pequena coroa, grinalda )
substantivo feminino

[Botânica]   [Botânica]   Receptáculo dos estames e do pistilo das flores.


substantivo feminino [Botânica] Verticilo das flores composto pelas pétalas, situado à volta dos estames e do pistilo.
Etimologia (origem da palavra corola). Do latim corolla.


Corola (do termo latino corolla, “pequena flor”) é o nome dado ao verticilo interno do perianto da flor, quase sempre vistoso. Está associada à proteção do androceu e do gineceu e à atração e seleção dos polinizadores. O conceito pode ser definido de forma mais sintética e simplista como o conjunto de folhas modificadas de uma flor (pétalas). As pétalas costumam estar dispostas livres entre sí ou fusionadas às outras. Quando fusionadas, a porção estreita basal recebe o nome de “tubo”, a porção superior livre “limbo”, e a abertura “fauce”.Estão presente apenas em angiospermas.


bookmark_borderO que é rizoide

Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pré-Acordo Ortográfico).

Será que queria dizer?

rizó ide rizoide (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
Outras sugestões: rizóides rizo ide reside ragóide rispidez ressolde retoice ragoide (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico) rasoire (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira, na grafia pré-Acordo Ortográfico) reoxide (norma brasileira) repoise (norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico) rizoides (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico e norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino Pêlo unicelular, fixador e absorvente, dos vegetais não vasculares (algas, liquens) e dos prótalos dos fetos.


Rizoide (ou rizóide) é a designação dada em botânica e ficologia aos órgãos das plantas, algas e musgos, que exercem as funções de raiz sem terem a estrutura das raízes das plantas vasculares. No caso das macroalgas os rizoides são por vezes designados por crampons, especialmente quando discoides, sendo que nalgumas espécies existe um sistema rizoidal extenso que permite que a alga se ancore ao substrato arenoso do qual pode absorver nutrientes. As espécies microscópicas de flutuação livre não apresentam rizóides.


bookmark_borderO que é ritidoma

ritidoma | s. m.
ri·ti·do·ma
(grego rhutídoma, -atos, ruga )
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   Conjunto das camadas externas de tecidos mortos dos caules e das raízes das árvores (ex.: a cortiça é o ritidoma do sobreiro e a corcódea o ritidoma do pinheiro).


substantivo masculino [Botânica] Conjunto dos tecidos na periferia do líber; tecido morto que se esfolia por placas na casca de certas árvores tais como o plátano.


Ritidoma é a designação dada às porções mais velhas do súber que vão se destacando da superfície dos troncos das plantas lenhosas, constituindo a sua camada mais externa. É camada exterior, constituída por células mortas, da casca das árvores e outras plantas lenhosas(xilema).
O ritidoma é um estrato externo e epidérmico, formado por tecido morto, colocado sobre o denominado entrecasco, a parte mais interna da casca da árvore, formado por tecido vivo, mole e húmido, capaz de conduzir a seiva elaborada.
O ritidoma protege os tecidos mais novos dos excesso de evaporação e de outros agentes deletérios do ambiente. O ritidoma acaba por rachar e cair, já que sendo um tecido morto não se regenera. Nas plantas adaptadas a ambientes onde os fogos são frequentes, o ritidoma é espessado, funcionando como isolante térmico e como barreira contra a perda excessiva de água.
O ritidoma de algumas espécies tem interesse comercial, como acontece com o sobreiro, cujo ritidoma é a cortiça, e o pinheiro, cujo ritidoma é a carrasca, utilizada como material combustível e de enchimento.


bookmark_borderO que é perianto

perianto | s. m.
pe·ri·an·to
nome masculino

[Botânica]   [Botânica]   Invólucro exterior da flor.


substantivo masculino [Botânica] Conjunto dos envoltórios florais (cálice e corola).


Perianto é o grupo de invólucros da flor, isto é, o conjunto do cálice e da corola, que envolvem os órgãos de reprodução deste tipo de plantas.

Uma das funções do perianto é atrair insetos e pássaros, que desempenham um papel importante na polinização das flores.
Flores que não apresentam perianto são chamadas aclamídeas.
Flores que apresentam somente sépalas ou somente pétalas são monoclamídeas.
Flores que apresentam ambos são classificadas como diclamídeas.
Há casos em que sépalas e pétalas são morfologicamente idênticas,constituindo as tépalas.


bookmark_borderO que é cutina

cutina | s. f.
cu·ti·na
nome feminino

Substância impermeável resultante da celulose.


substantivo feminino Substância afim da celulose, constituinte da cutícula que reveste as folhas e outros órgãos dos vegetais.


A cutina é uma macromolécula, componente principal da cutícula das plantas terrestres. É um polímero formado por muitos ácidos gordos de cadeia longa, que estão unidos uns aos outros por ligações éster, criando uma rede rígida tridimensional.
A cutina é formada por ácidos gordos 16:0 e 18:1 (isto é, de 16 carbonos sem ligações duplas, e de 18 carbonos uma dupla ligação cis). A cadeia pode ter grupos hidroxilo ou epóxido, interiormente ou no extremo oposto ao grupo carboxilo.
A cutina é formada e segregada pelas células da epiderme.


bookmark_borderO que é tubérculo

tubérculo | s. m. | s. m. pl.
tu·bér·cu·lo
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Excrescência que se desenvolve numa parte qualquer de uma planta, mas principalmente na raiz, como na batateira.

2. [Patologia]   [Patologia]   Qualquer tumor arredondado, no interior dos tecidos e que é característico da tuberculose.
tubérculosnome masculino plural

3. Tuberculose.


substantivo masculino [Botânica] Parte grossa de um caule que cresce debaixo da terra.
A batata é o melhor exemplo de tubérculo. O tubérculo armazena alimentos, em geral amido, para a planta. Apresenta pequenas folhas escamosas e gemas minúsculas conhecidas como olhos. Esses olhos brotam, dando origem a novas plantas, que retiram seu alimento do tubérculo, até que as próprias raízes e folhas se formem.


Em botânica, tubérculo se refere ao caule arredondado que algumas plantas verdes desenvolvem abaixo da superfície do solo como órgãos de reserva de energia (em geral amido e inulina). Os exemplos mais conhecidos são as cenoura e batatas-inglesasSão usados ​​pelas plantas para sobreviver ao inverno ou meses mais secos, fornecendo energia e nutrientes durante a próxima estação de crescimento. Além disso servem como um meio de reprodução assexuada. Possui pequenas folhas escamosas e gemas minúsculas conhecidas como “olhos”. Esses “olhos” brotam, dando origem a novas plantas, que retiram seu alimento do tubérculo, até que as próprias raízes e folhas se formem.


bookmark_borderO que é elatério

elatério | s. m.
e·la·té·ri·o
nome masculino

1. [Botânica]   [Botânica]   Planta cucurbitácea (Ecballium elaterium), nativa da região mediterrânica e de algumas zonas temperadas asiáticas, de folhas triangulares e flores amareladas, com propriedades medicinais. = PEPINO-BRAVO

2. Fruto deiscente plurilocular dessa planta, que na época da maturação se abre, lançando fora os esporos.

3. Purgativo enérgico extraído do elatério.

4. [Botânica]   [Botânica]   Tubo deiscente de algumas hepáticas.


substantivo masculino [Farmácia] Substância depositada no suco do pepino-de-são-gregório.
[Botânica] Filamento espiralado que se encontra no interior dos corpos de frutificação dos Mixomicetes e dos esporogônios das Hepáticas. Tem função na distribuição de alguns produtos, como, p ex, de espórios.
Etimologia (origem da palavra elatério). Élater + io.


Elatério é um termo usado em botânica, com vários significados. A palavra deriva do grego elatérion, pelo latim elateriu. São estruturas parecidas com o formato do DNA, encontradas no interior dos esporângios, auxiliam na dispersão dos esporos amadurecidos, arremessando-os à distância.


bookmark_borderO que é espique

espique | s. m.
es·pi·que
nome masculino

1. Caule das palmeiras e dos fetos arbóreos.

2. Estipe.

3. Pedúnculo dos fungos.

4. Resina do espicanardo.

5. Salgadeira (arbusto).


substantivo masculino [Botânica] Caule lenhoso das plantas monocotiledôneas, especialmente das palmeiras.


Espique, estipe ou estipa (do latim stipes) é o termo utilizado em botânica, ficologia e micologia para designar a estrutura peduncular ou haste que suporta uma estrutura anatómica distinta, sendo o significado preciso diferente consoante grupo taxonómico a que esteja a ser aplicado o termo.


bookmark_borderO que é floema

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. fleuma fluem floram poema forma floria fonema flora fleima (norma brasileira) floreja (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo masculino [Botânica] Tecido complexo no sistema vascular de plantas superiores, que consiste sobretudo em tubos crivosos e células companheiras e comumente também em fibras e células de parênquima e funciona principalmente na translocação, mas também no suporte e armazenagem; líber.
Etimologia (origem da palavra floema). Do grego phlóos + ema.


Em botânica, o floema é o tecido das plantas vasculares encarregado de levar a produtos fotoassimilados (ou comumente chamados em conjunto de seiva elaborada) pelo caule até a raiz e órgãos de reserva.
Os produtos transportados pelo floema são substâncias inorgânicas e orgânicas, como água, lipídios e carboidratos, são transportados desde os órgãos da planta com capacidade fotossintética (ou produtores), como folhas maduras, até outros que funcionam como consumidores dessas substâncias, para a formação de novos órgãos ou para reserva, nomeadamente, os meristemas, as células do interior do caule, da raiz, das flores, dos frutos e dos órgãos de reserva – que podem estar dispersos dentro do caule e da raiz, mas que podem estar especializados, como os tubérculos e rizomas.


bookmark_borderO que é funículo

funículo | s. m.
fu·ní·cu·lo
nome masculino

1. Pequena corda.

2. [Botânica]   [Botânica]   Cavidade do pericarpo.

3. [Anatomia]   [Anatomia]   Cordão espermático.

4. [Botânica]   [Botânica]   Fio que liga a semente à placenta.


substantivo masculino Pequeno cordão.
[Medicina] Cordão umbilical.
[Botânica] Fino cordão que liga o óvulo à placenta.


Funículo (do latim funicŭlu-, «cordel», «pequena corda») é a designação dada em diversos ramos da biologia e da biomedicina, especialmente na anatomia de diversos grupos biológicos e na morfologia vegetal, a estruturas de ligação finas e filiformes que liguem partes de um órgão ou um órgão a uma estrutura de suporte.
O termo é utilizado no seguinte contexto:

Anatomia humana
Funículo lateral — a porção lateral da medula espinal composta por substância branca;
Funículo anterior — uma estrutura da medula espinal;
Funículo posterior — uma estrutura da medula espinal;
Anatomia animal
Funículo antenal — a região de ligação das antenas dos insetos;
Anatomia vegetal
Funículo ovular — o órgão peduncular que suporta o óvulo vegetal, fixando-o à placenta;
Reprodução
Funículo espermático — a estrutura formada pelo epidídimo e pelos tecidos que o circundam;
Funículo umbilical — parte do cordão umbilical dos mamíferos.