bookmark_borderO que é intersubjetividade

intersubjectividade intersubjetividade | s. f.
in·ter·sub·jec·ti·vi·da·de |èt| in·ter·sub·je·ti·vi·da·de |èt| in·ter·sub·je·ti·vi·da·de |èt|
(intersubjectivo + -idade )
substantivo feminino

Qualidade do que é intersubjectivo .• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: intersubjetividade. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:intersubjectividade.
• Grafia no Brasil: intersubjetividade. • Grafia em Portugal:intersubjectividade.


substantivo feminino Qualidade de intersubjetivo, que ocorre ou se efetiva entre sujeitos humanos.
O que pode se estabelecer ou ser estabelecido entre dois ou mais sujeitos.
Comunicação de consciências individuais, de modos próprios de pensar e de enxergar o mundo, que se relacionam e se estabelecem de maneira recíproca.
[Filosofia] Relação comunicativa entre dois ou mais sujeitos, efetivada de maneira recíproca e sem individualismos, a partir da qual se atribui significado à experiência humana.
Etimologia (origem da palavra intersubjetividade). Intersubjetivo + idade.


Intersubjetividade é a relação entre sujeito e sujeito e/ou sujeito e objeto.
O relacionamento entre indivíduos no ambiente localiza-se no campo da ação, ou na liberdade de ação, o que implica a negociação com o outro.
Segundo Martin Buber (1878 – 1965), é a capacidade do ser humano de se relacionar com o seu semelhante. O ser humano possui a capacidade de inter-relacionamento com seu semelhante, ou seja, a intersubjetividade. O relacionamento acontece entre o Eu e o Tu, e denomina-se relacionamento Eu-Tu. A inter-relação envolve o diálogo, o encontro e a responsabilidade, entre dois sujeitos e/ou a relação que existe entre o sujeito e o objeto. Intersubjetividade, é umas das áreas que envolve a vida do ser humano, e por isso precisa ser refletida e analisada pela filosofia, em especial pela Antropologia Filosófica.


bookmark_borderO que é cafuzo

cafuzo | adj. s. m. | s. m.
ca·fu·zo
adjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

1. Que ou quem é filho de mulato e preta ou vice-versa.

2. Que ou quem é descendente de negro e de índio da América.nome masculino

3. [Botânica]   [Botânica]   Planta da família das ciperáceas.


substantivo masculino Aquele que provém da mistura de negro e índio; quem tem o pai negro e a mãe índia, ou vice-versa.
Mestiço de pele muito escura, quase negra, com cabelos lisos.
[Botânica] Planta ciperácea usada como forragem, do gênero Scirpus junciformis; cafuza.
adjetivo Diz-se do filho de negro e índio; caburé.
Etimologia (origem da palavra cafuzo). De origem questionável.


Cafuzo ou caboré são designações dadas no Brasil aos indivíduos resultantes da miscigenação entre índios e negros africanos ou seus descendentes. Suas características físicas são tão variadas quanto as de filhos de quaisquer uniões inter-raciais, mas, em geral, têm pele escura, cabelos lisos e grossos e lábios carnudos.


bookmark_borderO que é feminilidade

feminilidade | s. f.
fe·mi·ni·li·da·de
(feminil + -idade )
nome feminino

1. Qualidade do que é feminil.

2. Carácter , índole de mulher.


substantivo feminino Característica, particularidade ou estado particular da mulher; comportamento feminino; feminidade.
[Por Extensão] Designação do sexo feminino.
[Por Extensão] Que designa um conjunto formado por mulheres: a beleza da feminilidade colombiana.
[Pejorativo] Maneira de agir que denota futilidade; frivolidade.
Etimologia (origem da palavra feminilidade). Feminil + (i)dade.


Feminilidade é um conjunto de atributos, comportamentos e papéis geralmente associados às meninas e às mulheres. A feminilidade é constituída por ambos os fatores socialmente definidos e biologicamente-criados. Isto faz com que seja distinta da definição biológica do sexo feminino, já que machos e fêmeas podem exibir características femininas. As pessoas que apresentam uma combinação de ambas as características masculinas e femininas são consideradas andróginas e as filósofas feministas têm argumentado que a ambiguidade de gênero pode obscurecer a classificação de gênero. As conceituações modernas de feminilidade também não confiam apenas em construções sociais, mas nas escolhas individuais feitas pelas mulheres.Os traços tradicionalmente citados como femininos incluem gentileza, empatia e sensibilidade, embora traços associados com a feminilidade variem dependendo da localização e do contexto e sejam influenciados por uma variedade de fatores sociais e culturais.


bookmark_borderO que é tribo

tribo | s. f.
tri·bo
substantivo feminino

1. Cada uma das divisões dos povos da Antiguidade .

2. Conjunto de famílias que provêm de um ascendente cujo tronco constitui vários ramos.

3. Conjunto de famílias que constituem uma das divisões dos povos nómadas e de alguns povos bárbaros.

4. [História natural]   [História natural]   Divisão taxonómica situada entre a subfamília e o género .


substantivo feminino Sociedade humana rudimentarmente organizada.
[Antropologia] Grupo das pessoas que descendem do mesmo povo, partilham a mesma língua, têm os mesmos costumes, tradições etc.
[Por Extensão] Divisão relativamente grande de uma família.
[Figurado] Grupo de pessoas que partilha interesses, gostos, relações de amizade: ele me entende, é da minha tribo!
[História] Na Antiguidade, divisão do povo: o povo romano se dividia em tribos.
[História] As doze tribos do povo de Israel, as correspondentes a cada um dos descendentes de Jacó.
[Biologia] Classificação sistemática e menor que a subfamília.
[Matemática] Agrupamento de subconjuntos cujas operações (complementação e união) são fechadas.
Etimologia (origem da palavra tribo). Do latim tribus.us, “grupo menor entre os romanos.


Tribo (do termo latino tribus) é um tipo de agrupamento humano unido pela língua, costumes, instituições e tradições. O termo era, originalmente, empregado para designar cada uma das trinta divisões da Roma Antiga (mais tarde, trinta e cinco) formadas por cidadãos plebeus. Passou a ser aplicado, posteriormente, aos ramos dos povos da Antiguidade, como as doze Tribos de Israel, por exemplo. Nas épocas colonialista e neocolonialista, foi utilizado por antropólogos, passando a ter um sentido pejorativo de “agrupamento humano com cultura rudimentar”.[carece de fontes?] Porém, por estar “cercado por uma carga de etnocentrismo, sendo considerada uma organização ‘primitiva’, de povos subdesenvolvidos historicamente”, o mesmo deixou de ser usado no domínio da antropologia.[carece de fontes?]


bookmark_borderO que é tabu

tabu | s. m. | adj. 2 g. tabu | s. m.
ta·bu 1
(inglês taboo, do polinésio tapu, interdito, proibido, sagrado )
nome masculino

1. [Religião]   [Religião]   Proibição de determinada acção , de aproximação ou contacto com algo ou alguém que é considerado sagrado.

2. [Religião]   [Religião]   Lugar, animal, objecto , coisa ou acção proibidos por temor de castigo divino ou sobrenatural.

3. Medo ou proibição de origem religiosa, social ou cultural.

4. Assunto de que não se pode ou não se deve falar.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

5. Que é proibido. = INTERDITO

6. Que não se pode ou deve proferir ou de que não se pode ou não se deve falar.
ta·bu ta·bu 2
(origem obscura )
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   Açúcar que não coalhou bem na forma.

2. [Botânica]   [Botânica]   Tabua.


substantivo masculino [Etnografia] Instituição religiosa que, atribuindo caráter sagrado a um objeto ou a um ser, proíbe qualquer contato com eles e até mesmo referência a eles.
[Por Extensão] Ação, objeto, pessoa e/ou lugar proibidos por uma lei ou cultura.
[Por Extensão] Proibição que leva alguém a não fazer alguma coisa por medo de castigo divino ou sobrenatural.
[Por Extensão] Comportamento cuidadoso que não tem justificação nem fundamento: sujeito cheio de tabus infundados.
Proibição religiosa ou controle social que restringe o uso de uma linguagem, de um gesto, comportamento: tabus sexuais.
adjetivo Sobre algo ou alguém que não se pode tocar.
Que não se pode fazer uso, dizer, comentar por crença, religião, fé, pudor, respeito etc.: palavras tabus.
Diz-se da pessoa que é alvo de adoração cujo mérito não pode ser questionado.
Etimologia (origem da palavra tabu). Do tonga tapu, “proibido”.
substantivo masculino [Botânica] Aspecto comum das ervas do gênero Typha, de habitat semi-aquático, se instalam em brejos e margens de rios.
Etimologia (origem da palavra tabu). Talvez de tabua, de origem questionável.
substantivo masculino Açúcar mascavo.
Etimologia (origem da palavra tabu). De origem questionável.


O tabu era, originalmente, uma instituição de fundamento religioso que atribuía caráter sagrado a determinados seres, objetos ou lugares, interditando qualquer contato com eles. Posteriormente, o termo passou a designar qualquer tipo de proibição.


bookmark_borderO que é tradição

tradição | s. f.
tra·di·ção
substantivo feminino

1. Via pela qual os factos ou os dogmas são transmitidos de geração em geração sem mais prova autêntica da sua veracidade que essa transmissão.

2. O facto ou o dogma assim transmitido.

3. Transmissão de uma notícia, boato, rumor.

4. Símbolo, memória, recordação, uso, hábito.

5. Entrega, acto pelo qual se entrega alguma coisa a alguém.

6. Transmissão, transferência de bens ou de direitos.


substantivo feminino Costume transmitido de geração a geração ou aquilo que se faz por hábito; costume: as tradições de uma região.
Herança cultural, legado passado de uma geração para outra: não concordava com tradições que violavam os direitos dos animais.
Transmissão oral de doutrinas, de lendas, de costumes etc., durante longo espaço de tempo, de geração para geração.
Religião.Transmissão oral, às vezes registrada por escrito, dos fatos ou das doutrinas religiosas.
[Jurídico] Entrega material de um bem móvel, objeto de uma transferência de propriedade.
Ação ou efeito de transmitir, de fazer a transferência entre uma coisa e outra.
Etimologia (origem da palavra tradição). Do latim traditio.onis, “ato de entregar”.


Tradição (do latim traditio, tradere = “entregar”, “passar adiante”) é a continuidade ou permanência de uma doutrina, visão de mundo, costumes e valores de um grupo social ou escola de pensamento.Ao nível da etnografia, a tradição revela um conjunto de costumes, comportamentos, memórias, rumores, crenças, lendas, música, práticas, doutrinas e leis que são transmitidos para pessoas de uma comunidade, sendo que os elementos passam a fazer parte da cultura.O italiano Julius Evola, citando António Sardinha em nota que consta de sua obra “Os homens e as ruínas”, salienta que o pensador português acertou ao afirmar que a Tradição não é apenas o Passado, mas, antes, a “permanência no desenvolvimento”, a “permanência na continuidade'”.


bookmark_borderO que é lenda

lenda | s. f.
len·da
(latim legenda, o que deve ser lido, plural neutro de legenda, -us, -um, gerundivo de lego, -ere, ler )
nome feminino

1. Narrativa ou tradição escrita ou oral de coisas ou factos fantásticos, muito duvidosos ou inverosímeis . = LEGENDA

2. [Por extensão]   [Por extensão]   Vida de santo. = LEGENDA

3. Indivíduo conhecido por muitos e admirado pelos seus feitos, pelo seu talento ou pelo seu desempenho em determinada área (ex.: lenda do basquetebol; lenda do cinema).

4. [Figurado]   [Figurado]   História, modo de proceder, vida (de alguém).

5. Mentira.

lenda urbana • História, explicação ou fenómeno ficcional relatado e divulgado como verdadeiro, geralmente por alegadamente ter uma fonte ou origem vagamente relacionada com o relator ou divulgador. = MITO URBANO


substantivo feminino História de teor maravilhoso, fantástico ou mirabolante cujos personagens são seres sobrenaturais, geralmente contam ou tem como tema tradições populares, folclóricas: lenda do Curupira.
Narrativa em que fatos históricos são deformados pela imaginação popular ou pela invenção poética: as lendas frequentemente contêm um elemento real, mas às vezes são inverídicas.
História sobre alguém famoso, tendo em conta algo da sua vida ou personalidade, normalmente inventada pela imaginação popular ou pela imprensa: reza a lenda que Elvis Presley não morreu.
Personagem digno de louvor pelos seus feitos e características: Michelangelo Antonioni é uma lenda do cinema.
[Figurado] Qualquer história desprovida de verdade; mentira, engodo.
[Figurado] História aborrecida, que causa tédio; lenga-lenga.
Etimologia (origem da palavra lenda). A palavra lendra deriva do latim medieval legenda, com o sentido de “vida de santo”.


Lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos. De caráter fantástico e/ou fictício, as lendas combinam fatos reais e históricos com fatos irreais que são meramente produto da imaginação aventuresca humana. Uma lenda pode ser também verdadeira, o que é muito importante.
Com exemplos bem definidos em todos os países do mundo, as lendas geralmente fornecem explicações plausíveis, e até certo ponto aceitáveis, para coisas que não têm explicações científicas comprovadas, como acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais. Podemos entender que lenda é uma degeneração do Mito. Como diz o dito popular “Quem conta um conto aumenta um ponto”, as lendas, pelo fato de serem repassadas oralmente de geração a geração, sofrem alterações à medida que são contadas.
Lendas no Brasil são inúmeras, influenciadas diretamente pela miscigenação na origem do povo brasileiro. Devemos levar em conta que uma lenda não significa uma mentira, nem tão pouco uma verdade absoluta, o que devemos considerar é que uma história para ser criada, defendida e o mais importante, ter sobrevivido na memória das pessoas, ela deve ter no mínimo uma parcela de fatos verídicos.
Muitos pesquisadores, historiadores ou folcloristas, afirmam que as lendas são apenas frutos da imaginação popular, porém como sabemos as lendas em muitos povos são “os livros na memória dos mais sábios”.


bookmark_borderO que é clã

clã | s. m.
clã
nome masculino

1. Tribo constituída por certo número de famílias.

2. Partido.

3. Grei.


substantivo masculino [Antigo] Determinado povo originário da Irlanda, Escócia e Galícia que possuíam parentalidade comum.
Antropologia. Diz-se de famílias que possuem ascendência e descendência comuns.
Reunião de várias pessoas da mesma família.
[Matemática] De mesma família dos subconjuntos de um conjunto de modo que a junção ou divergência de dois conjuntos também fazem parte de conjuntos de família.
Clã totêmico. Antropologia. União de pessoas de mesma parentalidade sanguínea, possuidores de algo como ancestral comum, e que representa uma uniformidade sociológica.
Clã unitário. Matemática. Que compreende um conjunto e com a ajuda deste estabelece seus elementos.
[Informal] Família, casta.


Um clã constitui-se num grupo de pessoas unidas por parentesco e linhagem e que é definido pela descendência de um ancestral comum. Mesmo se os reais padrões de consanguinidade forem desconhecidos, ainda assim, os membros do clã reconhecem um membro fundador ou ancestral maior. Como o parentesco baseado em laços pode ser de natureza meramente simbólica, alguns clãs compartilham um ancestral comum “estipulado”, o qual é um símbolo da unidade do clã. Quando este ancestral não é humano, é referenciado como um totem animal. Em geral, o parentesco difere da relação biológica, visto que este também envolve adoção, casamento e supostos laços genealógicos. Os clãs podem ser descritos mais facilmente como subgrupos de tribos e geralmente constituem grupos de 7000 a 10000 pessoas.


bookmark_borderO que é violência

violência | s. f.
vi·o·lên·ci·a
substantivo feminino

1. Estado daquilo que é violento.

2. Acto violento.

3. Acto de violentar.

4. Veemência.

5. Irascibilidade.

6. Abuso da força.

7. Tirania; opressão.

8. [Jurídico, Jurisprudência]   [Jurídico, Jurisprudência]   Constrangimento exercido sobre alguma pessoa para obrigá-la a fazer um acto qualquer; coacção .

violência doméstica • Tipo de violência praticada no âmbito familiar, entre pessoas com relações de parentesco.


substantivo feminino Qualidade ou caráter de violento, do que age com força, ímpeto.
Ação violenta, agressiva, que faz uso da força bruta: cometer violências.
[Jurídico] Constrangimento físico ou moral exercido sobre alguém, que obriga essa pessoa a fazer o que lhe é imposto: violência física, violência psicológica.
Ato de crueldade, de perversidade, de tirania: regime de violência.
Ato de oprimir, de sujeitar alguém a fazer alguma coisa pelo uso da força; opressão, tirania: violência contra a mulher.
Ato ou efeito de violentar, de violar, de praticar estupro.
Etimologia (origem da palavra violência). Do latim violentia.ae, “qualidade de violento”.


Violência é definida pela Organização Mundial da Saúde como “o uso intencional de força física ou poder, ameaçados ou reais, contra si mesmo, contra outra pessoa ou contra um grupo ou comunidade, que resultem ou tenham grande probabilidade de resultar em ferimento, morte, dano psicológico, mau desenvolvimento ou privação”, embora o grupo reconheça que a inclusão de “uso do poder” em sua definição expande a compreensão convencional da palavra.Globalmente, a violência resultou na morte de cerca de 1,28 milhões de pessoas em 2013, contra 1,13 milhões em 1990. Das mortes em 2013, cerca de 842.000 foram atribuídas a auto-destruição (suicídio), 405.000 para a violência interpessoal e 31.000 para a violência coletiva (guerras) e intervenção legal. Corlin, ex-presidente da Associação Médica Americana diz que para cada morte por violência, há dezenas de hospitalizações, centenas de visitas a emergências e milhares de consultas médicas.Em 2013, assalto por arma de fogo foi a principal causa de morte devido à violência interpessoal, com 180.000 dessas mortes estimadas terem ocorrido. No mesmo ano, assalto por objeto afiado resultou em aproximadamente 114.000 mortes, com 110.000 mortes restantes de violência pessoal sendo atribuídas a outras causas.A violência em muitas formas é evitável. Existe uma forte relação entre os níveis de violência e os fatores modificáveis, como a pobreza concentrada, a desigualdade de renda e de gênero, o uso nocivo do álcool e a ausência de relações seguras, estáveis e estimulantes entre as crianças e os pais. As estratégias que abordam as causas subjacentes da violência podem ser eficazes na prevenção da violência.


bookmark_borderO que é catarse

catarse | s. f.
ca·tar·se |z| ca·tar·se |z|
(grego kátharsis, -eós, purificação )
substantivo feminino

1. [Filosofia]   [Filosofia]   Palavra pela qual Aristóteles designa a “purificação” sentida pelos espectadores durante e após uma representação dramática.

2. [Psicanálise]   [Psicanálise]   Método psicanalítico que consiste em trazer à consciência recordações recalcadas.

3. [Psicanálise]   [Psicanálise]   Libertação de emoção ou sentimento que sofreu repressão.

4. [Medicina]   [Medicina]   Evacuação dos intestinos.


substantivo feminino Libertação do que estava reprimido ou sensação de alívio causada pela consciência de sentimentos ou traumas anteriormente reprimidos.
[Psicologia] Ato de liberdade produzido por certas atitudes, principalmente, representado pelo medo ou pela raiva.
[Psicologia] Tratamento das psiconeuroses que consiste em fazer com que o paciente conte tudo o que lhe ocorre sobre determinado assunto para obter uma “purgação” da mente.
[Psicanálise] Processo para trazer à consciência do ser as emoções ou os sentimentos reprimidos, em seu próprio inconsciente, fazendo com que ele seja capaz de se libertar das consequências ou dos problemas que esses sentimentos lhe causam.
[Medicina] Ação de evacuar os intestinos.
[Teatro] Num espetáculo trágico, refere-se ao desenvolvimento de uma espécie de purgação de alguns sentimentos do público.
[Retórica] Segundo Aristóteles, a “purificação” experimentada pelos espectadores, durante e após uma representação dramática.
Etimologia (origem da palavra catarse). Do grego kátharsis.


Catarse (do grego κάϑαρσις, kátharsis, “purificação”, derivado de καϑαίρω, “purificar”) é uma palavra utilizada em diversos contextos, como a tragédia, a medicina ou a psicanálise. Significa “purificação”, “evacuação” ou “purgação”. Segundo Aristóteles, a catarse refere-se à purificação das almas por meio de uma descarga emocional provocada por um trauma.Ou seja, é preciso que o herói trágico passe da “felicidade” para a “infelicidade” para que o espectador possa atingir a catarse. Por exemplo: Édipo Rei começa a história como rei de Tebas e, no fim, se cega e se exila. Ou a tragédia Romeu e Julieta, de Shakespeare, na qual os dois protagonistas fazem parte da elite da cidade e são mortos pelo seu amor proibido.