bookmark_borderO que é cariátide

cariátide | s. f.
ca·ri·á·ti·de
substantivo feminino

Figura humana que sustenta uma arquitrave ou cornija.


substantivo feminino Coluna em forma de estátua feminina, sobre a qual assenta uma cornija ou arquitrave.


Uma Cariátide (grego: Καρυάτις ‘, plural:’ Καρυάτιδες) são figuras femininas esculpida servindo como um suporte de arquitetura tomando o lugar de uma coluna ou um pilar de sustentação com um entablamento na cabeça.
Cariátides em grego significa literalmente “moças de Karyai”, uma antiga cidade do Peloponeso. Karyai teve um famoso templo dedicado à deusa Ártemis em sua manifestação de Ártemis Karyatis: “Como Karyatis ela se alegra nas danças da nogueira da aldeia de Karyai, aqueles cariátides, que em seu êxtase, faziam sua dança circular levando em suas cabeças cestas de juncos, como se fossem plantas dançando”.
As Cariátides mais famosas são as que servem de colunas do templo do Erecteion, erigido na Acrópole de Atenas no século V a.C. Mas foram utilizadas também em outros templos por toda a Antiguidade, e vêm sendo utilizadas até hoje.


bookmark_borderO que é implúvio

implúvio | s. m.
im·plú·vi·o
(latim impluvium, -ii )
nome masculino

[Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   No átrio das casas romanas, tanque para receber as águas pluviais recolhidas através de uma abertura quadrangular no tecto .Confrontar: complúvio.


substantivo masculino No átrio das casas romanas, espaço aberto às águas pluviais, que caíam numa abertura central e retangular chamada complúvio.


O implúvio (em latim: impluvium) era uma espécie de tanque retangular com fundo plano usado para recolher água da chuva que se encontrava no vestíbulo das casas (em latim: domus) dos antigos gregos, etruscos e romanos.
A água da chuva que entrava no domus através do complúvio (compluvium, uma abertura central no teto por onde entrava também a luz natural que iluminava todas as divisões adjacentes) escorria para o implúvio, situado cerca de 30 cm abaixo do nível do solo e que frequentemente estava ligado a um tanque onde se armazenava o excesso de água, o qual podia ser quando fosse necessário. Esse tanque tinha também a função de regular a temperatura em períodos de muito calor.
Os implúvios dos domus romanos, que normalmente pertenciam a famílias patrícias (nobres), eram por vezes construídos em mármore e decorados com pequenas estátuas. Durante as escavações da Casa do Fauno, uma das casas privadas mais luxuosas da antiga cidade de Pompeia, foi descoberto um implúvio com uma estátua de bronze dum fauno dançando no centro, que atualmente se conserva no Museu Arqueológico de Nápoles.


bookmark_borderO que é ninfeu

ninfeu | adj. | s. m.
nin·feu
adjectivo adjetivo

1. Das ninfas.

2. [Geologia]   [Geologia]   Formado por águas doces.nome masculino

3. Sala adornada para bodas.

4. Lugar em que há estátuas e fontes.


adjetivo Referente às ninfas.
substantivo masculino Mitologia gr. Lugar consagrado às ninfas, ornado de estátuas, vasos, fontes; gruta ou santuário das ninfas.


Ninfeu (em latim: Nymphaeum; em grego: Νυμφαῖον; romaniz.: Nymphaion), na Grécia e Roma Antiga, era um antigo santuário consagrado às ninfas aquáticas. O termo originalmente foi aplicado para uma gruta natural com nascentes e córregos, tradicionalmente pensado como o local das ninfas, sendo mais tarde utilizado para uma gruta artificial ou um edifício monumental coberto com plantas e flores, esculturas, fontes e pinturas. Ele foi importante para o movimento arquitetônico de mosaicos de chão e muros e tetos abobadados do século I, sendo decorado com mosaicos geométricos frequentemente incorporando conchas, embora pelo final do século podia conter ambiciosas figuras subjetivas.Os ninfeus serviram como santuários, reservatórios e uma sala de reuniões, onde casamentos foram realizados. Sua associação com as ninfas foi perdida no final do século IV, quando o termo designou meramente uma fonte. Além disso, em decorações de lugares públicos, ninfeus foram por vezes utilizados como átrios das igrejas, como aquele da Basílica A de Filipos datado de ca. 500, que tomou a função do tradicional do pequeno cântaro (fonte).No período romano, o ninfeu redondo (rotunda nymphaeum), emprestado de estruturas helenísticas como o Grande Ninfeu do Éfeso, tornou-se comum. Ele comumente consistiu em um fonte monumental estabelecida contra um muro articulado com nichos, frequentemente decorados com colunas e estatuário. Sabe-se que existiam ninfeus em Corinto, Antioquia, Constantinopla e Roma, onde 20 foram identificados. De acordo com Notitia Urbis Constantinopolitanae de ca. 425, a cidade de Constantinopla à época contava com quatro ninfeus. Destes o mais importante era o Ninfeu Maior, que funcionou como um terminal para o Aqueduto de Valente no Fórum do Touro, que sobreviveu até pelo menos o século XVI.


bookmark_borderO que é acrotério

acrotério | s. m.
a·cro·té·ri·o
nome masculino

1. Vértice, cume, extremidade de qualquer objecto .

2. Pedestal das figuras que encimavam um frontão.


substantivo masculino [Arquitetura] Pedestal colocado em cada uma das extremidades bem como no cume do frontispício e destinado a receber um ornamento.
Este ornamento.
Espécie de pedestal colocado, a intervalos regulares, nas balaustradas.


O acrotério, do grego elemento mais elevado, é um elemento ornamental utilizado na arquitectura, inicialmente na arquitectura da Antiguidade Clássica (grega e posteriormente romana), que também se pode encontrar em edifícios de estilo classicista em geral.
Este elemento é utilizado como coroamento decorativo do frontão do templo, tanto no seu vértice central como nos laterais (acrotérios angulares), podendo ser encontrado também em urnas funerárias e sarcófagos como resultado da tentativa de transposição da forma do templo para estas construções.
O acrotério é composto por um pedestal, originalmente uma placa circular e em terracota pintada, onde assenta o elemento decorativo, e foi assumindo com o tempo um enriquecimento na decoração escultórica. O mais comum é a decoração com elementos vegetais, nomeadamente palma ou folhas de acanto. No entanto também é possível encontrar escultura de vulto redondo (tridimensional, em oposição ao relevo) como vasos, animais fantásticos (grifos, esfinges) e até estatuetas de figura humana.

Dependendo do material utilizado para a cobertura do templo, telhas ou lages de mármore, o acrotério é criado em terracota ou mármore respectivamente.
Sendo que toda a parte superior da fachada do templo grego é colorida (embora a pintura tenha desaparecido com o tempo), o acrotério não é excepção, mesmo no caso de figuras escultóricas de maior porte. Em edifícios neo-clássicos, pelo contrário, estas decorações escultóricas mantêm a cor natural do material, consequência da imitação do estado actual dos edifícios da Antiguidade Clássica.
Ao ser transposto para edifícios revivalistas e classicistas, o acrotério passou a ser utilizado também na arquitectura profana (não religiosa), deixando de surgir somente em edifícios públicos, para ser utilizado um pouco por todas as tipologias arquitectónicas. Na variedade de elementos decorativos possíveis aparecem também a cruz, o obelisco e a voluta.


bookmark_borderO que é hipostilo

hipostilo | adj.
hi·pos·ti·lo
(grego hupóstulos, -os, -on, sustentado por colunas )
adjectivo adjetivo

[Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Diz-se das salas ou compartimentos cujo tecto é sustentado por colunas de qualquer estilo.


adjetivo [Arquitetura] Diz-se de uma sala cujo teto é sustentado por colunas.


Hipostilo é uma palavra grega cujo significado é “teto sustentado por colunas”. É uma grande sala com colunas que sustentam o teto. Os templos gregos são nesse estilo com tetos compostos por vigas de pedra inteira que cobrem as salas. Os vãos entre as as colunas são chamados de nave.


bookmark_borderO que é mégaro

Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pré-Acordo Ortográfico).

Será que queria dizer mégaro?

Outras sugestões: negado negrão negara negará negarão negar negro megaerro meado (norma brasileira) mégaros (norma brasileira) melado (norma brasileira) mengado (norma brasileira) metano (norma brasileira) metro (norma brasileira) metrô (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


adjetivo Que pertence ou se refere à cidade de Mégara, na Grécia.
Falso, fingido, hipócrita (falando de lágrimas).
Etimologia (origem da palavra mégaro). Do topônimo Mégara.
adjetivo e substantivo masculino Habitante ou natural de Mégara. Variação de megário, megárico e megariano.
substantivo masculino [Antigo] gr Cova aberta na terra, por ocasião da festa das tesmofórias, e onde se lançavam leitões vivos e objetos de culto.
Palácio.
Sala de reunião para homens.
Parte do templo em que se proferiam os oráculos.
Santuário.
Etimologia (origem da palavra mégaro). Do grego mégaron.


Mégaro (em grego: Μέγαρον; provável origem semita) é a “Grande Sala” que se encontrava nos palácios da Civilização Micénica, na Grécia Antiga. Costumava estar de um lado do pátio central e frente ao altar. Constava de três partes: o pórtico (πρόπυλο) aberto com duas colunas in antis, o vestíbulo (πρόδομος) também chamado pronau (πρόναος) e a sala principal (Μέγαρον) também chamada cela ou nau (ναός).


bookmark_borderO que é ádito

ádito | s. m. ádito | s. m. ádito | s. m. Será que queria dizer adito?
á·di·to 1
(latim aditus, -us, ida; aproximação; acesso, de adeo, -ire, ir para )
nome masculino

1. Entrada, acesso ou abertura.

2. Aproximação.Confrontar: ábdito.

á·di·to á·di·to 2
(latim adytum, -i ou adytus, -us, parte mais secreta de um templo; santuário, do grego ádutos, -os, -on, sagrado; impenetrável )
nome masculino

1. Lugar secreto ou reservado.

2. Aquilo que contém uma causa oculta ou incompreensível. = ARCANO, MISTÉRIO, SEGREDOConfrontar: ábdito.

á·di·to á·di·to 3
(latim additus, -a, um, particípo passado de addo, -ere, pôr junto, acrescentar )
nome masculino

O que se acrescenta ou adita. = ACRESCENTAMENTO, ADITAMENTOConfrontar: ábdito.


substantivo masculino Acesso, entrada, caminho por onde se chega a algum lugar.
[Figurado] Lugar reservado, segredo, arcano: os áditos do mistério.


Ádito (em grego: Άδυτον; em latim: adytum) é o espaço do templo da Antiguidade Clássica só acessível a sacerdotes e utilizado para o culto ou colocação de oferendas. Esta área pode funcionar de diferentes maneiras; como uma sub-divisão do nau, aberta para ele; como uma câmara isolada no centro do nau; ou como um nicho na parede posterior do nau.