bookmark_borderO que é maçarico-real

maçarico-real | s. m.
ma·ça·ri·co·-re·al
nome masculino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave limícola migratória (Numenius arquata), da família dos escolopacídeos, com cerca de 60 centímetros de comprimento, plumagem acastanhada, bico longo, estreito e curvado.Plural: maçaricos-reais. Plural: maçaricos-reais.



O maçarico-real (Numenius arquata) é uma ave limícola da família Scolopacidae. É um dos maiores membros da sua família e distingue-se dos outros maçaricos pelo seu grande tamanho e pelo longo bico recurvado.
Nidifica principalmente na Europa central. Alguns indivíduos migram para sul e invernam em Portugal, sobretudo nos grandes estuários.


bookmark_borderO que é codornizão

codornizão | s. m.
co·dor·ni·zão
(codorniz + -ão )
nome masculino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave pernalta ribeirinha de arribação. = RABICOELHA, RABISCOELHA


substantivo masculino Ave pernalta, (crex pratensis).
Etimologia (origem da palavra codornizão). De codorniz.


O codornizão (Crex crex) é uma ave gruiforme da família Rallidae de hábitos migratórios que ocorre na Eurásia e África. Era considerado o único representante do género Crex, até a Crecopsis egregia ter sido reclassificada como Crex egregia.
O codornizão é uma ave de médio porte, com 27 a 30 cm de comprimento e cerca de 50 cm de envergadura. A plumagem é bege escamado de negro no dorso, bege na zona da garganta e branca na barriga. As asas são castanhas avermelhadas, muito características quando em voo. As patas são longas e de cor clara.
Esta espécie é migratória, passando a época de reprodução a Norte, na Europa e Ásia, e os meses de Novembro a Abril no Sul de África. Habita zonas de vegetação rasteira, bancos de rios e áreas agrícolas, onde se alimenta de insetos, aracnídeos, e outros pequenos invertebrados. Por vezes, suplementa a alimentação com folhas, rebentos e sementes.
O codornizão tem hábitos solitários durante a maior parte do ano. É essencialmente terrestre e confia na camuflagem da sua coloração para se esconder de predadores. Quando ameaçado, realiza voos curtos.
Apesar do nome, não está relacionado com as codornizes, que são aves galliformes.


bookmark_borderO que é açor

açor | s. m.
a·çor |ô| a·çor |ô|
(latim acceptor, -oris )
nome masculino

1. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave de rapina (Accipiter gentilis) da família dos accipitrídeos .

2. [Heráldica]   [Heráldica]   Móvel que representa um açor.



O açor (Accipiter gentilis), do latim acceptore, significando que voa rapidamente, é uma ave de rapina da família Accipitridae, distribuída por todas as regiões temperadas do hemisfério norte.
É a ave que aparece na bandeira dos Açores. O arquipélago dos Açores deve o seu nome ao açor, porque quando os descobridores do arquipélago lá chegaram pensaram ver açores. Mais tarde, concluiriam que as aves eram, afinal, uma subespécie local da águia de asa redonda (buteo buteo), apelidadas hoje em dia pelos açorianos de “milhafres” ou “queimados”.
Outra teoria aponta que o Açores provém do nome azzurro em italiano ou azureus em latim, que significa Azul em português, como referência ao céu azul num dia brilhante e claro aquando da descoberta ao longe das ilhas. Esta teoria é sustentada por uma outra que afirma que as ilhas dos Açores já apareciam inclusivé em portulanos genoveses do século XIV.
É um ave de rapina diurna, parecida com o falcão, com um comprimento de aproximadamente 50 cm, cor preta e ventre branco com manchas pretas; asas e bico pretos, cauda cinzenta, manchada de branco e pernas amareladas. Era muito apreciado antigamente em falcoaria.
A espécie americana, A. atricapillus, mede cerca de 60 cm de comprimento. Estas intrépidas aves, notáveis pelos seus habilidosos voos com que seguem todos os movimentos das suas presas, constituem, juntamente com o gavião, os mais implacáveis inimigos dos passarinhos.


bookmark_borderO que é sombria

sombria | s. f. fem. sing. de sombrio
som·bri·a
(feminino de sombrio )
nome feminino

1. [Portugal]   [Portugal]   [Ornitologia]   [Ornitologia]   Designação vulgar de várias aves passeriformes da família dos motacilíceos, do género Anthus. (Equivalentes no português do Brasil: caminheiro, corredeira, sombrio.) = PETINHA

2. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave passeriforme (Emberiza hortulana) da família dos emberizídeos, com a cabeça esverdeada, a garganta amarela e o ventre avermelhado ou acastanhado, que é ave de arribação em Portugal. = HORTELÃO, HORTULANA, SOMBRIA-BRAVA
som·bri·o som·bri·o
(sombra + -io )
adjectivo adjetivo

1. Em que há sombra.

2. Não exposto ao sol.

3. Que mostra tristeza. = SORUMBÁTICO, TACITURNO, TRISTE ≠ ALEGRE, CONTENTE, FELIZ, FESTIVO, LEDO

4. Severo.

5. Carrancudo.

6. Fúnebre.

7. Despótico.

8. Lúgubre.nome masculino

9. Lugar sombrio.

10. [Brasil]   [Brasil]   [Ornitologia]   [Ornitologia]   Designação vulgar de várias aves passeriformes da família dos motacilíceos, do género Anthus. (Equivalentes no português de Portugal: petinha, sombria.)


substantivo feminino [Ornitologia] Pássaro dentirrostro (Anthus pratensis), parecido com a cotovia.
Etimologia (origem da palavra sombria). De sombrio.


A sombria ou hortulana(Emberiza hortulana) é uma ave da família Emberizidae. Identifica-se pela cabeça esverdeada, com um “bigode” amarelo e pelo ventre avermelhado, sendo que a plumagem dos machos é mais vistosa durante a época de reprodução.
A sua alimentação consiste essencialmente de sementes, grãos, insectos e larvas .
É uma ave migradora que nidifica na Europa e inverna em África.
Em Portugal ocorre sobretudo em zonas de altitude, frequentemente de dificil acesso, o que, juntamente com o facto de ser pouco tolerante da presença humana, explica que seja por vezes difícil de observar, apesar de não ser rara. É uma das espécies estivais mais tardias em Portugal, e prefere zonas abertas, frequentadas por gado e com a presença de rochas. Entre Maio e Agosto surge em quase todas a zonas serranas acima dos 800 metros localizadas a norte do Tejo. As melhores zonas de observação são no Parque Nacional da Peneda-Gerês, em particular no Planalto da Mourela, entre Covelães e Pitões das Júnias, e entre Pitões das Júnias e Tourém; na Serra da Estrela, onde é mais abundante; e na Serra de Leomil. Durante a migração de Outubro, também na zona de Sagres (Vila do Bispo) é comum ver a Sombria. Outros locais onde é possível encontrar a Sombria incluem as Serras do Alvão, Marão, Montesinho e no Parque Natural do Douro Internacional.
Calcula-se que existam em Portugal poucos milhares de casais, apesar do Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal classificar a espécie como DD (informação insuficiente). Na Europa como um todo, a espécie é considerada pela BirdLife International como depauperada devido ao seu declínio histórico acentuado .


bookmark_borderO que é galinhola

galinhola | s. f.
ga·li·nho·la |ó| ga·li·nho·la |ó|
(galinha + -ola )
nome feminino

1. Galinha pequena.

2. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave pernalta (Scolopax rusticola) da família dos escolopacídeos, de bico direito e comprido.

3. [Brasil]   [Brasil]   [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave galinácea (Numida meleagris) de plumagem cinzenta com pontos brancos e cabeça colorida com crista óssea dorsal, originária do continente africano. = GALINHA-D’ANGOLA


substantivo feminino Ave aquática que vive na América e na Europa.
Na Grã-Bretanha, a galinhola comum da Europa é chamada galinha d`água e galinha dos pântanos. A galinha-da-flórida, cujo território se estende dos E.U.A. até o Canadá, tem cor de fuligem ou preta. Tem a testa coberta por uma placa vermelha semelhante a um escudo, e o seu bico também é vermelho. A galinhola-púrpura vive do sul dos E.U.A. até a América do Sul.


A galinhola (Scolopax rusticola) é uma ave caradriforme, da família Scolopacidae, tal como os maçaricos.
Aprecia os lodaçais à beira-mar, é uma ave solitária. Com seu bico reto e comprido, revira o lodo à procura dos pequenos invertebrados dos quais se alimenta (moluscos e vermes). A fêmea põe de três a cinco ovos que devem ser chocados de 18 a 32 dias. Os filhotes deixam o ninho após a sua eclosão.
Em algumas regiões no Brasil, o termo “galinhola” pode ser usado para designar a galinha-d’angola (Numida meleagris).


bookmark_borderO que é pernilongo

pernilongo | adj. | s. m.
per·ni·lon·go
(perni- + longo )
adjectivo adjetivo

1. Que tem pernas compridas. = PERNIGRANDE ≠ PERNICURTOnome masculino

2. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave ribeirinha (Himantopus himantopus) de asas pretas e o resto do corpo branco. = FUSILOA, PERNA-LONGA, PERNILONGA

3. [Brasil]   [Brasil]   [Entomologia]   [Entomologia]   Designação comum aos insectos dípteros de várias espécies. = MOSQUITO


adjetivo Que tem as pernas longas.
substantivo masculino Ave aquática também chamada perna-de-pau.
No Brasil em geral, e particularmente em Minas, designação dada a qualquer mosquito da família dos culicídeos. Ver carapanã.


O pernilongo ou pernalonga (Himantopus himantopus) é uma ave limícola que pertence à família Recurvirostridae. Em Portugal pode ser visto durante todo o ano, mas é mais comum no verão.
É facilmente identificável pelas longas patas vermelhas, corpo branco e asas pretas, fazendo lembrar uma cegonha em miniatura. Ocorre geralmente em salinas ou noutros planos de água doce ou salobra.


bookmark_borderO que é carriça

carriça | s. f.
car·ri·ça
(alteração de carriço )
nome feminino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Pequeno pássaro dentirrostro (Troglodytes troglodytes), da família dos trogloditídeos, com cerca de 10 centímetros de comprimento, de cor acastanhada ou arruivada, com pequenas listras negras horizontais nas asas e cauda, corpo arredondado e compacto, cauda pequena e arrebitada, comportamento vivaz e canto melódico. = CARRICINHA, CARRIÇO, FORNEIRINHA


substantivo feminino Zoologia O mesmo que cambaxirra.


A carriça (Troglodytes troglodytes), carricinha ou carruíra é uma ave pequena muito activa e de cor castanha na parte superior, listra superciliar clara e dorso e asas listrados. Tem uma cauda pequena e arrebitada e bico robusto com um tom amarelo na ponta. É facilmente reconhecível pelo seu porte e por ser muito pequena, com apenas 10 cm. Não apresenta grande dimorfismo sexual. Põe 5 a 7 ovos num ninho grande e abobadado.
O seu nome científico significa “habitante de cavernas” e refere-se ao seu hábito de entrar em cavidades e fendas para pernoitar ou para caçar artrópodes. Alimenta-se também de larvas, aranhas e bagas.
Comum em toda a Europa, estendendo-se na Ásia desde o norte do Irão e Afeganistão até ao Japão e América do Norte. É migratória apenas nas áreas mais a norte da sua distribuição.
A época de reprodução inicia-se em Abril. São aves monogâmicas e o macho constrói diversos ninhos para a sua parceira. O ninho é uma estrutura arredondada, construído com pequenos ramos, musgo, erva e raízes, e depois forrado com pêlos e penas. Estão geralmente situados entre as raízes de uma árvore ou num tronco oco. O macho pode também construir “ninhos-postiços”, que são utilizados apenas para distrair potenciais predadores. A fêmea põe 4 a 16 (normalmente 5 a 6) ovos que incuba por 14 a 16 dias. Os jovens são alimentados só pela fêmea e voam aos 16 a 17 dias de idade.


bookmark_borderO que é papagaio-verdadeiro

Palavra não encontrada. Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.



Amazona aestiva (L.), conhecido vulgarmente como papagaio-verdadeiro, ajuruetê, papagaio-grego, ajurujurá, curau, papagaio-comum, papagaio-curau, papagaio-de-fronte-azul, papagaio-boiadeiro, trombeteiro e louro, é uma ave da família Psittacidae. É nativa do Brasil oriental.


bookmark_borderO que é canário

canário | s. m. | adj. s. m.
ca·ná·ri·o
nome masculino

1. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave canora conirrostra.

2. [Botânica]   [Botânica]   Planta balsaminácea.

3. [Ictiologia]   [Ictiologia]   Peixe da costa de Portugal.

4. [Dança]   [Dança]   Dança antiga, de movimentos extravagantes. = CANÁRIAadjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

5. [Antigo]   [Antigo]   Relativo às ilhas Canárias ou o seu natural ou habitante. = CANARINO

6. [Agricultura]   [Agricultura]   Diz-se de ou variedade de feijão de casca amarela.


substantivo masculino Pássaro de canto melodioso e penugem geralmente amarela, proveniente das ilhas Canárias.
adjetivo, substantivo masculino Das Canárias; habitante das Canárias.
[Figurado] Pessoa que canta bonito.
[Brasil] Pop. Canário de uma muda só ou canário sem muda, pessoa que não muda de roupa.


O canário (Serinus canaria), também conhecido como canário-do-reino ou, popularmente, canarinho, é um pequeno pássaro canoro, membro da família Fringillidae. Este pássaro é originário dos Açores, da ilha da Madeira e das ilhas Canárias. O seu nome vem destas últimas, sendo que o nome das ilhas vem da palavra em latim canaria, que significa “dos cães”, já que os romanos encontraram ali muitos cães selvagens. O nome canário-do-reino foi dado em oposição ao canário-da-terra (Sicalis flaveola brasiliense), ave nativa do Brasil.


bookmark_borderO que é ema

ema | s. f.
e·ma |ê| e·ma |ê|
(origem duvidosa )
nome feminino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave corredora do género casuar parecida com o avestruz.


substantivo feminino [Ornitologia] Ave corredora sul-americana, da ordem dos Reiformes (Rhea americana), muito parecida com o avestruz. A diferença morfológica mais importante entre essas duas aves reside no fato de possuir a ema três dedos em cada pé, e o avestruz, dois. Sin (de origem indígena): nhandu. Voz: grasna, ronca.
[Folclore] Uma das figuras do bailado nordestino do bumba-meu-boi.
Ema-truncada, Bot: nome vulgar da planta brasileira Cenangium paraense.
substantivo feminino Bebedeira.
Ato de mascar fumo.


A ema (Rhea americana), também chamada nandu, nhandu, guaripé e xuri, é uma ave da família Rheidae cujo habitat se restringe à América do Sul. Apesar de possuir grandes asas, não voa. Usa asas para se equilibrar e mudar de direção enquanto correm. Os indivíduos masculinos são os responsáveis pela incubação e o cuidado com os filhotes. É considerada a maior ave brasileira.
Quando das Invasões holandesas no Brasil, no brasão holandês do Rio Grande do Norte (1639) figurava uma ema. Cerca de 70 emas vivem nos jardins do Palácio do Alvorada. Segundo o Ibama, as emas eram mantidas sem o registro necessário para sua criação, porém foram incluídas sob guarda provisória da Presidência da República em 2002.