bookmark_borderO que é doença

doença | s. f.
do·en·ça
(latim dolentia, -ae, dor )
substantivo feminino

1. Falta de saúde.

2. Moléstia específica (que ataca animais e vegetais).

3. [Figurado]   [Figurado]   Coisa que incomoda. = MAL

4. Vício; defeito; mania.

5. [Brasil: Minas Gerais]   [Brasil: Minas Gerais]   Acto de parir. = PARTO

doença celíaca • [Medicina]   • [Medicina]   Patologia intestinal crónica do intestino que inclui intolerância ao glúten.

doença das vacas loucas • [Veterinária]   • [Veterinária]   O mesmo que encefalopatia espongiforme bovina.

doença de Alzheimer • [Medicina]   • [Medicina]   Enfermidade degenerativa cerebral que afecta as capacidades mentais, a memória e a orientação, podendo atingir a demência.

doença de Corino de Andrade • [Portugal]   • [Portugal]   • [Medicina]   • [Medicina]   O mesmo que doença dos pezinhos.

doença de Creutzfeldt-Jakob • [Medicina]   • [Medicina]   Enfermidade degenerativa que afecta o cérebro, o cerebelo e a medula, provocada por partículas conhecidas por priões , que se manifesta inicialmente por tremuras, incapacidade de controlar os movimentos, perda da fala, incapacidade de deglutir e demência.

doença de Machado-Joseph • [Medicina]   • [Medicina]   Enfermidade hereditária degenerativa, que se manifesta sobretudo por descoordenação motora.

doença de Parkinson • [Medicina]   • [Medicina]   Afecção degenerativa do sistema nervoso caracterizada por tremura e rigidez muscular.

doença do legionário • [Medicina]   • [Medicina]   Infecção pulmonar causada pela legionela. = LEGIONELOSE

doença dos legionários • [Medicina]   • [Medicina]   O mesmo que doença do legionário.

doença dos ossos de vidro • [Medicina]   • [Medicina]   Doença de origem genética que se caracteriza por uma fragilidade óssea muito grande; osteogénese imperfeita.

doença dos pezinhos • [Medicina]   • [Medicina]   Doença crónica e progressiva, hereditária, que se caracteriza por falta de sensibilidade e paralisia dos membros inferiores e superiores, caquexia e alteração de funcionamento dos aparelhos digestivo, respiratório e circulatório, podendo também ocorrer perturbações oculares. [Manifesta-se habitualmente na idade adulta, entre os 25 e os 40 anos, embora possa surgir posteriormente.] = PARAMILOIDOSE

doença prolongada • Designação eufemística para o cancro .


substantivo feminino Alteração da saúde que se manifesta por sintomas, possíveis de ser identificados, ou não; enfermidade, moléstia: doença epidêmica.
[Figurado] Forte paixão; obsessão, mania: seu amor já virou doença.
[Botânica] Mal que ataca as plantas; praga.
expressão Doença de Basedow. Conjunto de distúrbios orgânicos provocados pela atividade excessiva da glândula tireoide, ou hipertireoidismo, cujos sintomas são o bócio, a exoftalmia, a taquicardia, o aumento do metabolismo de base e perturbações psíquicas.
Etimologia (origem da palavra doença). Do latim dolentia.ae.


Uma doença é uma condição particular anormal que afeta negativamente o organismo e a estrutura ou função de parte de ou de todo um organismo, e que não é causada por um trauma físico externo. Doenças são frequentemente interpretadas como condições médicas que são associadas a sintomas e sinais específicos. Uma doença pode ser causada por fatores externos tais como agentes patogénicos ou por disfunções internas.Pode se entender que doença é a apresentação de anormalidades na estrutura e no funcionamento de um organismo, afetando-o mesmo de forma negativa Por exemplo, disfunções internas do sistema imunológico podem produzir uma variedade de diferentes doenças, inclusive várias formas de imunodeficiência, hipersensibilidade, alergias e desordens ou transtornos autoimunes.
Em humanos, doença é frequentemente usada amplamente para se referir a qualquer condição que causa dor, disfunção, desconforto, sentimento de incapacidade, anormalidades negativas e problemas sociais ou morte à pessoa afligida, ou problemas similares àqueles em contacto com a pessoa. Neste sentido mais amplo, às vezes inclui traumas físicos, deficiências, transtornos, síndromes, infeções, sintomas isolados, comportamentos anormais e variações atípicas de estruturas e funções, enquanto noutros contextos e para outros propósitos podem ser consideradas categorias distinguíveis. Doenças podem não somente afetar pessoas fisicamente, como também mentalmente, como a contração e a convivência com uma doença podem alterar a perspetiva de vida de uma pessoa afetada.
Morte devido a doença é chamada de morte por causas naturais. Há quatro tipos principais de doença: doenças infeciosas, doenças de deficiência, doenças hereditárias (o que inclui tanto doenças genéticas quanto doenças hereditárias não-genéticas) e doenças fisiológicas. Doenças podem também ser classificadas de outras maneiras, tais como doenças transmissíveis versus não-transmissíveis. As doenças mais mortais em humanos são a doença arterial coronária (obstrução do fluxo sanguíneo), seguida de doença cerebrovascular e infeções respiratórias agudas. Em países desenvolvidos, as doenças que causam a maior moléstia em geral são condições neuropsiquiátricas, tais como depressão e ansiedade.
O estudo de doença e chamado patologia, que inclui o estudo de etiologia, ou causa.


bookmark_borderO que é histologia

histologia | s. f.
his·to·lo·gi·a
(histo- + -logia )
nome feminino

Parte da Fisiologia que trata dos tecidos orgânicos.


substantivo feminino [Biologia] Medicina. Área especializada da biologia/medicina que se dedica ao estudo da estrutura microscópica, composição e da função dos tecidos orgânicos, também conhecidos por tecidos vivos.
Etimologia (origem da palavra histologia). Hist(o) + logia.


Histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo, conhecimento) é também denominada Anatomia Microscópica ou Biologia Tecidual. Estas denominações se referem ao ramo da biologia que estuda a estrutura microscópica e as funções das células, tecidos e órgãos que compõem os organismos animais e vegetais. É uma importante disciplina de Graduação e Pós-graduação das áreas de ciências biológicas e da saúde. Além disso é uma importante área de pesquisa científica na área de Biologia e de Saúde. A Histologia pode ser conceitualmente classificada em Histologia Animal, com enfoque em animais, Histologia Humana, com enfoque em seres humanos, Histologia Vegetal, com enfoque em vegetais, dentre outras.
A Histologia se desenvolveu após a invenção do microscópio de luz, também denominado microscópio óptico ou microscópio fotônico. Caracteriza-se por utilizar iluminação por luz visível e um sistema de lentes que produzem uma imagem aumentada de um objeto. O microscópio como conhecemos hoje começou a ser utilizado na Europa por volta de 1620. Sua invenção é atribuída a várias pessoas, entre as quais Zacharias Janssen e Hans Lippershey.
O microscópio óptico, inicialmente muito simples, foi sendo progressivamente aperfeiçoado e muitos tipos de microscópios foram desenvolvidos, por exemplo microscópio de polarização, microscópio de contraste de fase, microscópio invertido, microscópio confocal de varredura a laser e vários outros instrumentos. Os microscópios eletrônicos pertencem a uma outra família de microscópios caracterizados por utilizarem feixes de elétrons para obtenção de imagens ou para conhecer composição química de espécimes.


bookmark_borderO que é autofagia

autofagia | s. f.
au·to·fa·gi·a
(auto- + -fagia )
nome feminino

Manutenção da vida à custa da própria substância do indivíduo.


substantivo feminino Comportamento da pessoa ou animal que se alimenta de sua própria carne; autodigestão.
[Biologia] Ação ou desenvolvimento da célula que provoca sua própria autodestruição.
Etimologia (origem da palavra autofagia). Aut(o) + fagia.


A autofagia (ou autofagocitose) é um processo catabólico celular que dá origem à degradação de componentes da própria célula utilizando os lisossomas. É um processo estreitamente regulado que desempenha uma função normal no crescimento celular, diferenciação, e na homeostase, e ajuda a manter um equilíbrio entre a síntese, a degradação e o reciclado dos produtos celulares. Consiste num dos principais mecanismos por meio dos quais uma célula em estado de desnutrição redistribui os nutrientes dos processos menos necessários aos essenciais.
A célula elimina organelas envelhecidas utilizando este mesmo mecanismo, que inclui a formação de vesículas com o auxílio do retículo endoplasmático liso: o organelo obsoleto é envolto numa membrana derivada desse mesmo retículo formando-se o chamado autofagossoma. De seguida, o autofagossoma, seguindo o mesmo caminho dos fagossomas, funde-se com um endossoma secundário, recebendo enzimas hidrolíticas do Complexo de Golgi. É, deste modo, transformado em fagolisossoma. O processo culmina com a degradação do organelo pela acção das enzimas.
Em células como os neurónios, hepatócitos e células musculares cardíacas, os fagolisossomas não completam a digestão total do organelo, sendo convertidos em corpos residuais. Com o avanço da idade, esses corpos formam pigmentos de inclusão que são acumulados no citosol. A autofagia pode ser estimulada em determinadas situações, como, por exemplo, durante o jejum prolongado, aparecendo numerosos autofagossomas nos hepatócitos com o objetivo de converter os componentes da célula em alimento para prolongar a sobrevivência do organismo.
O biólogo pesquisador Japonês Yoshinori Ohsumi foi premiado em 2016 com o Prémio Nobel da Medicina pela sua investigação relativa à autofagia.


bookmark_borderO que é endoplasma

endoplasma | s. m.
en·do·plas·ma
(endo- + plasma )
nome masculino

Parte do citoplasma interno que envolve o núcleo.


substantivo masculino [Biologia] Parte central, granulosa, do citoplasma das células. Opõe-se a ectoplasma. Variação de entoplasma.
Etimologia (origem da palavra endoplasma). Endo + plasma.


O endoplasma é a parte interna do citoplasma que circula o núcleo de uma célula.
Ele corresponde à parte líquida da matriz citoplasmática ou “citosol”, que tem consistência mais fluida e que se localiza na parte mais direcionada ao centro do citoplasma. Na porção mais externa, o citosol é mais viscoso, com uma consistência gelatinosa e mole, sendo chamado de ectoplasma.


bookmark_borderO que é macronúcleo

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. macro núcleo
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo masculino [Biologia] Qualquer núcleo grande.
[Zoologia] Núcleo de relativamente grandes dimensões que, durante a conjugação dos infusórios, fica na célula e se destina à assimilação, ao contrário do micronúcleo, que é trocado entre os dois conjugantes; meganúcleo.
Etimologia (origem da palavra macronúcleo). Macro + núcleo.


Macronúcleo (literalmente “núcleo grande”), também chamado de núcleo vegetativo é o maior núcleo encontrado no citoplasma celular de protozoarios, como o paramécio.
O macronúcleo tem como principal função o metabolismo (síntese do DNA e RNA), a não ser quando está envolvido no processo de reprodução celular que, neste caso, se dá por conjugação entre dois indivíduos, em que estes de emparelham e procedem então à troca de material por meio de uma ponte citoplasmática (com a emissão de micronúcleo gamético). O macronúcleo, durante este processo, se degenera.


bookmark_borderO que é laceração

laceração | s. f. derivação fem. sing. de lacerar
la·ce·ra·ção
substantivo feminino

Acto ou efeito de lacerar.
la·ce·rar la·ce·rar – Conjugar
verbo transitivo

Dilacerar; rasgar.


substantivo feminino Dilaceração; ferimento que rasga, despedaça ou dilacera.
Laceração pedal. Tipo de reprodução assexuada em que novos seres são formados por meio da regeneração de uma das partes retiradas do todo; tipo de reprodução das anêmonas-do-mar.
Ação ou efeito de lacerar, de machucar, ferir ou rasgar.
Etimologia (origem da palavra laceração). Do latim laceratio.onis.


Laceração é um tipo de ferida provocada por um corte ou rasgo.


bookmark_borderO que é hemocitoblasto

Palavra não encontrada. Sugerir a inclusão no dicionário da palavra pesquisada.


substantivo masculino [Biologia] Uma das células primordiais hipotéticas, das quais, segundo se presume, derivam todos os elementos celulares do sangue.
Etimologia (origem da palavra hemocitoblasto). Hemo + cito + blasto.


Hemocitoblastos ou Células-tronco hematopoiéticas são células precursoras dos glóbulos sanguíneos, de acordo com a teoria monofilética. É uma das denominações utilizadas para designar a célula-tronco hematopoiética, multipotente, da medula óssea, de origem mesenquimatosa, e que, por sua vez, forma todos os elementos figurados do sangue. Dão origem a diversos tipos de células do sangue, da linhagem mieloide (monócitos e macrófagos, neutrófilos, basófilos, eosinófilos, eritrócitos, megacariócitos/plaquetas, células dendríticas) e da linhagem linfoide (linfócitos T, linfócitos B, célula exterminadora natural).
A célula-tronco hematopoiética, multipotente, ao dividir-se, produz uma célula-filha, que é a réplica da célula-mãe, e outra que se diferencia, nos microambientes do tecido medular ou sob a influência de mediadores químicos, para especializar-se na produção de determinado tipo de célula sanguínea.
No entanto, GUYTON (1988) relata, em sua obra intitulada Fisiologia Humana, que os linfócitos são formados, principalmente, nos gânglios linfáticos e que todas as outras células sanguíneas são produzidas na medula óssea, com uma célula antecessora comum denominada de hemocitoblasto.
PEAKMAN e VERGANI, em sua obra Imunologia Básica e Clínica, relatam que os linfócitos possuem células precursoras na medula óssea e foram divididos pela via de maturação em dois grupos:

Linfócitos B;
Linfócitos T.


bookmark_borderO que é pinocitose

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. linfócitos pirocisões (norma brasileira) pirositos (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo feminino [Medicina] Absorção de líquidos por células vivas, efetiva-se pela invaginação da membrana plasmática (penetração de partes ou componentes celulares em outra cavidade celular que os absorve).
Etimologia (origem da palavra pinocitose). Pino + citose.


A pinocitose é um processo de endocitose em que a célula ingere líquidos ou pequenas partículas inespecíficas em solução aquosa, sem ser por difusão, mas por transporte em massa através da membrana plasmática. É um sistema de alimentação celular complementar à fagocitose. É uma das formas como as células recebem grandes proteínas, inclusive hormônios, e como os pequenos vasos sanguíneos obtêm sua nutrição.Neste processo a membrana celular invagina, desenvolvendo um pequeno saco para englobar as substâncias que deseja absorver. Parte da membrana então fecha em si mesma e separa-se do resto da membrana celular, transformando-se numa vesícula a que se dá o nome de pinossoma e que, dentro do citoplasma se junta a um lisossoma, que faz hidrólise das proteínas e fosfolipídeos da membrana para libertar as substâncias que tem no interior. É um processo que requer energia, na forma de ATP. Podemos observar a ocorrência da pinocitose em células do epitélio intestinal.
A micropinocitose é um subtipo do processo de pinocitose (que, por sua vez, é um subtipo do processo de endocitose). A micropinocitose é uma endocitose que acontece a todo o momento enquanto a célula está viva, pois, apesar de poder ocorrer para a transferência de substâncias entre as células, sua principal função é a nutrição celular. A formação da vesícula pinocitótica (pinossomo) se dá através de uma invaginação da membrana plasmática e, diferentemente da macropinocitose, pode ocorrer em qualquer região da célula. Leva esse nome por formar vesículas de englobamento muito pequenas, visíveis apenas ao microscópio electrónico. É desta forma que alguns vírus penetram no interior celular.


bookmark_borderO que é plasmódio

plasmódio | s. m.
plas·mó·di·o
nome masculino

1. [Biologia]   [Biologia]   O mesmo que hematozoário.

2. [Biologia]   [Biologia]   Massa de citoplasma com vários núcleos.


substantivo masculino Massa protoplasmática com muitos núcleos.
Hematozoário responsável pela malária.


Plasmódio é a designação dada em biologia às células multinucleadas formadas por divisão celular sem subsequente citocinese, ou seja em que a cariocinese não é seguida pela divisão do citoplasma.


bookmark_borderO que é divisão celular

substantivo feminino [Biologia] Processo em que uma célula, chamada célula-mãe, multiplica sua informação genética para depois se dividir em duas (mitose) ou quatro (meiose) novas células, chamadas células-filhas; parte essencial do ciclo celular dos organismos vivos, a divisão celular está envolvida na formação de gametas, no crescimento do indivíduo desde o zigoto e no processo de substituição de células senescentes por células novas.


Divisão celular é o processo que ocorre nos seres vivos, no qual uma célula, denominada célula-mãe, origina duas ou quatro células-filhas, contendo, essas, toda a informação genética de sua espécie.
Os organismos pluricelulares, como os humanos, contêm cerca de dez milhões de milhões de células (1013). No entanto, esse complexo organismo foi gerado a partir de uma única célula denominada célula ovo. Além disso, as divisões celulares são, também, as responsáveis pela regeneração de diversos órgãos, como o fígado. Sob uma óptica mais elementar, a própria célula ovo, mencionada anteriormente, só pode existir graças às divisões celulares que originam os gametas masculinos e femininos. Com relação aos organismos unicelulares, esse processo de gerar outras células também se mostra fundamental para a geração e o crescimento de uma colônia.
A divisão celular é um processo ordenado e organizado, sendo assim, depende inteiramente de situações específicas para realizar-se. É estimulado, interrompido e controlado por fatores genéticos e pela sinalização química de diversas substâncias. Isso quer dizer que a frequência, o momento e o modo como ocorrerá depende da espécie que pertence a célula e, também, de substâncias que desencadearão eventos que culminarão na divisão celular.