bookmark_borderO que é túmulo

túmulo | s. m. Será que queria dizer tumulo?
tú·mu·lo
(latim tumulus, -i, elevação de terreno )
substantivo masculino

1. Monumento elevado à memória de um morto nele encerrado. = MAUSOLÉU, SEPULCRO

2. Abertura onde se enterra um morto. = CAMPA, SEPULTURA

3. [Figurado]   [Figurado]   Morte.


substantivo masculino Cova; local onde alguém é enterrado: cemitério é lugar de túmulos.
Jazigo; edificação, ou monumento, construído sobre essa cova em memória da pessoa que nela foi enterrada.
[Figurado] Quem sabe guardar um segredo: minha mãe é um túmulo.
[Por Extensão] Local tristonho e silencioso: a rua era um túmulo durante a noite.
[Figurado] Morte; local em que algo deixa de existir: aquele trabalho era o túmulo de seus sonhos.
Etimologia (origem da palavra túmulo). Do latim tumulus.i.


Um túmulo, jazigo ou sepultura, é o lugar onde as pessoas são colocadas quando morrem, e por extensão, a qualquer forma de monumento erguido logo acima da terra.
Os túmulos variam de tamanho e forma e podem servir como uma homenagem póstuma para que a pessoa que se foi possa ser sempre lembrada. Túmulos de personalidades muitas vezes servem como locais de peregrinação para fãs ou curiosos.
Uma tumba é uma pequena construção (ou “câmara”) para os restos dos mortos, com paredes, um teto e (se não for usado por mais de um cadáver) uma porta. Pode ser parcialmente ou inteiramente no subsolo (exceto por sua entrada) em um cemitério, ou pode ser dentro da propriedade de uma igreja ou em sua cripta. Tumbas únicas podem ser permanentemente vedadas; aquelas para famílias (ou outros grupos) têm portas de acesso para quando for necessário.
Em termos etimológicos, “túmulo”, originalmente, referia-se a uma elevação de terreno, um outeiro. Posteriormente, ganhou também o sentido de sepultura.


bookmark_borderO que é cemitério

cemitério | s. m.
ce·mi·té·ri·o
substantivo masculino

1. Terreno delimitado em que se enterram ou depositam os mortos. = CAMPO-SANTO

2. [Figurado]   [Figurado]   Lugar onde morreu muita gente.

3. Local onde se depositam coisas velhas ou inúteis (ex.: cemitério de carros).


substantivo masculino Lugar onde se enterram os mortos ou se guardam cadáveres.
[Figurado] Lugar onde ocorre muita mortandade, massacre, matança.
[Figurado] Lugar deserto e silencioso: meu bairro é um cemitério!
[Figurado] Local usado como depósito de coisas velhas e usadas.
Etimologia (origem da palavra cemitério). Do grego koimeterion; pelo latim coemeterium.


Cemitério, necrópole ou sepulcrário é o lugar onde são sepultados os cadáveres. Na maioria dos casos, os cemitérios são lugares de prática religiosa.
Por analogia, chama-se cemitério um lugar onde se enterram ou acumulam produtos, tipicamente resíduos e detritos (por exemplo, cemitério de resíduos nucleares).
A palavra “cemitério” (do termo latino tardio coemeterium, derivado do grego κοιμητήριον [kimitírion], a partir do verbo κοιμάω [kimáo], “pôr a jazer” ou “fazer deitar”) foi dada pelos primeiros cristãos aos terrenos destinados à sepultura de seus mortos. Os cemitérios ficavam, geralmente, longe das igrejas, fora dos muros da cidade: a prática do sepultamento nas igrejas e respectivos adros era desconhecida nos primeiros séculos da era cristã. A partir do século XVIII, criou-se um sério problema com a falta de espaço para os enterramentos nos adros das igrejas ou mesmo nos limites da cidade; os esquifes se acumulavam, causando poluição e doenças mortais, o que tornava altamente insalubres as proximidades dos templos. Uma lei inglesa de 1855 veio regular os sepultamentos, passando estes a serem feitos fora do centro urbano. A prática da cremação, cada vez mais frequente, permitiu dar destino aos corpos de maneira mais compatível com as normas sanitárias.

Em muitas cidades, existem cemitérios onde os ritos funerários são cumpridos de acordo com a respectiva religião (católica, protestante, judaica, islâmica) ou fraternidade (maçônica). Criaram-se, também, cemitérios nacionais para o sepultamento de chefes militares e figuras notáveis da vida pública, como o Cemitério Nacional de Arlington, perto de Washington DC, nos Estados Unidos.
Alguns cemitérios modernos rompem com a imagem tradicional das necrópoles com jazigos e monumentos de mármore, substituindo-os por parques arborizados (memorial parks), onde simples chapas de metal assinalam o local da sepultura.
Outra prática comum, pela questão espacial, é a verticalização dos cemitérios, onde os túmulos são dispostos uns sobre os outros e em andares para as visitações.


bookmark_borderO que é catacumba

catacumba | s. f.
ca·ta·cum·ba
(latim catacumba, -ae )
substantivo feminino

1. Galeria subterrânea onde se enterravam os mortos e se escondiam os primitivos cristãos.

2. Gruta com ossuário.


substantivo feminino Edificação subterrânea utilizada como sepultura ou depósito de ossos de pessoas mortas.
Cova; local em que se sepulta o corpo de um defunto.
[História] Em Roma, do século I ao século IV, as galerias subterrâneas usadas como local de culto e catequese para os primeiros cristãos.
[Por Extensão] A parte que se localiza no subsolo de uma construção.
[Figurado] Local misterioso, subterrâneo e, geralmente, usado para abrigar coisas valiosas ou secretas.
Etimologia (origem da palavra catacumba). Do latim catacumba.ae.


Catacumbas são câmaras usadas como local de sepultamento.


bookmark_borderO que é lápide

lápide | s. f. Será que queria dizer lapide?
lá·pi·de
(latim lapis, -idis, pedra )
nome feminino

1. Pedra com inscrição.

2. Laje sepulcral.


substantivo feminino Pedra que contém uma inscrição, ou epitáfio, em homenagem e em memória de alguém falecido, geralmente colocada sobre o seu túmulo.
Laje que se coloca sobre a sepultura, sobre o túmulo.
Etimologia (origem da palavra lápide). Do latim lapis.idis.


Lápide ou lápida é uma pedra que contém uma inscrição (epitáfio) gravada para registrar a morte de uma pessoa, normalmente localizada sobre o túmulo ou anexa a ele. Podem ter também o formato de uma placa de bronze (ou outro metal).


bookmark_borderO que é necrópole

necrópole | s. f.
ne·cró·po·le
nome feminino

1. Cemitério grandioso.

2. Cripta.

3. [Figurado]   [Figurado]   Diz-se das povoações em que não há actividade e cujos habitantes são sedentários.


substantivo feminino Palavra de origem grega que quer dizer cidade dos mortos, ou seja, cemitério.
Arqueólogos e historiadores chamam o cemitério de uma cidade antiga de necrópole.


Necrópole (do grego νεκρόπολις, “cidade dos mortos”) é o conjunto de sepultamentos, também denominado cemitério. Normalmente a palavra necrópole está associada a “campos santos” (locais de enterramentos) anexos a centros de grandes civilizações. Em Roma, por exemplo, as sepulturas (ou túmulos) encontravam-se ao longo das principais vias de acesso à cidade.
Com o advento do cristianismo, no império romano, a partir da dinastia dos Constantinos (Século IV d.C), mudam-se os hábitos de enterrar. Anteriormente ao cristianismo, existia a cremação. Há um período posterior, de transição, que termina com os enterramentos de inumação junto de templos, que posteriormente, já em época tardo-medieval, situavam-se dentro dos adros e finalmente dentro dos próprios templos. Numa terceira fase, devido ao espaço, criam-se locais próprios para o enterramento, próximos aos locais de culto e do próprio habitat.

Em arqueologia, designam-se por necrópoles os locais de enterramentos em construções do tipo monumental (Dólmens ou Antas). Todavia, há uma distinção tipológica colocada pelos próprios arqueólogos para distinguir os tipos de enterramentos. Normalmente, diferenciam-se necrópoles aos locais colectivos de enterramentos anteriores ao advento do cristianismo, sendo portanto, chamados de cemitérios os locais de sepultamento de cristãos. A diferenciação baseia-se no facto de existirem, na ótica cristã a diferença entre cristão e pagão. Assim sendo, denominam-se por necrópoles todos os enterramentos coletivos pagãos, em detrimento do cemitério, como conjunto de enterramentos cristãos (BARROCA, 1987, p. 7-20). Todavia, estas terminologias poderão se imiscuir perante a diversidade cultural. Por necrópoles entendem-se genericamente o conjunto de sepulturas e/ou cemitérios de diferentes tipologias, dentro de uma determinada região ou zona. Sendo, portanto o cemitério e a sepultura as unidades menores e o conjunto destes dois, associados ou não, designados por necrópoles, em evidência à cidade, como aglomerado, conjunto, coletivo de lugares de sepultamento.


bookmark_borderO que é velório

velório | s. m. velório | s. m.
ve·ló·ri·o 1
(velar + -ório )
nome masculino

Vigília feita a um defunto.
ve·ló·ri·o ve·ló·ri·o 2
(alteração de avelório )
nome masculino

1. O mesmo que avelório.

2. Variedade de uvas muito miúdas e sem préstimo.


substantivo masculino [Brasil] Ato de velar um morto.


Velório é uma cerimônia fúnebre em que o caixão do falecido é posto em exposição pública para permitir que parentes, amigos e outros interessados possam honrar a memória do defunto antes do sepultamento. Sua duração é variada: de poucas horas a mais de um dia, podendo inclusive acontecer durante a madrugada.
Geralmente o velório é realizado em um lugar próprio para isso contíguo ao cemitério, em capelas ou igrejas embora possa ser feito em outros lugares — especialmente quando o morto foi uma pessoa célebre, realizando-se neste caso em sedes de governo ou de instituições, palácios, câmaras municipais, prefeituras etc.
É provável que este costume tenha se originado na Idade Média, na Europa, quando os copos e pratos eram feitos de estanho. A mistura de bebida alcoólica com o óxido de estanho causava uma espécie de narcolepsia. Quando um cadáver era encontrado, era deixado sobre uma mesa por alguns dias, para se ter certeza de que estava realmente morto.
Um dos motivos para a realização do velório é para ter certeza que o morto está realmente morto. Para isto estipularam o prazo de 24 horas.


bookmark_borderO que é coveiro

coveiro | s. m.
co·vei·ro |ò| co·vei·ro |ò|
(cova + -eiro )
nome masculino

1. Pessoa que abre as covas no cemitério.

2. [Portugal: Alentejo]   [Portugal: Alentejo]   Cabana junto à malhada, onde se retêm os cabritos enquanto se ordenham as mães.

3. [Portugal: Trás-os-Montes]   [Portugal: Trás-os-Montes]   Diz-se do vinho que tem um cheiro desagradável.Confrontar: couveiro.


substantivo masculino Aquele que abre covas para enterrar os mortos.
[Figurado] O que contribui para a ruína de uma instituição.


Coveiro é um trabalhador dos cemitérios, responsável – dentre outras atividades – pela preparação das covas e dos túmulos durante um funeral.