bookmark_borderO que é nada

nada | pron. indef. | s. m. | adv. fem. sing. de nado 3ª pess. sing. pres. ind. de nadar 2ª pess. sing. imp. de nadar
na·da
(latim [res] nata, coisa nascida )
pronome indefinido

1. Usa-se para negar a ausência total de objectos , coisas, ideias , conceitos, etc. (ex.: estava escuro e não vi nada; nada lhe despertou a atenção). = COISA NENHUMA ≠ TUDOnome masculino

2. O que não existe; o não-ser .

3. [Por extensão]   [Por extensão]   Pouca coisa (ex.: a felicidade é feita de pequenos nadas; viu a sua importância ser reduzida a um nada).

4. [Figurado]   [Figurado]   Fragilidade.advérbio

5. Usa-se para enfatizar a negação (ex.: não foi nada fácil convencê-los; – disseste que sim… – não disse nada!). = DE MODO NENHUM

daí a nada • Pouquíssimo tempo depois; daí a breves instantes (ex.: ouvimos passos na escadaria e daí a nada eles entravam na sala).

dali a nada • Pouquíssimo tempo depois; dali a breves instantes (ex.: saíram tarde, mas dali a nada estavam de volta).

daqui a nada • Pouquíssimo tempo depois; daqui a breves instantes (ex.: daqui a nada já lhe ligo).

dar em nada • Perder-se ou não ter qualquer resultado ou efeito prático.

de nada • Que não merece grande atenção; que não tem grande importância (ex.: zangaram-se por uma coisa de nada). = INSIGNIFICANTE, IRRISÓRIO

• Expressão usada como resposta a um agradecimento (ex.: – Obrigado pelo presente. – De nada.). = ORA ESSA

nada de nada • Absolutamente nada.
na·do na·do 2
(latim natus, -a, -um )
adjectivo adjetivo

1. Que já nasceu. = NASCIDO, NATO

2. Que já está no horizonte (ex.: sol nado).
na·do na·do 1
(derivação regressiva de nadar )
nome masculino

1. Acto ou efeito de nadar.

2. O que se pode nadar de uma vez.

3. [Brasil]   [Brasil]   [Desporto]   [Esporte]   Modo de nadar. = ESTILO

a nado • Nadando (ex.: atravessaram o rio a nado; travessia a nado).

em nado • Na água; não em seco.

nado borboleta • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Maneira de nadar em que o nadador está de barriga para baixo e em que os braços se introduzem lateralmente na água, de cima para baixo, desde fora da água. (Equivalente no português de Portugal: estilo de mariposa.) = MARIPOSA

nado crawl • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Maneira de nadar em que o corpo fica virado de barriga para baixo, as pernas batem na água de forma contínua e os braços movimentam-se alternadamente em movimentos rotativos. (Equivalente no português de Portugal: estilo de crol.) = CROL

nado de peito • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Maneira de nadar em que o nadador está de barriga para baixo e faz movimentos circulares de braços e pernas para os lados. (Equivalente no português de Portugal: estilo de bruços.)

nado de costas • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Maneira de nadar em que o corpo fica virado de barriga para cima, que as pernas batem na água de forma contínua e os braços movimentam-se alternadamente em movimentos rotativos. (Equivalente no português de Portugal: estilo de costas.) = COSTAS

nado livre • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Categoria de competição em que o nadador pode nadar em qualquer estilo, sendo normalmente escolhido o estilo de crol . (Equivalente no português de Portugal: estilo livre.)

nado sincronizado • [Brasil]   • [Brasil]   • [Desporto]   • [Esporte]   Disciplina da natação em que o acto de nadar é feito com acompanhamento musical e obedece a coreografia. (Equivalente no português de Portugal: natação sincronizada.)
na·dar na·dar – Conjugar
verbo intransitivo

1. Flutuar e mover-se na água (ajudando-se com os braços e as pernas).

2. Boiar.

3. Estar submerso.

4. [Figurado]   [Figurado]   Engolfar-se.

5. Ter abundantemente o gozo de.


substantivo masculino Coisa nula, sem valor: transformou o nada em arte.
O que não existe; o vazio: depois da morte, o nada.
[Filosofia] Categoria filosófica que representa o não-ser, a ausência de existência: Sartre escreveu “O ser e o nada”.
locução adjetiva De nada; que merece pouca consideração, que inspira pouco ou nenhum temor ou respeito; insignificante: homenzinho de nada.
locução adverbial Antes de mais nada. Em primeiro lugar; antes de tudo.
Por nada. Por um triz; por pouco.
Há nada. Há pouco tempo atrás: há nada, vi-o passar.
locução conjuntiva Nada menos. Contudo, todavia.
expressão De nada; por nada. Não tem de quê; em agradecimento a; obrigado(a).
Nada mau. Melhor do que se esperava; razoável.
Nada bom. Nem um pouco bom; péssimo.
Nada feito. Em vão; inutilmente.
Nada disso! De forma alguma, de jeito nenhum.
Nada de novo. Nenhuma novidade.
Não servir para nada. Ser perfeitamente inútil; não ter serventia.
Não prestar para nada. Não ter préstimo, utilidade ou aplicação.
Não ter nada a ver com. Não estar envolvido em ou com, não ter responsabilidade ou culpa alguma.
Não ser nada (de alguém). Não ser parente ou amigo dessa pessoa.
Vir do nada. Ser de origem humilde.
[Popular] Não ser de nada. Ser um conversa-fiada; não ser capaz ou não ter o hábito de cumprir as ameaças que faz.
Etimologia (origem da palavra nada). Do latim res, nada “coisa nascida”.


Nada é um conceito normalmente usado para descrever a ausência de qualquer coisa ou lugar.


bookmark_borderO que é alienação

alienação | s. f. derivação fem. sing. de alienar
a·li·e·na·ção
(latim alienatio, -onis )
nome feminino

1. Acto ou efeito de alienar ou de se alienar. = ALIENAMENTO

2. Cessão ou transmissão de bens ou direitos. ≠ INALIENAÇÃO

3. Arroubamento de espírito.

alienação fiduciária • [Direito]   • [Direito]   Transferência de um bem, feita pelo devedor à entidade ou empresa financiadora, até que seja feito o pagamento da dívida.
a·li·e·nar a·li·e·nar – Conjugar
(latim alieno, -are )
verbo transitivo

1. Transferir para domínio alheio (por venda, troca, doação, etc.).

2. Alucinar.

3. Malquistar.verbo pronominal

4. Enlouquecer; alhear-se.


substantivo feminino Transferência de propriedade ou de direito: alienação de bens.
Resultado do abandono ou efeito da falta de um direito: alienação paternal.
[Informal] Desinteresse por questões políticas ou sociais: alienação política.
[Psicologia] Perda da razão; loucura: alienação mental.
[Psicologia] Estado da pessoa que, tendo sido educada em condições sociais determinadas, se submete cegamente aos valores e instituições dadas, perdendo assim a consciência de seus verdadeiros problemas.
[Psicologia Patologia] No desenvolvimento de um sintoma clínico algumas pessoas ou situações comuns tornam-se estranhas ou perdem sua natureza familiar.
[Filosofia] Segundo o hegelianismo, momento em que a consciência se torna desconhecida a si própria ou a sua própria essência.
Ação ou efeito de alienar: alienação de uma propriedade.
expressão Alienação Fiduciária. Contrato entre o devedor (fiduciante) e o credor (fiduciário) em que a posse do bem só é transferida pelo credor ao devedor, após o pagamento completo do valor em dívida.
Alienação Parental. Situação em que um dos progenitores é impedido de estar com o(s) filho(s), sendo afastado do convívio com a criança.
Etimologia (origem da palavra alienação). Do latim alienatione.m.


Alienação (do latim alienatione) nas Ciências sociais, é um conceito que designa indivíduos que estão alheios a si próprios ou a outrem tornando-se escravos de atividades ou instituições humanas, devido a questões econômicas, sociais ou ideológicas. Desta forma, refere-se também à diminuição da capacidade dos indivíduos em pensarem e agirem por si próprios. Há quem defina a alienação como “a falta de consciência por parte do ser humano de que ele possui um grau de responsabilidade na formação do mundo a seu redor, e vice-versa”.Deste conceito filosófico-sociológico, derivaram-se outros usos da palavra, como por exemplo, na psiquiatria, pode ser usada como um sinônimo de loucura. No Direito, existem a alienação de um bem, a Alienação parental e a Alienação fiduciária. Ainda que a alienação seja um conceito a priori filosófico, existe o conceito de alienação mais propriamente na Filosofia Marxista.


bookmark_borderO que é tédio

tédio | s. m.
té·di·o
substantivo masculino

Estado ou sensação vaga de desprazer e até de certa repugnância. = ABORRECIMENTO, DESGOSTO, ENFADO, FASTIO, NOJO


substantivo masculino Sentimento de aborrecimento, nojo, desgosto: o tédio dos longos dias de isolamento.
Sentimento enfadado provocado pela demora no desenvolvimento de alguma coisa.
Sentimento de aversão, de desgosto sem causas aparentes.
Etimologia (origem da palavra tédio). Do latim taedium.


O tédio é um sentimento humano descrito como um estado de falta de estímulo, ou do presenciamento de uma ação ou estado repetitivo — por exemplo, falta de coisas interessantes para fazer, ouvir, sentir etc. As pessoas afetadas por tédio em caráter temporário consideram este estado muitas vezes como perdido, perda de tempo, mas geralmente, não mais do que isto. Alternativamente, alguns acham que ter tempo de sobra também causa tédio. Para as pessoas entediadas, o tempo parece passar mais lentamente do que quando elas estão entretidas. Tédio também pode ser um sintoma de depressão.
O tédio pode levar a atitudes impulsivas e às vezes mesmo excessivas, que não servem para nada e podem causar danos. Por exemplo, estudos mostram que acionistas da Bolsa de Valores podem vender ou comprar ações sem nenhuma razão objetiva para tal, simplesmente porque eles sentem-se entediados por não terem nada para fazer, onde o tédio é desencadeado por uma situação de saída de uma atividade rotineira de fazer contas, verificar investimentos etc.


bookmark_borderO que é má-fé

mafé | s. 2 g. má-fé | s. f.
ma·fé
(do crioulo da Guiné-Bissau )
nome de dois géneros

[Guiné-Bissau]   [Guiné-Bissau]   [Culinária]   [Culinária]   Molho ou caldo, geralmente feito de carne, peixe ou marisco (ex.: o mafé serve de acompanhamento à bianda).
má·-fé má·-fé
nome feminino

Intenção de quem, de forma dissimulada e consciente, pretende causar dano. = FALSIDADE, PERFÍDIA ≠ BOA-FÉPlural: más-fés. Plural: más-fés.


Ainda não temos o significado de mafe. Mas você pode ajudar a melhorar o Dicio sugerindo uma definição.


Má-fé (da expressão latina mala fides) é um conceito associado à ideia de fraude ou intenção dolosa.Pode envolver engano intencional dos outros ou da própria pessoa (autoengano). Uma expressão de utilização comum é: assumir a má-fé; aqui, vê-se, nas ações de outra pessoa, motivações negativas, quer essas motivações de facto existam ou não existam.
É um procedimento utilizado para enganar. Por isso, é caracterizado como crime.
Quando uma pessoa inventa uma mentira e a conta como se fora um fato verídico, mesmo que não cause prejuízo financeiro, apenas a utilização de história fraudulenta, caracteriza crime punível civil e criminalmente.


bookmark_borderO que é angústia

angústia | s. f. Será que queria dizer angustia?
an·gús·ti·a
(latim angustia, -ae, estreiteza, contrariedade, aflição )
substantivo feminino

1. Estreiteza.

2. Grande aflição acompanhada de opressão e tristeza.


substantivo feminino Condição de quem está muito ansioso, inquieto; aflição.
Ansiedade física acompanhada de dor; sofrimento, tormento.
Inquietude profunda que oprime o coração: uma angústia mortal.
Diminuição de espaço; redução de tempo; carência, falta.
[Filosofia] Experiência metafísica, para os filósofos existencialistas, através da qual o homem toma consciência do ser.
[Filosofia] Condição sentimental que, para Heidegger (1889-1976), nasce da consciência de que não se pode evitar a morte.
[Filosofia] Sentimento de ameaça que, para Kierkegaard (1813-1855), não se consegue determinar nem medir, sendo próprio da condição humana.
Etimologia (origem da palavra angústia). Do latim angustia, “misérias”.


Podemos chamar de angústia a forte sensação psicológica, caracterizada por “abafamento”, insegurança, falta de humor, ressentimento e dor. Na moderna psiquiatria é considerada uma doença que pode produzir problemas psicossomáticos.
A angústia é também uma emoção que precede algo (um acontecimento, uma ocasião, circunstância), também pode-se chegar a angústia através de lembranças traumáticas que dilaceraram ou fragmentaram o ego.
Angústia quando a integridade psíquica está ameaçada, também costuma-se haver angústia em estados paranoicos onde a percepção é redobrada e em casos de ansiedade persecutória.
A angústia exerce função crucial na simbolização de perigos reais (situação, circunstância) e imaginários (consequências temidas).