bookmark_borderO que é pantaneiro

pantaneiro | adj. | s. m. | adj. s. m.
pan·ta·nei·ro
(pântano + -eiro )
adjectivo adjetivo

1. [Brasil]   [Brasil]   Relativo a pântano, sobretudo na região do Pantanal mato-grossense (ex.: planície pantaneira).nome masculino

2. [Brasil]   [Brasil]   Natural ou habitante do Pantanal mato-grossense (ex.: a nova ponte veio facilitar a vida dos pantaneiros).

3. [Brasil: Mato Grosso]   [Brasil: Mato Grosso]   Criador de gado.adjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

4. [Brasil: Mato Grosso]   [Brasil: Mato Grosso]   Diz-se de ou certa raça de gado bovino do Mato Grosso (ex.: vitelo pantaneiro; criação de pantaneiros).


adjetivo Diz-se de pessoa, objeto ou criação oriundos do pantanal mato-grossense.
Etimologia (origem da palavra pantaneiro). Pântano + eiro.
substantivo masculino Raça de bovinos e equinos típicos dessa região.


Pantaneiro é o habitante tradicional do ecossistema Pantanal. Os pantaneiros tradicionais vivem com as condições oferecidas pela própria natureza, adaptando-se aos períodos das chuvas, que alagam a região por um longo tempo.
As populações tradicionais, entre elas os pantaneiros, foram reconhecidas pelo Decreto Presidencial nº 6.040, assinado em 7 de fevereiro de 2007, nele o governo federal reconhece, pela primeira vez na história, a existência formal de todas as chamadas populações tradicionais.
Ao longo dos seis artigos do decreto, que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT), o governo amplia o reconhecimento que havia sido feito parcialmente, na Constituição de 1988, aos indígenas e aos quilombolas.Assim, todas as políticas públicas decorrentes da PNPCT beneficiarão oficialmente o conjunto das populações tradicionais, incluindo ainda faxinenses (que plantam mate e criam porcos), comunidade de “fundo de pasto”, geraizeiros (habitantes do Sertão), pantaneiros, caiçaras (pescadores do mar), ribeirinhos, seringueiros, castanheiros, quebradeiras de coco babaçu e ciganos, entre outros.


bookmark_borderO que é superstição

superstição | s. f.
su·pers·ti·ção
nome feminino

1. Sentimento de veneração religiosa fundada no temor ou ignorância e que conduz geralmente ao cumprimento de falsos deveres, a quimeras, ou a uma confiança em coisas ineficazes.

2. Opinião religiosa fundada em preconceitos ou crendices.

3. Presságio que se tira de acidentes e circunstâncias meramente fortuitas.


substantivo feminino Crendice; crença sem fundamento racional e lógico que, normalmente, se baseia situações recorrentes ou coincidências eventuais.
Crença que faz com que alguém crie certas regras ilógicas, tenha medo de coisas inofensivas ou acredite em coisas sem fundamento.
[Por Extensão] Ação de atribuir sorte ou azar a ações ou coisas.
[Figurado] Crença excessiva e sem fundamento em alguma coisa.
Etimologia (origem da palavra superstição). Do latim superstitio.onis.


Superstição (do latim superstitio, “profecia, medo excessivo dos deuses”) ou crendice é um termo pejorativo para qualquer crença ou prática que é considerada irracional ou sobrenatural: por exemplo, se surgir da ignorância, um mal-entendido da ciência ou causalidade, uma crença positiva no destino ou magia, ou medo daquilo que é desconhecido. É comumente aplicado a crenças e práticas que envolvem a sorte, a profecia e certos seres espirituais, particularmente a crença de que eventos futuros podem ser preditos por eventos anteriores específicos (aparentemente) não relacionados. A palavra superstição é freqüentemente usada para se referir a uma religião que não é praticada pela maioria de uma determinada sociedade, independentemente de a religião prevalente conter supostas superstições.

Devido às implicações pejorativas do termo, itens referidos na linguagem comum como superstição são comumente referidos como crença popular na folclorística.Cada agrupamento religioso vê como supersticiosas as crenças que estão fora de suas visões da realidade, o que está em acordo com a definição primitiva da palavra “superstição”, derivada do latim superstitio, significando “algo que sobrou”, se contrapondo a religio, a palavra latina usada para se referir ao culto aos deuses. No entanto, o que é considerada uma crença perfeitamente aceita por um grupo pode ser visto como supersticiosa por pessoas de outras culturas.


bookmark_borderO que é charivari

charivari | s. m.
cha·ri·va·ri |vàrí| cha·ri·va·ri |vàrí|
(francês charivari )
nome masculino

1. Grande barulho. = CHINFRIM

2. Grande confusão. = BALBÚRDIA, DESORDEM

3. Manifestação tumultuosa. = ALVOROÇO, GRITARIA


substantivo masculino Tumulto, confusão.
Discussão acalorada misturada com gritos.
[Figurado] Música discordante.


Charivari (em alemão: Katzenmusik; em inglês: skimmington) é um termo para um costume popular em que um desfile simulado era encenado por uma comunidade acompanhada por uma serenata dissonante. Uma vez que a multidão pretendia fazer tanto barulho quanto possível, batendo em panelas e frigideiras ou qualquer coisa que surgisse, esses desfiles eram muitas vezes chamados de música bruta. Os desfiles eram de três tipos. Na primeira e geralmente mais violenta, um malfeitor ou transgressor podia ser arrastado de sua casa ou local de trabalho e obrigado a desfilar à força por uma comunidade. No processo, eles estavam sujeitos ao escárnio da multidão, podiam ser atacados e frequentemente uma ou várias vítimas eram enterradas no final do processo. Uma forma mais segura envolvia um vizinho do transgressor que se fazia passar pela vítima enquanto era levado pelas ruas. O imitador obviamente não era punido e muitas vezes gritava ou cantava versos de ribalta zombando do transgressor. Na forma comum, uma efígie era empregada, abusada e frequentemente queimada no final do processo.As comunidades usaram “música bruta” para expressar sua desaprovação dos diferentes tipos de violação das normas da comunidade. Por exemplo, podiam ter como alvo casamentos dos quais desaprovavam, como a união entre um viúvo mais velho e uma mulher muito mais jovem, ou o casamento prematuro de uma viúva ou viúvo. As aldeias também usavam o charivari em casos de relações adúlteras, contra espancadores de esposas ou maridos agredidos e mães solteiras. Também foi usado como uma forma de humilhar os maridos que foram espancados por suas esposas e não tinha se levantado. Em alguns casos, a comunidade desaprovou qualquer novo casamento de viúvas ou viúvos idosos. Charivari é uma palavra de origem francesa e no Canadá é usada por falantes do inglês e francês. Chivaree se tornou a variante comum em Ontário. Nos Estados Unidos, o termo shivaree é mais comum.Como espécies de rituais populares de justiça, esses eventos foram cuidadosamente planejados e eles eram frequentemente encenados em épocas de festividades tradicionais, misturando assim a justiça e a celebração.


bookmark_borderO que é sesta

sesta | s. f.
ses·ta |é| ses·ta |é|
(latim [hora] sexta, sexta hora )
substantivo feminino

1. Sono de curta duração que se dorme geralmente depois da refeição do almoço.

2. Tempo durante o qual os trabalhadores interrompem o trabalho ao almoço.

3. Hora de descanso.

bater uma sesta • Dormir durante pouco tempo.

fazer a sesta • Dormir um pouco, geralmente depois do almoço.Confrontar: cesta, sexta.


substantivo feminino Breve cochilada após o almoço; repouso após o almoço, geralmente no início da tarde; o tempo que se passa nesse descanso.
Meridiana; a hora em que o calor é mais intenso no decorrer do dia.
Não confundir com: sexta ou cesta.
Etimologia (origem da palavra sesta). Do latim sexta.ae.


A sesta é uma breve cochilada no início da tarde, geralmente depois do almoço. Esse período de sono é uma tradição em alguns países, particularmente naqueles onde o clima é quente. A palavra tem origem na expressão latina hora sexta, que no calendário romano correspondia à sexta hora a partir da manhã, ou seja, ao meio-dia.
Um estudo publicado em Setembro de 2002 sobre o efeito dos cochilos na produtividade demonstrou que 10 minutos de sono tendem a melhorar a produtividade de modo mais efetivo do que os cochilos mais longos.


bookmark_borderO que é olheiro

olheiro | s. m. olheiro | s. m.
o·lhei·ro 1
(olhar + -eiro )
substantivo masculino

1. Pessoa que observa com objectivo de transmitir informações a alguém. = CAPATAZ

2. Vigilante de trabalhos. = INFORMADOR, OBSERVADOR

3. Pessoa que tem como actividade observar desportistas , especialmente no futebol, para descobrir novos talentos ou tácticas (ex.: ela foi olheira do clube durante vários anos).

4. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Pessoa que vigia a aproximação da polícia.

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Pessoa que tem como actividade vigiar automóveis estacionados ou auxiliar os automobilistas a estacionar. = ARRUMADOR, GUARDADOR
o·lhei·ro o·lhei·ro 2
(olho + -eiro )
substantivo masculino

1. Ponto de onde rebenta a água do solo. = OLHO-D’ÁGUA

2. [Portugal: Beira]   [Portugal: Beira]   Espécie de clarabóia .


substantivo masculino Aquele que trabalha vigiando uma determinada atividade, trabalho, pessoa etc. para informar a pessoa que o contratou.
Empregado que observa os demais subordinados; capataz.
Aquele tem como encargo informar o que vê; informador.
[Geografia] Nascente de água que brota do chão.
[Regionalismo: Rio de Janeiro] Indivíduo encarregado de vigiar carros estacionados na rua; guardador de automóveis.
Vigia incumbido de dar o alarme ao bicheiro ou camelô em caso de aproximação da polícia; espião.
Etimologia (origem da palavra olheiro). Olho + eiro.


Olheiro é uma pessoa que tem a função de observar alguém a mando de outra pessoa. A condição de olheiro pode ser exercida nas situações abaixo:


bookmark_borderO que é espinhela

espinhela | s. f.
es·pi·nhe·la |é| es·pi·nhe·la |é|
(espinha + -ela )
nome feminino

1. [Informal]   [Informal]   [Anatomia]   [Anatomia]   Apêndice cartilagíneo que termina a parte inferior do esterno. = APÊNDICEXIFÓIDE

2. [Ornitologia]   [Ornitologia]   Estrutura em forma de quilha, no esterno das aves.

3. [Ictiologia]   [Ictiologia]   O mesmo que esgana-gata.

4. [Mineralogia]   [Mineralogia]   Espinela.

5. [Antigo]   [Antigo]   Aparador.

espinhela caída • [Informal]   • [Informal]   Dor no esterno, causada por esforço ou cansaço.

• [Informal]   • [Informal]   Grande raqueza ou prostração.

levantar a espinhela • [Informal]   • [Informal]   Fazer prática de curandeiro para alegadamente tratar o mal da espinhela caída.

• [Informal]   • [Informal]   Dar alento, ânimo ou coragem. = ALENTAR, ANIMAR


substantivo feminino Nome vulgar do apêndice xifóide.
[Brasil] Pop. Espinhela caída, expressão com que o povo designa, de maneira genérica, qualquer doença que afete o peito, atribuindo-lhe como causa uma queda do esterno.


Espinhela caída Também conhecida por Lumbago é a designação popular de uma doença caracterizada por forte dor no peito , nas costas e pernas, além de um cansaço anormal que acomete o indivíduo, ao submeter-se a esforço físico. No Brasil, a doença é também referida como “peito aberto”, na Bahia e Minas Gerais, e “peito aberto”, em Pernambuco, ou ainda como “arca caída”.
.
Segundo a tradição popular, a espinhela é um osso pequeno, flexível, “parecendo um nervo”, que se encontra no meio do peito, entre o coração e o estômago, e que pode envergar para dentro. Em Portugal diz-se que “a espinhela é um ossinho, como o rabo de uma lebre, na boca do estômago”. Quando o indivíduo faz um grande esforço e sente dor no local, significa que está sofrendo de espinhela caída. A doença seria decorrente de esforço repetitivo – como erguer ou carregar objetos excessivamente pesados. Tendo sintomas como fraqueza, apatia, perda de apetite,náuseas e fraqueza nos braços.
Quando é constatada que a pessoa está acometida de “espinhela caída”, a mesma deve geralmente procurar uma rezadeira ou ficar de pés juntos e levantar os braços com as mãos unidas a cima da cabeça o máximo que puder, descendo os braços vagarosamente, durante três dias, tomar pela manhã gelada e manter repouso, não deverá pegar peso, faxinar a casa,deverá dormir de barriga para cima e com os braços sobre o peito. Evitar bebida gelada.
Para saber se a a pessoa está com a “espinhela caída” é necessário tirar a medida com um barbante ou uma fita, do dedo mínimo até o cotovelo da pessoa e colocar da ponta de um ombro a outro, se a fita ou barbante ficar sobrando a pessoa está com a espinhela caída, devesse medir também de ombro a ombro pelas costas.

Especialmente, a espinhela corresponde ao apêndice xifóide ou processo xifóide (do grego ksíphos, eos-ous, ‘espada ou punhal’), uma pequena extensão alongada, cartilaginosa, situada na extremidade inferior do esterno, que geralmente se ossifica, no indivíduo adulto.

Espinhela caída seria uma anomalia do apêndice xifóide, tendo como resultado uma síndrome muito complexa, com uma variada gama de sintomas, conhecida em vários países. A espinhela não pode “cair”, de fato, mas relaxar-se ou curvar-se, por várias causas, inclusive uma tosse violenta, causando reflexos sobre estômago, diafragma, pâncreas, fígado e portanto gastralgias, vômitos, perturbações respiratórias, pancreáticas, hepáticas e languidez de todo o corpo.
Segundo o professor Fernando São Paulo, citando Chermont de Miranda, o conceito de espinhela caída existia entre os ameríndios, antes da chegada de Colombo: espinhela caía – pissum hoá – e os pagés a levantavam – pissum upi.


bookmark_borderO que é bordão

bordão | s. m.
bor·dão
(latim burdo, -onis, macho, mula )
substantivo masculino

1. Pau que serve para apoio de quem caminha (ex.: um dos peregrinos passou agarrado a um bordão). = CAJADO, VARAPAU

2. [Figurado]   [Figurado]   Aquilo que ajuda. = ARRIMO, AUXÍLIO

3. [Armamento]   [Armamento]   Corda de arco de atirar.

4. [Linguística]   [Lingüística]   [Linguística]   Palavra ou locução esvaziada de sentido e sem função morfossintáctica , que se usa ou repete no discurso, geralmente de forma inconsciente ou automática, por vezes como forma de apoio em momentos de hesitação, esquecimento ou reformulação do pensamento (ex.: os bordões portanto e é assim são característicos do registo coloquial).

5. [Música]   [Música]   Corda grossa de certos instrumentos.

6. [Música]   [Música]   Tom invariável que serve de baixo na gaita-de-foles , sanfona, etc.

7. [Música]   [Música]   Cano de gaita-de-foles que é geralmente colocado sobre o ombro do gaiteiro. = RONCÃO

8. [Música]   [Música]   Registo de diapasão grave do órgão.

9. [Botânica]   [Botânica]   Espécie de palmeira de que se faz o maluvo.


substantivo masculino Palavra, expressão ou frase que alguém repete excessivamente.
[Por Extensão] Dito repetido para ser engraçado ou emotivo.
Vara com extremidade em formato de gancho, usado para dar apoio.
[Figurado] Algo ou alguém que presta ajuda, ampara ou socorre.
Etimologia (origem da palavra bordão). Do latim burdo.onis.
substantivo masculino [Música] Corda espessa que produz um som grave; o som grave.
[Música] Corda que, em instrumentos musicais, emite o som mais grave.
[Música] Corda localizada na parte inferior dos tambores.
[Por Extensão] Corda que atira as flechas, num arco.
Etimologia (origem da palavra bordão). Do francês bourdon.
substantivo masculino Palmeira de seiva doce usada para produzir maluvo (bebida fermentada).
Etimologia (origem da palavra bordão). Talvez de bordo.


Bordão é uma expressão comumente repetida por alguém, ou algo, sempre em uma determinada situação. Na música, bordão refere-se a determinado tema musical, marcado por notas graves, recorrente em determinada melodia.O termo também pode se referir as cordas vibrantes da sanfona que emitem continuamente a mesma nota ou o apoia ombral utilizado pelos gaiteiros, também conhecido por ronco.


bookmark_borderO que é celeuma

celeuma | s. f.
ce·leu·ma
(latim celeuma, -atis, canto cadenciado para regular o movimento dos remadores )
substantivo feminino

1. Barulho de muitas vozes juntas. = ALGAZARRA, ASSUADA, VOZEARIA

2. Agitação barulhenta. = ALGAZARRA, CONFUSÃO, TUMULTO

3. [Figurado]   [Figurado]   Discussão intensa, acalorada. = POLÉMICA

4. [Antigo]   [Antigo]   Vozearia de marinheiros em faina.


substantivo feminino Cantos que ritmam o trabalho dos marinheiros ou barqueiros; o canto do marinheiro.
[Por Extensão] O barulho feito pelas pessoas enquanto trabalham juntas.
[Por Extensão] Excesso de agitação; algazarra ou tumulto.
[Figurado] Discussão veemente e apaixonada: a divisão da herança fez uma celeuma entre os herdeiros.
Etimologia (origem da palavra celeuma). Do latim celeuma/do grego kéleusma/kéleuma.atos.


Celeuma é um tipo de canção de trabalho que já foi de comum uso como acompanhamento para a execução de atividades repetitivas de marinheiros em navios mercantes e veleiros.Os celeumas guardam fortes relações com os cânticos militares e outras tradições musicadas de instituições como as marinhas. Eles eram notavelmente influenciados por cantigas africanas. O repertório poderia receber influência de músicas populares de determinadas épocas que eram do gosto dos marinheiros, incluindo minstrelsy, marchas famosas e música tradicional, as quais eram adotadas de acordo com sua adequação rítmica às atividades laborais. Tais trabalhos, que comumente requeriam esforços coordenados e sincronizados dos grupos de tripulantes, envolviam sobretudo ações de empurrar ou puxar, como o levantamento de âncoras, a armação de velas ou o remar.


bookmark_borderO que é patricinha

patricinha | adj. f. s. f.
pa·tri·ci·nha
(Patrícia, antropónimo + -inha )
adjectivo feminino e nome feminino adjetivo feminino e nome feminino

[Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Diz-se de ou jovem do sexo feminino que exibe comportamento ou aparência considerado como pertencente a uma classe social elevada (ex.: ela é tão patricinha que irrita; não conheço essa patricinha). [Equivalente no português de Portugal: betinha.]Masculino: mauricinho. Masculino: mauricinho.


substantivo feminino [Brasil] Regionalismo. Pej. Menina, adolescente ou jovem que se veste de maneira apurada, se preocupa com a elegância e procura estar em locais da moda.
Etimologia (origem da palavra patricinha). Patrícia + inha.


O termo patricinha (português brasileiro) ou betina (português europeu) é uma gíria que remete a uma mulher que na maioria das vezes é bem cuidada, rica, mimada, consumista, modista, protegida pelos pais e geralmente tem uma ótima autoestima (Às vezes de forma excessiva). Em meados da década de 1990 e no início dos anos 2000, o símbolo das patricinhas foi representado pelos filmes As Patricinhas de Beverly Hills e Meninas Malvadas . Em alguns círculos sociais o termo é usado de forma pejorativa como sinônimo de adolescente esnobe, desagradável e não focada em “Problemas Relevantes”, como política, economia e questões humanitárias, por exemplo.
A gíria pode ter origem em Patrício (em latim: patricius), que originalmente eram os cidadãos que constituíam a aristocracia da Roma Antiga, equivalendo a uma forma de nobreza hereditária.
No Brasil, o equivalente a patricinha na idade adulta costuma ser associado a socialite, uma mulher que alega viver uma vida luxuosa.
Apesar de serem pejorativos, os termos “mauricinho” e “patricinha” designam pessoas que possuem um relativamente elevado nível social e se preocupam com a aparência.
Em inglês, o termo equivalente é Valley girl, referente às garotas de classe média alta na região do Vale de São Fernando em Los Angeles, e popularizado por uma canção homônima de Frank Zappa.


bookmark_borderO que é motoboy

motoboy | s. m.
mo·to·boy |bói| mo·to·boy |bói|
(moto- + boy )
nome masculino

[Brasil]   [Brasil]   Moço de recados ou que faz as voltas de serviço utilizando uma motocicleta.Plural: motoboys. Plural: motoboys.


substantivo masculino Trabalhador responsável por entregas, efetuadas através de uma motocicleta, para diversas empresas.
Etimologia (origem da palavra motoboy). Moto + boy do inglês office boy.


Motofretista (em razão do serviço de motofrete), motoboy, motoboy (português brasileiro) ou estafeta (português europeu), é uma profissão de quem utiliza motocicleta (geralmente de baixa cilindrada, de 125 a 250 centímetros cúbicos), para entregar e distribuir diversos tipos de objetos: pizza, fast-food, documentos, pagamentos bancários, entre outros produtos e serviços.
A palavra “motoboy” é formada pela junção das palavras “motocicleta” e “boy” (termo inglês para “garoto”).