bookmark_borderO que é carta

carta | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de cartar 2ª pess. sing. imp. de cartar
car·ta
(latim charta, -ae, folha de papiro para ser escrita, folha de papel, documento )
substantivo feminino

1. Escrito fechado que se dirige a alguém.

2. Nome de certos documentos oficiais que contêm despacho, provisão, licença, etc.

3. Diploma (ex.: pediu na secretaria a emissão da carta de curso).

4. Lista das bebidas ou dos pratos disponíveis para consumo num estabelecimento comercial (ex.: carta de queijos; carta de vinhos; pedir a carta; o bar oferece uma carta de cervejas bastante variada).

5. [Portugal]   [Portugal]   O mesmo que carta de condução.

6. Abecedário.

7. [Jogos]   [Jogos]   Cada um dos cartões que formam o baralho de jogar.

8. [Ictiologia]   [Ictiologia]   Peixe da costa de Portugal.

9. Mapa geográfico.

carta aberta • Escrito que, dirigido a alguém, é publicado nos jornais.

carta de alforria • Documento em que o senhor concedia liberdade ao escravo.

carta de condução • [Portugal]   • [Portugal]   Documento oficial que habilita uma pessoa para conduzir determinado tipo de veículos na via pública. (Equivalentes no português do Brasil: carteira de habilitação, carteira de motorista.)

carta de navegação • [Marinha]   • [Marinha]   Mapa de navegação, com representação das áreas marítimas e das zonas costeiras adjacentes .

carta de partilha • [Jurídico, Jurisprudência]   • [Jurídico, Jurisprudência]   Documento em que vem descrita a parte que coube a cada um dos herdeiros. = FOLHAS DE PARTILHA

carta mandadeira • [Jurídico, Jurisprudência]   • [Jurídico, Jurisprudência]   Procuração ou documento através do qual alguém constitui outrem como seu representante numa assembleia.

carta náutica • [Marinha]   • [Marinha]   O mesmo que carta de navegação .

carta precatória • [Jurídico, Jurisprudência]   • [Jurídico, Jurisprudência]   Carta dirigida por um juiz de uma circunscrição, comarca, tribunal, etc., a outro magistrado, para que cumpra ou faça cumprir certas diligências judiciais. = PRECATÓRIA

carta rogatória • [Jurídico, Jurisprudência]   • [Jurídico, Jurisprudência]   Carta dirigida por autoridades de um país às de outro, a fim de que neste se executem certos actos judiciais. = ROGATÓRIA

Pedido dirigido pelos fiéis de uma diocese a um metropolitano, para que certo eclesiástico seja nomeado bispo daquela diocese. = ROGATÓRIA

cortar as cartas • [Jogos]   • [Jogos]   Separar o baralho de cartas em duas partes.

dar as cartas • Demonstrar mestria ou grande conhecimento em determinado assunto ou área. = DAR CARTAS

• Ser o mestre ou aquele que domina. = DAR CARTAS

dar cartas • O mesmo que dar as cartas.

magna carta • [História]   • [História]   Documento que corresponde à constituição de um país, em especial a constituição concedida por João Sem Terra (1167-1216) aos ingleses em 1215, limitando o poder absoluto do monarca.
car·tar car·tar – Conjugar
(carta + -ar )
verbo transitivo

Dividir um baralho de cartas em duas ou mais partes.


substantivo feminino Correspondência, mensagem escrita ou impressa, que se envia a alguém, a uma instituição ou a uma empresa, para comunicar alguma coisa.
[Por Extensão] O conteúdo dessa mensagem, normalmente inserido num envelope selado.
Documento oficial e legal que confere um título ou ofício; diploma.
Relação das refeições disponíveis num restaurante; cardápio.
Representação reduzida de determinada região, país, da superfície da Terra; mapa.
[Jurídico] Documento, certificado de comprovação ou de aquisição de direitos.
[Jurídico] Documento de valor legal transmitido por autoridades políticas, civis, militares.
expressão Carta Branca. Consentimento dado a alguém para que esta pessoa se comporte do modo como desejar (usado no sentido figurado): você tem carta branca para fazer o que quiser da vida!
Carta Magna. Leis que regulam e organizam a vida de uma nação; Constituição.
substantivo feminino plural Conjunto das cartas usadas num jogo; baralho.
Jogos que utilizam o baralho: nunca soube jogar as cartas.
Etimologia (origem da palavra carta). Do latim charta.ae, carta.ae; pelo grego kártes.ou.


Carta, missiva (latim), ou ainda epístola (grego), é o termo que descreve um manuscrito, um datiloscrito ou um impresso destinado a estabelecer uma comunicação interpessoal escrita, entre pessoas e/ou organizações, de cunho particular.A legislação brasileira, em sua regulamentação dos serviços postais, define carta como: “objeto de correspondência, com ou sem envoltório, sob a forma de comunicação escrita, de natureza administrativa, social, comercial, ou qualquer outra, que contenha informação de interesse específico do destinatário”.A epístola foi a principal forma de comunicação à distância desde a invenção da escrita, mas sofreu algum recuo em meados do século XX, com a popularização da telefonia. Conheceu muitos suportes, em especial o papiro, o pergaminho, as folhas de árvore, até se consolidar o uso do papel a partir do séc. XV e mais recentemente o suporte eletrônico, desde finais do século XX. Atualmente a carta em papel vem sendo substituída pelo correio eletrônico (e-mail), mas ainda há pessoas que pelo simples prazer de trocar correspondências físicas preferem utilizar o objeto carta em papel.
A circulação da carta exigiu no passado a criação de um serviço postal permanente, público ou privado, que conheceu um notável desenvolvimento já desde a Roma antiga. Em 1874 foi criada a União Postal Universal para coordenar as relações entre os vários serviços nacionais. A UPU foi a segunda organização global a surgir no mundo contemporâneo.
Nos primórdios da entrega das cartas em papel quem pagava a postagem era o destinatário e isso só se alterou com a criação dos selos quando se passou a, previamente, o remetente colocar na sobrecarta (envelope) a quantidade de selos correspondente ao porte (valor da tarifa de serviço), garantido assim a entrega da carta ou a sua restituição no caso de não ser encontrado o destinatário.
Como gênero textual, a carta é um meio de comunicação escrita que segue uma estrutura mais rígida que um bilhete, ainda que simplificada em comparação a outros meios de comunicação escrita. Normalmente compõe-se de local, data, destinatário, saudação, corpo, despedida e assinatura. De acordo com seu destinatário e propósito, pode ser classificada como carta pessoal, carta comercial, carta oficial (também chamada ofício), carta profissional, entre outras.
Alguns gêneros usam a forma epistolar com fins literários ou jornalísticos e não privados, como a carta do leitor, a carta aberta, o poema em forma de carta, o romance epistolar, etc.


bookmark_borderO que é cartório

cartório | s. m.
car·tó·ri·o
nome masculino

1. Arquivo em que se guardam livros de registos e documentos importantes.

2. Escritório de notário, tabelião, etc.


adjetivo, substantivo masculino Diz-se de, ou lugar onde se guardam as minutas dos julgamentos, onde se fazem as declarações relativas aos processos.
Lugar onde funcionam os tabelionatos, os ofícios de notas, os registros públicos, e se mantêm os respectivos arquivos.


Cartório refere-se a uma repartição pública ou privada que tem a custódia de documentos (“cartas”) e que lhes dá fé pública.
A palavra “cartório” deriva do latim charta (“papel”, “mensagem”, “texto”), mais o sufixo derivado de orius, aqui como formador de substantivos, e significa em sua origem “aquele que lida com papéis”.


bookmark_borderO que é visto

visto | adj. | s. m. | prep. 1ª pess. sing. pres. ind. de vestir masc. sing. part. pass. de ver
vis·to
(particípio de ver )
adjectivo adjetivo

1. Conhecido, notório, sabido; considerado, reputado; aceite, recebido, acolhido.

2. Versado, sabedor; ciente.

3. Atendendo, considerando, ponderando.substantivo masculino

4. Fórmula ou assinatura que dá validade a um documento.

5. Autorização de entrada num país estrangeiro (ex.: foi à embaixada pedir o visto).

6. Sinal gráfico, geralmente semelhante à letra V, que indica que algo foi feito ou verificado.preposição

7. Indica causa (ex.: visto haver muitas dúvidas, é necessário um esclarecimento). = DADO, POR

está visto que • É claro que, é óbvio que.

pelos vistos • A julgar pelo que se vê; ao que tudo indica; na aparência (ex.: pelos vistos, mudaram de planos). = APARENTEMENTE

pelo visto • O mesmo que pelos vistos.

visto que • Expressão que indica causa e introduz uma frase subordinada (ex.: visto que estamos atrasados, não vamos fazer uma pausa). = DADO QUE, POSTO QUE, UMA VEZ QUE
ves·tir ves·tir – Conjugar
verbo transitivo

1. Pôr no corpo uma peça de roupa.

2. Pôr no corpo de outrem a roupa que o deve cobrir; ajudar alguém a vestir-se.

3. Dar roupa a.

4. Cobrir, adornar, revestir.

5. Usar como vestuário.

6. Trazer ordinariamente.

7. Fazer roupa para.

8. [Figurado]   [Figurado]   Cobrir, revestir, atapetar, alcatifar, forrar.

9. Adornar.

10. Assumir.

11. Encobrir, disfarçar.

12. Dar realce a; embelecer.

13. Tingir; tingir-se de.verbo intransitivo

14. Trajar.verbo pronominal

15. Cobrir-se com roupa.

16. Pôr trajo de sair; preparar-se para.

17. Comprar roupa para seu uso.

18. Cobrir-se, revestir-se, encobrir-se.

19. Imbuir-se, impregnar-se.

20. Disfarçar-se.
ver |ê| ver |ê| – Conjugar
(latim video, -ere )
verbo transitivo

1. Exercer o sentido da vista sobre.

2. Olhar para.

3. Presenciar, assistir a.

4. Avistar; enxergar.

5. Encontrar, achar, reconhecer.

6. Observar, notar, advertir.

7. Reparar, tomar cuidado em.

8. Imaginar, fantasiar.

9. Calcular, supor; ponderar, inferir, deduzir.

10. Prever.

11. Visitar.

12. Escolher.

13. Percorrer.

14. Provar.

15. Conhecer.verbo pronominal

16. Olhar-se.

17. Encontrar-se.substantivo masculino

18. Parecer; juízo; opinião (ex.: no ver dele, isto é inadmissível).

19. O acto de ver.

a meu ver • Na minha opinião.

até mais ver • Fórmula de despedida usada quando se pensa ou espera voltar a ver a(s) pessoa(s) a quem é dirigida. = ATÉ À VISTA, ATÉ MAIS

a ver vamos • Expressão usada para indicar que se espera ou se deve esperar pelo desenrolar dos acontecimentos.

ver-se e desejar-se • Estar muito aflito, muito embaraçado (ex.: o tenista viu-se e desejou-se para ganhar ao adversário).
Ver também a dúvida linguística: ter a ver com / ter a haver.


substantivo masculino Permissão; documento que permite a entrada e permanência num país estrangeiro, geralmente anexada ao passaporte.
Endosso; carimbo, selo ou assinatura que autenticam um documento como verdadeiro, após ser verificado por uma autoridade competente.
adjetivo Observado; que se viu, enxergou, observou: não tinha visto esse filme.
Considerado; que se tem em consideração.
Versado; conhecedor de um assunto: filósofo visto em metafísica.
locução conjuntiva Visto que. Uma vez que: não foi ao jogo, visto que não tinha dinheiro.
Visto como. Tendo em conta a maneira como: visto como se expressa, tem medo da censura.
Pelo visto. A partir do que é conhecido, daquilo que se tem conhecimento: pelo visto, ele não vai se casar.
Etimologia (origem da palavra visto). Do latim vistus; videre.


Visto (do latim carta visa, lit. “o documento foi visto”) é uma autorização condicional concedida por um país a um estrangeiro, permitindo-lhe entrar, permanecer dentro ou sair desse país. Vistos tipicamente incluem tempo limites de entrada do estrangeiro, território dentro do país em que eles podem entrar, as datas em que podem entrar, o número de visitas permitidas ou o direito de um indivíduo de trabalhar ou estudar no país em questão. Os vistos estão associados à solicitação de permissão para entrar em um país e, portanto, em alguns países, são diferentes da permissão formal real para que um estrangeiro entre e permaneça no país. Em cada caso, um visto está sujeito à permissão de entrada de um funcionário da imigração no momento da entrada e pode ser revogado a qualquer momento.Um visto geralmente é emitido na forma de um carimbo ou de um certificado impresso que é colado em uma das páginas do passaporte. Historicamente, o visto, quando exigido, era concedido por um funcionário da imigração na chegada de um visitante às fronteiras de um país, que era autorizado a permitir ou rejeitar a entrada de visitantes na entrada. Se permitida a entrada, o oficial emitia um visto, quando requerido, que era um carimbo no passaporte. Hoje, os viajantes que desejam entrar em outro país geralmente devem solicitar antecipadamente o que também é chamado de visto, às vezes presencialmente em um escritório consular, por correio ou eletronicamente, pela internet. O visto moderno pode ser um adesivo ou um carimbo no passaporte, ou pode assumir a forma de um documento separado ou um registro eletrônico da autorização, que o requerente pode imprimir antes de sair de casa e apresentá-lo na entrada do país anfitrião. Alguns países não exigem que os visitantes solicitem um visto com antecedência para visitas curtas.
Alguns países, como as antigas Alemanha Nazista, Itália Fascista e a União Soviética, requeriam que seus cidadãos nacionais obtivessem um visto de saída para que pudessem sair do país. Atualmente, os estudantes estrangeiros na Rússia recebem um visto de entrada ao serem aceitos em alguma universidade russa e devem obter um visto para retornar ao país de origem. Os nacionais da República Popular da China e que residam na área continental precisam de permissões de saída para irem às regiões administrativas especiais de Macau ou a Hong Kong. A Arábia Saudita requer que todos estrangeiros, mas não seus nacionais, obtenham um visto de saída antes de sair do reino.Entrar em um país sem um visto válido, isenção válida ou realizar atividades não cobertas por um visto (por exemplo, trabalhar com um visto de turismo), resulta na transformação do indivíduo num imigrante em situação ilegal, geralmente sujeito à deportação para o seu país natal.
Excepcionalmente, o território especial norueguês de Svalbard é totalmente isento de vistos, segundo o Tratado de Svalbard. Alguns países – como os do Espaço Schengen – têm acordos com outros países, permitindo que os cidadãos uns dos outros viajem entre eles sem vistos. A Organização Mundial do Turismo anunciou que o número de turistas que necessitavam de visto antes de viajar esteve no seu nível mais baixo de antes em 2015.


bookmark_borderO que é abaixo-assinado

abaixo-assinado | s. m.
a·bai·xo·-as·si·na·do
nome masculino

Documento subscrito por várias pessoas.Plural: abaixo-assinados. Plural: abaixo-assinados.



Abaixo-assinado é um tipo de solicitação coletiva feita em um documento para pedir algo de interesse comum a uma autoridade ou para manifestar apoio a alguém ou demonstrar queixa ou protesto coletivo.
Difere do requerimento e da petição, que são solicitações individuais. Difere da representação, apresentada por um órgão colegiado e não por um grupo aleatório de pessoas. A representação car algo ou apresentar queixa e não solicitar.


bookmark_borderO que é manifesto

manifesto | adj. | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de manifestar
ma·ni·fes·to |é| ma·ni·fes·to |é|
adjectivo adjetivo

1. Patente, público, notório.

2. Evidente, claro.nome masculino

3. Exposição (geralmente escrita) em que se manifesta o que é preciso, ou o que se deseja que se saiba.

4. Coisa manifestada.

5. Declaração feita à alfândega, ou suas delegações, dos géneros que se trazem sujeitos a direitos.

dar ao manifesto • Fazer essa declaração.
ma·ni·fes·tar ma·ni·fes·tar – Conjugar
verbo transitivo

1. Tornar manifesto, patentear, publicar.

2. Dar indícios de.

3. Expor, apresentar.

4. Dar ao manifesto (na alfândega).verbo pronominal

5. Declarar-se.

6. Aparecer.

7. Tornar-se visível, descobrir-se.


substantivo feminino Declaração formal que, geralmente escrita, transmite intenções, opiniões, decisões ou ideias políticas, particulares a uma pessoa ou a um grupo de pessoas. manifesto de apoio ao presidente.
Declaração divulgada publicamente com variados propósitos.
Documento com a lista de mercadorias transportadas que, antes do desembarque, deve ser entregue na alfândega.
Listagem de bens para fiscalização.
adjetivo Inegável; que não se consegue negar; que não pode ser contestado nem ocultado: uma opinião manifesta; ponto de vista manifesto.
Que se percebe por meio de indícios ou evidências: doença com sintomas manifestos.
Etimologia (origem da palavra manifesto). Do latim manifestus.a.um.


Na literatura, define-se manifesto como um texto de natureza dissertativa e persuasiva, uma declaração pública de princípios e intenções, que objetiva alertar um problema ou fazer a denúncia pública de um problema que está ocorrendo, normalmente de cunho político. O manifesto destina-se a declarar um ponto de vista, denunciar um problema ou convocar uma comunidade para uma determinada ação. Ele tem uma estrutura, relativamente, livre, mas com alguns elementos indispensáveis, tais como: título, identificação e análise do problema, argumentos que fundamentam o ponto de vista do(s) autor(es), local, data, assinaturas dos autores e, até, dos simpatizantes da causa.
Na transição da era moderna para a contemporânea, os artistas, além de utilizar os dispositivos tecnológicos comunicacionais em suas obras, passaram a necessitar dos produtos da comunicação para a divulgação de suas criações.


bookmark_borderO que é ementa

ementa | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de ementar 2ª pess. sing. imp. de ementar
e·men·ta
(derivação regressiva de ementar )
nome feminino

1. Breve apontamento para lembrança.

2. Sumário, resumo (do que se contém em requerimento, alvará, etc.)

3. Lista; rol.

4. Comemoração por defunto.

5. Lista de pratos de uma refeição. = CARDÁPIO, MENU
e·men·tar e·men·tar – Conjugar
(ementa + -ar )
verbo transitivo

1. Fazer ementa ou resumo de.

2. Tomar apontamento de.

3. Fazer menção de. = MENCIONAR

4. Trazer à mente ou à memória. = LEMBRAR, RECORDAR, RELEMBRAR


substantivo feminino Síntese; texto curto e resumido que contém o essencial: ementa do curso.
Nota; o que fica registrado de modo escrito.
[Jurídico] Rubrica; texto que resume o conteúdo de uma lei, colocado em seu início.
[Portugal] Cardápio; relação do que está disponível para o consumo.
Etimologia (origem da palavra ementa). Do latim ementum.i.


Ementa (do latim ementum, “pensamento”, “ideia”, de e e mens, “juízo”, “razão”, “mente”) é um termo aplicado, de modo geral, para indicar uma espécie de apontamento ou anotação tomada para lembrança, a fim de que, por aí, se produza depois o documento escrito, para que se faça e se execute o ato nela lembrado. Por exemplo, é a decisão resumida das matérias e suas cargas horárias dadas numa faculdade.
Uma ementa universitária, em geral, apresenta muito sucintamente as ideias gerais sobre quaisquer assuntos que serão abordadas ao longo da disciplina, como forma de um fichamento (frases soltas, de forma bem sintética). A apresentação mais detalhada dos assuntos que serão estudados, ponto a ponto, é dada no programa de curso.
Em Direito, a ementa de acórdão resume com palavras-chave o tema discutido e apresenta o dispositivo do julgado.
Em Portugal, usa-se o termo latino syllabus na mesma acepção e não “ementa”, cujo significado está associado a menu de restaurante.


bookmark_borderO que é salvo-conduto

salvo-conduto | s. m.
sal·vo·-con·du·to
nome masculino

1. Licença escrita que se dá a alguém para que não seja incomodado na sua viagem pelas tropas ou autoridades.

2. [Figurado]   [Figurado]   Salvaguarda, segurança.



Salvo-conduto é um documento emitido por autoridades de um Estado que permite a seu portador transitar por um determinado território. O trânsito pode ocorrer de forma livre ou sob escolta policial ou militar.
Os salvo-condutos são emitidos principalmente em tempos de guerra para cidadãos que potencialmente possam ser capturados sob alegação de diversos motivos.
No Brasil, os salvo-condutos foram emitidos em larga escala durante a Segunda Guerra Mundial aos milhares de imigrantes italianos, alemães e japoneses. O salvo-conduto era necessário para que os imigrantes pudessem se deslocar dentro do Brasil, que havia declarado guerra ao Eixo. Era também muito comum que fossem emitidos salvo-condutos também aos filhos destes imigrantes já nascidos no Brasil, mas que pouco falavam a língua portuguesa por viverem dentro das colônias sem contato com as grandes cidades.
Atualmente, o salvo-conduto é um privilégio diplomático.
Este também é uma ação constitucional, o “Habeas corpus”. Ao garantir a proteção de liberdades individuais de locomoção quando esta se encontra indevidamente em vias de violação. Sendo mera ameaça de violação do direito de ir e vir o Habeas corpus é obtido por meio de um ‘salvo-conduto’.
O salvo-conduto pode ser emitido para participantes de uma manifestação, com isso fica garantido aos manifestantes os direitos constitucionais de reunião, manifestação pacífica e liberdade de locomoção (já que manifestações atrapalham o trânsito, e até mesmo a economia de uma cidade), porém violações legais poderão ser objeto de atuação policial nos casos de flagrante delito, tanto dos manifestantes quanto dos agentes de segurança pública.
O salvo-conduto também poder ser emitido pelos juízes eleitorais e aos cidadãos que serão presidentes das mesas receptoras de votos, três dias antes das eleições, em favor de qualquer eleitor que sofrer violência moral ou física na sua liberdade de votar.


bookmark_borderO que é despachante

despachante | adj. 2 g. | s. 2 g.
des·pa·chan·te
(despachar + -ante )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. Que despacha.nome de dois géneros

2. O que está encartado para despachar fazendas ou mercadorias nas alfândegas.


adjetivo, substantivo masculino e feminino Que ou aquele que despacha.
substantivo masculino e feminino Profissional que se encarrega do encaminhamento, tramitação e despacho de papéis junto às repartições públicas, especialmente para obter registros, licenças etc.


Um despachante é o profissional encarregado por conta de outrem de fazer requerimentos, encaminhamentos e dar início a trâmites burocráticos junto a órgãos da administração pública. Originalmente, o despachante era o profissional especializado no desembaraço de mercadorias que transitavam por alfândegas (aduana), hoje denominado despachante aduaneiro.


bookmark_borderO que é formulário

formulário | s. m.
for·mu·lá·ri·o
(formular + -ário )
nome masculino

1. Colecção de fórmulas.

2. Livro de orações ou rezas. = DEVOCIONÁRIO

3. Modelo ou impresso para determinado fim, com campos que devem ser preenchidos com dados específicos do interessado.


substantivo masculino Coletânea de fórmulas.
Recompilação de receitas, farmacopéia.
Bloco de papel em que o médico escreve a receita.
Papel padronizado em que se inscrevem os dados nos locais a isso destinados.
Livro de reza, de devoções.


Formulário é um documento pré-impresso onde são preenchidos os dados e informações, que permite a formalização das comunicações, o registro e o controle das atividades das organizações, como empresas ou instituições estatais.
A atividade de organização e métodos é a que fornece os subsídios para a elaboração e o controle dos formulários.


bookmark_borderO que é alvará

alvará | s. m.
al·va·rá
(árabe al-baraâ, carta, cédula, recibo )
substantivo masculino

1. Documento que uma autoridade passa a favor de alguém, certificando, autorizando ou aprovando certos actos ou direitos (ex.: alvará de construção).

2. Antigo diploma rubricado pelo monarca e assinado pelo ministro, sobre negócios de interesse público ou particular.Confrontar: albará.


substantivo masculino Documento de autorização; documento que, emitido por uma autoridade judicial ou administrativa, dá autorização para a prática de certos atos: alvará de soltura; alvará judiciário.
Licença; documento emitido por uma autoridade administrativa para que alguém ou uma empresa exerça atividades comerciais ou outros serviços: alvará de funcionamento; alvará para abertura de um parque.
Uso Antigo. Documento que registra a decisão ou a autorização, normalmente provisória, de um soberano em relação a certo assunto; essa decisão.
Etimologia (origem da palavra alvará). Do árabe al-baráâ.


O alvará (do árabe al-barã, “carta”, “cédula”) é um documento ou declaração governamental que autoriza alguém a praticar determinado ato: por exemplo, o funcionamento de uma empresa ou a realização de um evento.