bookmark_borderO que é alopecia

alopecia | s. f.
a·lo·pe·ci·a
(grego alopekía )
substantivo feminino

1. Queda de cabelo ou de pêlo . = FALACROSE

2. Calvície.


substantivo feminino [Medicina] Doença que provoca a queda dos cabelos ou dos pelos, podendo se manifestar de modo temporário ou permanente; falacrose, calvície.
Etimologia (origem da palavra alopecia). Do grego alopekia, as; por alopekia; pelo francês alopécie.


Alopecia ou calvície é a perda de cabelo em parte da cabeça ou do corpo. Na maioria dos casos, a perda afeta pelo menos a cabeça. A quantidade de cabelo perdido varia significativamente, desde uma pequena área até à totalidade do corpo. Geralmente não está associada a inflamação ou cicatrização. Em algumas pessoas a condição pode causar stresse psicológico.Os tipos mais comuns de alopecia são a alopecia androgenética de padrão masculino ou feminino, a alopecia areata e uma condição em que o cabelo fica mais fino denominada eflúvio telógeno. As causas de alopecia androgenética de padrão masculino são uma associação de fatores genéticos e hormonas masculinas, enquanto as de padrão feminino não são ainda claras. A causa de alopecia areata é autoimune. A causa de maior parte dos casos de eflúvio telógeno é o stresse físico ou psicológico provocado por um evento. O eflúvio telógeno é bastante comum após a gravidez.Entre as causas menos comuns de queda de cabelo sem inflamação ou cicatrização estão condições psicológicas como a tricotilomania, causas traumáticas como a alopecia de tração, determinados medicamentos, incluindo os usados em quimioterapia e no tratamento da SIDA e desnutrição. Entre as causas de queda de cabelo associada a inflamação ou cicatrização estão infeções fúngicas, lúpus eritematoso, radioterapia e sarcoidose. O diagnóstico da condição baseia-se em parte nas áreas afetadas.O tratamento da alopecia androgenética pode simplesmente consistir em aceitar a condição. Entre as intervenções que podem ser tentadas estão os medicamentos minoxidil ou finasterida e cirurgia de transplante capilar. A alopecia areata pode ser tratada com injeções de esteroides nas áreas afetadas, mas para que estas sejam eficazes é necessário repetir o tratamento com frequência. A queda de cabelo é uma condição bastante comum. A alopecia androgenética afeta cerca de 50% dos homens e 25% das mulheres por volta dos 50 anos de idade. Cerca de 2% das pessoas desenvolve alopecia areata em algum momento da vida.


bookmark_borderO que é autoimunidade

auto-imunidade autoimunidade auto-imunidade autoimunidade | s. f.
au·to·-i·mu·ni·da·de au·toi·mu·ni·da·de au·to·-i·mu·ni·da·de au·toi·mu·ni·da·de
(auto- + imunidade )
nome feminino

[Medicina]   [Medicina]   Propriedade ou doença do que é auto-imune .• Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: autoimunidade. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:auto-imunidade. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:autoimunidade. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:auto-imunidade


substantivo feminino Imunologia. Patologia acometida por um organismo que acaba por ser alvo das defesas de seu próprio sistema imunológico.
Etimologia (origem da palavra autoimunidade). Aut(o) + imunidade.


Autoimunidade é a falha em uma divisão funcional do sistema imunológico chamada de autotolerância, que resulta em respostas imunes contra as células e tecidos do próprio organismo. Qualquer doença que resulte deste tipo de resposta é chamada de doença autoimune. Exemplos famosos incluem a diabetes mellitus tipo 1, lúpus eritematoso sistêmico, síndrome de Sjögren, tireoidite de Hashimoto, doença de Graves e artrite reumatóide.São doenças que surgem quando a resposta imunitária é efetuada contra alvos existentes no próprio indivíduo. Respostas autoimunes são frequentes, porém transitórias e reguladas. A auto-imunidade como causadora de doenças não é frequente, uma vez que existem mecanismos que mantêm um estado de tolerância aos epítopos que são partes de uma estrutura reconhecidas pelo sistema imune do próprio organismo. As doenças autoimunes têm etiopatonogênese complexa e multifactorial.


bookmark_borderO que é sarcoidose

sarcoidose | s. f.
sar·coi·do·se |ó| sar·coi·do·se |ó|
(sarcóide + -ose )
nome feminino

[Medicina]   [Medicina]   Doença de causa desconhecida que causa lesões na pele e em outros tecidos ou órgãos.


substantivo feminino Afecção de causa desconhecida caracterizada pela existência de uma lesão específica, o granuloma tuberculóide, que pode ser encontrada em grande número de órgãos ou tecidos (gânglios, pele, pulmão etc.); doença ou síndrome de Besnier-Boeck-Schaumann.


Sarcoidose é uma doença caracterizada pela formação de agregados anormais de células inflamatórias denominados granulomas. A doença tem geralmente início nos pulmões, pele ou gânglios linfáticos. Ainda que menos comum, pode afetar os olhos, fígado, coração e cérebro. No entanto, é possível afetar qualquer órgão. Os sinais e sintomas dependem do órgão envolvido. Na maior parte dos casos não se manifestam sintomas ou os sintomas são apenas ligeiros. Quando afeta os pulmões podem ocorrer sibilos, tosse, falta de ar ou dor no peito. Em alguns casos verifica-se síndrome de Löfgren, caracterizado por febre, aumento de volume dos gânglios linfático, artrite e uma mancha na pele denominada eritema nodoso.Desconhecem-se as causas da doença. Acredita-se que possa ser causada, em pessoas predispostas, por uma reação imunitária a um fator desencadeante, como uma infeção ou substâncias químicas. O risco é maior em pessoas com casos da doença na família. O diagnóstico baseia-se, em parte, nos sinais e sintomas, podendo ser complementado por uma biópsia. Entre os achados clínicos que tornam o diagnóstico provável estão o aumento de volume dos gânglios linfáticos no hilo pulmonar, níveis elevados de cálcio com níveis normais de hormona paratiroide, ou níveis elevados de enzima conversora da angiotensina no sangue. O diagnóstico só deve ser realizado após excluir outras causas possíveis que produzem sintomas semelhantes, como a tuberculose.Em muitos casos, a sarcoidose resolve-se sem tratamento no prazo de alguns anos. No entanto, em algumas pessoas a doença é crónica. Alguns sintomas podem ser aliviados com a administração de anti-inflamatórios como o ibuprofeno. Nos casos em que a condição causa problemas de saúde significativos, estão indicados esteroides como a prednisona. Em alguns casos, os efeitos adversos dos esteroides podem ser reduzidos com metotrexato, cloroquina ou azatioprina. O risco de morte é de 1–7%. A probabilidade de a doença ocorrer novamente em pessoas que já a tiveram é de 5%.Em 2015, a sarcoidose pulmonar e a doença pulmonar intersticial afetavam 1,9 milhões de pessoas em todo o mundo e foram a causa de 122 000 mortes. A doença é mais comum na Escandinávia, embora ocorra em todas as regiões do mundo. Nos Estados Unidos, o risco é maior entre Afrodescendentes. A maioria dos casos tem início entre os 20 e 50 anos de idade. A doença é mais comum em mulheres do que em homens. A sarcoidose foi descrita pela primeira vez em 1877 pelo dermatologista inglês Jonathan Hutchinson, que a classificou como uma doença cutânea indolor.