bookmark_borderO que é claudicação

claudicação | s. f. derivação fem. sing. de claudicar
clau·di·ca·ção
(claudicar + -ção )
nome feminino

1. Acto ou efeito de claudicar.

2. Estado ou acção de quem coxeia. = COXEADURA

3. [Figurado]   [Figurado]   Defeito do que falta um tanto aos seus deveres. = FALHA , IMPERFEIÇÃO
clau·di·car clau·di·car – Conjugar
(latim claudico, -are )
verbo intransitivo

1. Não ter firmeza em um dos pés. = COXEAR, MANCAR

2. [Figurado]   [Figurado]   Não ter firmeza numa ideia ou numa decisão. = VACILAR

3. Faltar um tanto ao cumprimento dos seus deveres.verbo transitivo

4. [Regionalismo]   [Regionalismo]   Segurar com alfinetes. = PREGAR


substantivo feminino Ação ou efeito de claudicar.
Ausência de certeza; que demonstra ou possui dúvidas, hesitação.
[Figurado] Em que há falha; erro.
Falta de perfeição; lacuna ou falha no trabalho.
Etimologia (origem da palavra claudicação). Do latim claudicatio.onis.


Claudicação (do latim claudicare, mancar) é um termo médico usado geralmente para se referir ao comprometimento da capacidade de caminhar (marcha), seja por dor, desconforto, dormência ou cansaço nas pernas que piora progressivamente durante uma caminhada e é aliviado pelo repouso.Claudicação a duas quadras, significa que o desconforto começa após andar duas quadras. Quanto menor o tempo de caminhada antes do desconforto, maior a gravidade da doença.


bookmark_borderO que é miocardite

miocardite | s. f.
mi·o·car·di·te
(miocárdio + -ite )
nome feminino

Inflamação do miocárdio.


substantivo feminino [Medicina] Inflamação do miocárdio.
Etimologia (origem da palavra miocardite). Miocárdio + ite.


Miocardite ou cardiopatia inflamatória é a inflamação do músculo cardíaco. Os sintomas mais comuns são falta de ar, dor torácica, diminuição da capacidade física e arritmias cardíacas. A duração da doença pode variar de horas a meses. Entre as possíveis complicações estão insuficiência cardíaca devido a cardiomiopatia dilatada ou parada cardíaca.A maior parte dos casos de miocardite tem origem em infeções virais. Entre outras possíveis causas estão infeções bacterianas, alguns medicamentos, toxinas e doenças autoimunes. Os meios de diagnóstico incluem electrocardiograma, aumento dos valores de troponina, ressonância magnética cardíaca e, em alguns casos, biópsia ao coração. Um ecocardiograma do coração permite descartar outras potenciais causas, como valvulopatias.O tratamento depende da gravidade e da causa subjacente. Em grande parte dos casos são administrados medicamentos como inibidores da enzima de conversão da angiotensina, betabloqueadores ou diuréticos. Geralmente recomenda-se que não seja feito esforço físico durante o recobro. Em alguns casos pode se útil a administração de corticosteroides ou terapia de imunoglobulina. Nos casos mais graves podem ser recomendados um cardioversor desfibrilhador implantável ou um transplante de coração.Em 2013 ocorreram em todo o mundo cerca de 1,5 milhões de casos de miocardite aguda. Embora a doença possa afetar pessoas de todas as idades, é mais comum entre os jovens. É ligeiramente mais comum entre homens do que entre mulheres. A maior parte dos casos são ligeiros. Em 2015, as cardiomiopatias, nas quais se inclui a miocardite, foram a causa de 354 000 mortes, um aumento em relação às 294 000 em 1990. As primeiras descrições da doença datam de meados do século XIX.