bookmark_borderO que é sarna

substantivo feminino Doença contagiosa que, provocada por ácaros, ataca a pele, causando uma coceira intensa, sendo acompanhada de uma reação alérgica, inflamatória e de erupções cutâneas: sarna humana; sarna de cachorro.
[Por Extensão] Designação comum a variadas doenças que são causadas por fungos em tubérculos, como a batata, em frutos, como maçã, pera ou e cítricos.
substantivo masculino e feminino [Figurado] Pessoa que é inconveniente, que age inoportunamente ou que causa aborrecimento.
Guloso; quem como de maneira exagerada e compulsiva.
Etimologia (origem da palavra sarna). Do latim sarna.


Sarna ou escabiose (em latim: Scabere – “coçar”) é uma infecção parasitária contagiosa da pele que ocorre entre seres humanos e outros animais. É causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, que se refugia sob a pele do hospedeiro, causando coceira alérgica intensa e borbulhas – como erupção cutânea. Ocasionalmente, podem ser vistas pequenas tocas na pele. As infecções iniciais requerem entre duas a seis semanas para se tornarem sintomáticas. A reinfecção, no entanto, pode tornar-se sintomática dentro de 24 horas. Os sintomas podem afectar uma grande parte do corpo ou apenas certas zonas, como os pulsos, a pele entre os dedos ou ao nível da cintura. As crianças costumam ter maior susceptibilidade a infecções na cabeça. A coceira tende a piorar durante a noite. Ao arranhar, a pele pode ser lesada expondo-a a infecções bacterianas adicionais.A sarna é causada por infecção da fêmea do ácaro Sarcoptes scabei. Os ácaros infiltram-se na pele e ali vivem e depositam os ovos. Os sintomas da sarna devem-se a uma reação alérgica aos ácaros. Na maioria das vezes, somente cerca de dez a quinze ácaros estão relacionados com uma infeção. A doença pode ser transmitida através de objectos, mas é mais frequentemente transmitida por contacto directo com a pele infectada, com um maior risco se o contacto for prolongado, normal em relações sexuais. O contágio da doença pode ocorrer mesmo quando a pessoa não desenvolveu ainda qualquer tipo sintoma. Nas moradias superlotadas, tais como estruturas de acolhimento de crianças, instituições ou prisões, existe um maior risco de propagação da doença. As zonas com falta de condições de acesso à água apresentam uma maior taxa de correlação com a infecção. A escabiose crostosa é a forma mais gravosa da doença. Normalmente está associada com a imunossupressão, podendo dar origem a milhões de ácaros, o que intensifica o risco de contagioso. Nestes casos, a propagação da infecção pode dar-se através dum breve contacto com a pessoa ou por objectos contaminados. O ácaro é muito pequeno e geralmente não é directamente visível. O diagnóstico é feito com base nos sinais e sintomas.Existem medicamentos que estão disponíveis para tratamento dos infectados, designadamente permetrina, cremes crotamitona e lindano, e ivermectina. Os contactos sexuais dentro de até um mês e pessoas que vivem na mesma casa, devem ser tratadas ao mesmo tempo. Sendo que o ácaro não sobrevive por mais de três dias afastado da pele humana, as roupas usadas nestes três últimos dias, inclusive as da cama, devem ser lavadas com água quente e submetidas a secagem a ar quente. Como os sintomas são alérgicos, o seu atraso no início é geralmente espelhado por um atraso significativo no alívio após os parasitas serem erradicados, podendo os sintomas permanecer ao longo de duas a quatro semanas após o tratamento. Se ainda assim os sintomas continuarem a aparecer, poderá ser necessário um novo tratamento.A escabiose é uma das três doenças de pele mais comuns em crianças, juntamente com a micose e infecções bacterianas da pele. Desde 2010 esta infecção parasitária afecta aproximadamente 100 milhões de pessoas (1,5% da população mundial) e é igualmente comum em ambos os sexos. Tanto os jovens como os idosos estão mais susceptíveis à doença. É mais comum em países emergentes e com climas tropicais. Outros animais não propagam a sarna humana. A infecção em animais é tipicamente causada por espécies de ácaros ligeiramente diferentes mas relacionadas, e é conhecida como sarna sarcóptica.


bookmark_borderO que é dermografismo

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. demográfico termográfico democratismo ideografismo demográficos termográficos demográfica demográficas dermográfica (norma brasileira) dermográficas (norma brasileira) dermográfico (norma brasileira) dermográficos (norma brasileira) hermográfico (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo masculino Propriedade que tem a pele de certos indivíduos de se avermelhar e intumescer quando atingida por um objeto de ponta romba. (Var.: dermografia.).


Urticária dermográfica (também conhecida como dermografismo, dermatografismo ou “skin writing”) é um distúrbio na pele verificado em 1,5 a 23,5 por cento da população, no qual a pele torna-se inchada e inflamada quando picada ou arranhada por um objecto rombo. O dermografismo é causado por células mastócito na superfície da pele, que liberam histaminas sem a presença de antígenos, devido à presença de uma fina membrana à volta das células mastócito. As histaminas libertadas causam o inchaço na pele nas áreas afectadas.
Esta fina membrana facilmente e rapidamente se rompe sob pressão física causando uma reacção alérgica, normalmente um edema vermelho que aparece na pele. É também comum ser confundido com uma reacção alérgica ao objecto causando comichão, quando de facto é o acto de coçar que causa o edema. Estes edemas são o início de um conjunto que se forma em minutos, acompanhados por uma sensação de calor, e/ou comichão. O primeiro aparecimento deste conjunto de edemas pode levar a outros em partes do corpo que não foram directamente estimuladas, coçadas ou raspadas. A coloração vermelha e o inchaço permanece por aproximadamente 10 minutos. Muitas vezes isto leva a dificuldades em adormecer, irritabilidade, e desconforto geral.
Pode ser tratado com anti-histamínicos ou cromoglicato, que previnem que a histamina provoque uma reacção. A causa primária do dermografismo é desconhecida, e pode durar muitos anos sem alívio. 95% dos casos crónicos nunca são resolvidos. Às vezes a condição desaparece, outras vezes fica para sempre. A doença não põe a vida da pessoa em risco.


bookmark_borderO que é impetigo

impetigo | s. m.
im·pe·ti·go
(latim impetigo, -inis, erupção cutânea )
nome masculino

[Medicina]   [Medicina]   Afecção cutânea pustulosa, contagiosa, cujas pústulas, depois de secas, formam crostas amareladas e espessas. = IMPETIGEM


substantivo masculino [Medicina] Infecção das camadas exteriores da pele; impetigem.
Etimologia (origem da palavra impetigo). Do latim impetigo.inis.


Impetigo é uma infeção bacteriana na parte superficial da pele. A apresentação mais comum são crostas amarelas na cara, braços ou pernas. Em alguns casos podem aparecer bolhas de grande dimensão que afetam a virilha ou as axilas. As lesões podem ser dolorosas ou causar comichão. A febre é pouco comum.A causa do impetigo é geralmente uma infeção por Staphylococcus aureus ou Streptococcus pyogenes. Entre os fatores de risco estão a frequência de infantários ou espaços lotados, má nutrição, diabetes, desportos de contacto e fissuras na pele como as causadas por picadas de mosquito, eczema, sarna ou herpes. A doença é contagiosa através de contacto direto com a pessoa infetada. O diagnóstico geralmente baseia-se nos sintomas e aparência das lesões.Entre as medidas de prevenção estão lavar as mãos com frequência, evitar o contacto com pessoas infetadas e limpar as feridas. O tratamento geralmente consiste na aplicação de pomadas antibióticas à base de mupirocina ou ácido fusídico. Nos casos em que são afetadas regiões extensas do corpo podem ser administrados antibióticos por via oral, como a cefalexina. Têm vindo a ser observados casos de resistência antibiótica.Em 2010 o impetigo afetava cerca de 140 milhões de pessoas em todo o mundo (2% da população). A doença pode ter aparecer em qualquer idade, embora seja mais comum em crianças mais novas. Mesmo sem tratamento, a maioria dos casos melhora ao fim de três semanas. Entre as possíveis complicações estão a celulite ou glomerulonefrite pós-estreptocócica. O nome da doença tem origem no latim impetere, que significa “atacar”.


bookmark_borderO que é alopecia

alopecia | s. f.
a·lo·pe·ci·a
(grego alopekía )
substantivo feminino

1. Queda de cabelo ou de pêlo . = FALACROSE

2. Calvície.


substantivo feminino [Medicina] Doença que provoca a queda dos cabelos ou dos pelos, podendo se manifestar de modo temporário ou permanente; falacrose, calvície.
Etimologia (origem da palavra alopecia). Do grego alopekia, as; por alopekia; pelo francês alopécie.


Alopecia ou calvície é a perda de cabelo em parte da cabeça ou do corpo. Na maioria dos casos, a perda afeta pelo menos a cabeça. A quantidade de cabelo perdido varia significativamente, desde uma pequena área até à totalidade do corpo. Geralmente não está associada a inflamação ou cicatrização. Em algumas pessoas a condição pode causar stresse psicológico.Os tipos mais comuns de alopecia são a alopecia androgenética de padrão masculino ou feminino, a alopecia areata e uma condição em que o cabelo fica mais fino denominada eflúvio telógeno. As causas de alopecia androgenética de padrão masculino são uma associação de fatores genéticos e hormonas masculinas, enquanto as de padrão feminino não são ainda claras. A causa de alopecia areata é autoimune. A causa de maior parte dos casos de eflúvio telógeno é o stresse físico ou psicológico provocado por um evento. O eflúvio telógeno é bastante comum após a gravidez.Entre as causas menos comuns de queda de cabelo sem inflamação ou cicatrização estão condições psicológicas como a tricotilomania, causas traumáticas como a alopecia de tração, determinados medicamentos, incluindo os usados em quimioterapia e no tratamento da SIDA e desnutrição. Entre as causas de queda de cabelo associada a inflamação ou cicatrização estão infeções fúngicas, lúpus eritematoso, radioterapia e sarcoidose. O diagnóstico da condição baseia-se em parte nas áreas afetadas.O tratamento da alopecia androgenética pode simplesmente consistir em aceitar a condição. Entre as intervenções que podem ser tentadas estão os medicamentos minoxidil ou finasterida e cirurgia de transplante capilar. A alopecia areata pode ser tratada com injeções de esteroides nas áreas afetadas, mas para que estas sejam eficazes é necessário repetir o tratamento com frequência. A queda de cabelo é uma condição bastante comum. A alopecia androgenética afeta cerca de 50% dos homens e 25% das mulheres por volta dos 50 anos de idade. Cerca de 2% das pessoas desenvolve alopecia areata em algum momento da vida.


bookmark_borderO que é eritrodermia

eritrodermia | s. f.
e·ri·tro·der·mi·a
nome feminino

Vermelhidão natural da pele.


substantivo feminino [Medicina] Alteração geralmente patológica da pele, que se caracteriza por intenso rubor, acompanhado ou não de prurido e descamação.


Eritrodermia ou Dermatite esfoliativa generalizada é uma doença inflamatória cutânea caracterizada por eritema (pele vermelha) e descamação em 90% ou mais da superficie corporal.Esse diagnóstico incluí a síndrome da pele escaldada, uma reação a uma infecção cutânea por estafilococos, na qual a pele se solta e descama, como se tivesse sido queimada.


bookmark_borderO que é lentigo

lentigo | s. m.
len·ti·go
(latim lentigo, -inis, sardas, manchas da pele, de lens, lentis, lentilha )
nome masculino

[Medicina]   [Medicina]   Mancha castanha ou amarelada na pele. = EFÉLIDE, LENTIGEM, SARDA


substantivo masculino Ver lentigem.


Lentigo (do latim lent-, lentilha, -icus forma de) é um pequeno ponto pigmentado na pele com bordas claramente definidas, cercado por uma pele de aparência normal. Geralmente são tumores de pele benignos e inofensivos, mas os lêntigos malignos(melanoma lentigoso) são uma variedade de câncer de pele agressiva. É causado por uma maior proliferação linear de melanócitos na câmada espinocelular da epiderme. Múltiplos lentigos se denominam medicamente como lentiginose.Se diferenciam das sardas pela quantidade de células produtoras de melanina(melanócitos), que na pele com sardas é normal, e por sua prevalência na população, lêntigos são extremamente mais comuns.


bookmark_borderO que é micose

micose | s. f.
mi·co·se |ó| mi·co·se |ó|
(mico- + -ose )
substantivo feminino

Afecção provocada por fungos parasitas.


substantivo feminino Afecção provocada por cogumelos parasitos. (As micoses atingem a pele, dobras cutâneas, dedos do pé, unhas, assim como numerosas vísceras.).


Micose é o nome genérico dado a várias infecções causadas por fungos. Existem cerca de 230 mil tipos de fungos, mas apenas, aproximadamente, 100 tipos que causam infecção.
Visto que os fungos estão em toda a parte, é inevitável a exposição a eles.[carece de fontes?] Em condições favoráveis (como ambientes com muita humidade e calor excessivo), os fungos reproduzem-se e podem dar origem a um processo infeccioso que, dependendo do fungo ou da região afectada, pode ser superficial ou profundo.[carece de fontes?]


bookmark_borderO que é saturnismo

saturnismo | s. m.
sa·tur·nis·mo
nome masculino

[Medicina]   [Medicina]   Doença ou envenenamento causado pelo chumbo.


substantivo masculino Intoxicação aguda ou crônica por chumbo ou por algum de seus sais; plumbismo.
O saturnismo, frequente nos operários que lidam com sais de chumbo (alvaiade etc.), manifesta-se pelas cólicas de chumbo ou saturninas, que sobrevêm bruscamente após distúrbios digestivos.


Saturnismo ou plumbismo (do latim Saturnismus, de saturnus, nome que os alquimistas davam ao chumbo) refere-se a intoxicação por chumbo de um organismo. O chumbo pode se acumular no organismo adulto por vários meses ou anos antes de causar sintomas. Porém, crianças menores de 6 anos de idade são especialmente vulneráveis à contaminação por chumbo, pois mesmo pequenas quantidades podem afetar gravemente seu desenvolvimento físico e mental.


bookmark_borderO que é urticária

urticária | s. f.
ur·ti·cá·ri·a
(latim urtica, -ae, urtiga + -ária )
nome feminino

Erupção cutânea semelhante no prurido ao que produz o contacto da urtiga.


substantivo feminino [Patologia] Erupção ou lesão que, manifestada na pele, provoca manchas ou placas vermelhas, causando coceira; grosseira.
Etimologia (origem da palavra urticária). Do latim urtica.ae.


Urticária é uma reação alérgica da pele caracterizada pela erupção de pápulas salientes, avermelhadas e muito pruriginosas. Em alguns casos, a sensação pode ser semelhante a queimaduras ou picadas. As pápulas formam manchas cuja posição se vai alterando. Geralmente duram apenas alguns dias e não causam alterações permanentes na pele. Menos de 5% dos casos têm duração superior a seis semanas. Em muitos casos a condição é recorrente.A urticária pode surgir na sequência de uma infeção ou ser causada por uma reação alérgica a substâncias como medicamentos, picadas de inseto ou determinados alimentos. Pode ainda ser desencadeada por fatores como stresse psicológico, temperaturas baixas ou altas ou vibrações. Em metade dos casos a causa é desconhecida. Os fatores de risco incluem ter condições como rinite alérgica ou asma. O diagnóstico baseia-se geralmente na aparência das manchas. Os testes epicutâneos ajudam a determinar a substância a que se é alérgico.A prevenção consiste em evitar a exposição à substância que causa a reação. O tratamento consiste geralmente na administração de anti-histamínicos como a difenidramina ou a cetirizina. Em casos graves podem também ser administrados corticosteroides ou inibidores do leucotrieno. Pode também ser benéfico manter a temperatura ambiente fresca. Nos casos de duração superior a seis meses podem ser usados imunossupressores como a ciclosporina.A urticária afeta cerca de 20% da população. Os casos de curta duração ocorrem de igual forma entre homens e mulheres, enquanto os de longa duração são mais comuns entre as mulheres. Os casos de curta duração são mais comuns entre crianças, enquanto os de longa duração são mais comuns entre pessoas de meia-idade. A urticária tem sido descrita desde pelo menos a época de Hipócrates. O termo “urticária” tem origem no latim urtica, pela sua semelhança com o efeito produzido pelo contacto das folhas de urtiga com a pele.


bookmark_borderO que é frieira

frieira | s. f.
fri·ei·ra
(frio + -eira )
nome feminino

1. Inflamação produzida pelo frio e acompanhada de prurido e inchação. (Mais usado no plural.)

2. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Afecção da pele dos pés, geralmente entre os dedos ou na planta do pé, provocada por fungos parasitas, que se manifesta em prurido, fissuras, descamação e pequenas vesículas. = PÉ-DE-ATLETA

3. Vento frio persistente.

4. Terra de semeadura.

5. [Popular]   [Popular]   Pessoa que come muito.

6. Fome intensa.


substantivo feminino Lesão inflamatória provocada pelo frio e acompanhada de prurido, mas cujas causas profundas são múltiplas: perturbações circulatórias, endócrinas, neurovegetativas, ou carência alimentar (avitaminose). [Atinge sobretudo as extremidades e é caracterizada por cianose, edema, gretaduras.].
[Brasil] Afecção cutânea, de origem vária, localizada nos pés, sobretudo entre os dedos.
Afecção caracterizada por picadas na pele, prurido e ardência, ficando a área às vezes avermelhada.


Eritema pérnio, conhecido popularmente por frieira, é uma condição caracterizada por lesões nos vasos capilares da pele causadas pela exposição ao frio em pessoas predispostas. Os sintomas mais comuns são vermelhidão, comichão, inflamação e, em alguns casos, bolhas. A condição é muitas vezes confundida com as geladuras. No entanto, enquanto nas geladuras ocorre congelamento da pele, as frieiras são lesões teciduais não congelantes.As frieiras podem ser prevenidas mantendo os pés e as mãos quentes durante o inverno e evitando oscilações extremas de temperatura. Embora as frieiras possam aparecer espontaneamente sem relação com outra condição, podem também ser um sinal de outras doenças subjacentes. Episódios recorrentes de frieiras podem sugerir a presença de doenças dos tecidos conjuntivos, como lúpus. Os sintomas podem ser aliviados com nifedipino, limaprosta ou corticosteroides por via oral. Também pode ser útil evitar a nicotina.