bookmark_borderO que é polinizador

polinizador | adj. s. m.
po·li·ni·za·dor |ô| po·li·ni·za·dor |ô|
(polinizar + -dor )
adjectivo e substantivo masculino adjetivo e substantivo masculino

Que ou o que faz polinização; que ou o que poliniza.


adjetivo, substantivo masculino Diz-se de, ou animal (especialmente inseto) que poliniza.
Etimologia (origem da palavra polinizador). Polinizar + dor.


Polinizador é um vetor animal – fator biótico – responsável pela transferência de pólen das anteras de uma flor masculina para o estigma de flores femininas, acidentalmente ou não, permitindo que aconteça a união do gameta masculino presente no grão de pólen com o gameta feminino do óvulo, processo conhecido como fecundação ou singamia. A consequência esperada é a produção de semente(s) fértil(eis).
A polinização realizada por vetor biótico, biofilia, é responsável por 80% de todos os tipos de polinização , sendo muito importante para a agricultura e a biodiversidade.
Algumas espécies de plantas são generalistas, ou seja, apresentam flores preparadas para ser polinizadas por qualquer tipo de animal, assim como há animais capazes de recolher recursos da maior parte das flores. Mas a relação entre polinizadores e plantas pode alcançar níveis de especificidade surpreendentes. Relações muito específicas podem ser observadas em figueiras e orquídeas. O processo de polinização é, normalmente, acidental, resultado da movimentação do animal sobre a flor liberando o pólen sobre seu corpo.


bookmark_borderO que é maré vermelha

substantivo feminino Proliferação excessiva, súbita e rápida de algas unicelulares ou de protozoários dinoflagelados, Alexandrium, Pyrdinium e Gymnodinium, que se aglomeram pela ação do vento na superfície de mares ou oceanos, apresentando-se como grandes manchas vermelhas ou em tons de cinza e amarelo: a maré vermelha prejudicou os pescadores.
[Figurado] Movimento de índices negativos que, possuindo uma causa conhecida ou não, atinge um ponto alto e, num curto espaço de tempo, recua: a saída britânica da UE provocou uma maré vermelha nas bolsas europeias.


A maré vermelha (Pyrrophyta) é uma aglomeração de micro-planctons dinoflagelados que raramente acontece em alguns determinados locais na superfície das águas. São seres unicelulares, aglomerados em número suficiente para produzir uma mudança de cor na água que se torna amarela, alaranjada, vermelha ou marrom. Além disso, são microrganismos caracterizados pela presença de vários pigmentos como azul celeste e azul escuro (a) e (c) de cor verde, pigmento beta-caroteno que é amarelo e várias outras xantofilas que são alaranjadas e vermelhas. Esses pigmentos estão sempre localizados em cromatóforos.
Em todos os gêneros de vida livre e nos seus zoósporos, sempre existem dois flagelos. A maioria são seres autótrofos, mas existem também algumas espécies sem pigmentos, pois não fazem fotossíntese. As pirrófitas, do grego “pyrrhos”, que em português significa fogo, ou cor de fogo, mais “phyta” que em português significa planta, no caso se referindo a plantas algas do mar permite concluir que, literalmente, “pirrófita” significa algas com cor de fogo, nome esse que se aplica às algas pirrófitas que realmente possuem essa “cor de fogo” e causam essas marés vermelhas; por outro lado existem também pirrófitas Noctilucas que não são vermelhas, mas são algas que possuem bioluminescência e brilham à noite nas ondas das praias e já foram chamadas de “algas de fogo” ou algas que brilham como fogo.
O fenômeno da maré vermelha pode acontecer tanto em água doce quanto em água salgada, devido a isso aparecem nomes tais como: Mar Vermelho, Lagoa Vermelha, por exemplo Rio Vermelho, no Brasil, pode ser:

Rio Vermelho – rio brasileiro do estado de Goiás;
Rio Vermelho – rio brasileiro do estado de Santa Catarina;
Rio Vermelho – rio brasileiro do estado do Paraná;
Rio Vermelho – rio brasileiro do estado de São Paulo;
Rio Vermelho – rio brasileiro no estado de Mato Grosso;
Além de outros rios vermelhos em outros estados e em outros países.


bookmark_borderO que é ecossistema

ecossistema | s. m.
e·cos·sis·te·ma |ê| e·cos·sis·te·ma |ê|
(eco- + sistema )
substantivo masculino

[Ecologia]   [Ecologia]   Conjunto das relações de interdependência, reguladas por condições físicas, químicas e biológicas, que os seres vivos estabelecem entre si e também com o meio ambiente em que habitam. = BIOGEOCENOSE, BIOSSISTEMA


substantivo masculino Ecologia. Sistema (ecológico) que inclui o conjunto das relações dos seres vivos entre si e/ou destes com o ambiente; biogeocenose, biossistema.
Etimologia (origem da palavra ecossistema). Eco + sistema.


Ecossistema (do grego oikos (οἶκος), casa + sistema (σύστημα), sistema), define o conjunto formado por comunidades bióticas que habitam e interagem em determinada região e pelos fatores abióticos que exercem influência sobre essas comunidades. Segundo Silva J. A.,o ecossistema é constituído por dois elementos inseparáveis, uma área (biótopo) e um conjunto de seres, que o ocupa (biocenose) em uma continua interação mútua.


bookmark_borderO que é solo

solo | s. m. solo | s. m. solo | s. m. | adj. 2 g. 2 núm. 1ª pess. sing. pres. ind. de solar
so·lo |ó| so·lo |ó| 1
(latim solum, -i )
substantivo masculino

1. Porção de superfície terrestre. = CHÃO, TERRA

2. Revestimento sobre o qual se anda. = CHÃO, PAVIMENTO

3. Parte superficial da terra que se pode cultivar ou onde podem crescer plantas.

4. Terreno.Confrontar: colo.

so·lo |ó| so·lo |ó| 3
(espanhol solo )
substantivo masculino

[Jogos]   [Jogos]   Jogo de cartas análogo ao voltarete.Confrontar: colo.

so·lo |ó| so·lo |ó| 2
(italiano solo, só )
substantivo masculino

1. Trecho musical para ser tocado ou cantado por uma só pessoa.

2. Composição executada por um só executante.

3. Dança executada por uma só pessoa.adjectivo de dois géneros e de dois números adjetivo de dois géneros e de dois números

4. Que tem apenas um executante.

5. Que se apresenta desacompanhado.

a solo • Que é executado por um único indivíduo.

• Que está sozinho. = DESACOMPANHADOConfrontar: colo.

so·lar so·lar 2
(latim solaris, -e )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

Relativo ou pertencente ao sol.
so·lar so·lar 5- Conjugar
(solo, jogo + -ar )
verbo intransitivo

[Jogos]   [Jogos]   Ganhar ao solo.
so·lar so·lar 4- Conjugar
(solo, composição para solista + -ar )
verbo transitivo e intransitivo

Executar um solo (ex.: ele sabe solar o hino na guitarra; foi a primeira vez que a bailarina solou).
so·lar so·lar 3
(sola + -ar )
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. Relativo à sola ou planta do pé.verbo transitivo

2. Pôr solas em (calçado).verbo transitivo e intransitivo

3. [Brasil]   [Brasil]   Deixar ou ficar duro, mal cozido ou murcho (ex.: sei lá se foi o corante que solou o bolo; ela garante que a massa não vai solar).
so·lar so·lar 6
(sol, moeda + -ar )
substantivo masculino

[Economia]   [Economia]   Antiga unidade monetária do Peru, em vigor até 1986. = SOL
so·lar so·lar 1
(solo, terra + -ar )
substantivo masculino

1. Terreno onde se eleva ou se elevou a casa de uma família nobre ou de importância.

2. A própria habitação dessa família.

3. [Figurado]   [Figurado]   Assento.

4. [Figurado]   [Figurado]   Origem; berço.

5. [Figurado]   [Figurado]   Princípio.


substantivo masculino Música Trecho de música a ser executado por uma só pessoa ou um só instrumento.
Bailado executado por um só dançarino.
Jogo de cartas de andamento semelhante ao do voltarete.
[Brasil] A primeira viagem que o jovem piloto faz sozinho.


O solo é um corpo de material inconsolidado que cobre a superfície terrestre emersa, entre a litosfera e a atmosfera.
É produto do intemperismo sobre um material de origem, cuja transformação se desenvolve em um determinado relevo, clima, bioma e ao longo do tempo.
O solo corresponde à decomposição de rochas que ocorre por meio de ações ligadas à temperatura, como o calor, além de processos erosivos provenientes da ação dos ventos, chuva e seres vivos, tais como bactérias e fungos. Contudo, pode ser visto sobre diferentes óticas. Para um engenheiro agrônomo o solo é a camada na qual pode-se desenvolver vida (vegetal e animal). Para um engenheiro civil, sob o ponto de vista da mecânica dos solos, solo é um corpo possível de ser escavado, sendo utilizado dessa forma como suporte para construções ou material de construção. Para um biólogo, através da ecologia e da pedologia, o solo infere sobre a ciclagem biogeoquímica dos nutrientes minerais e determina os diferentes ecossistemas e habitats dos seres vivos.


bookmark_borderO que é montado

montado | adj. montado | s. m. masc. sing. part. pass. de montar
mon·ta·do 2
(particípio de montar )
adjectivo adjetivo

1. Que se montou.

2. Posto a cavalo.

3. Assestado.

4. Armado.
mon·ta·do mon·ta·do 1
(monte + -ado )
nome masculino

1. Terreno com azinheiras ou sobreiros usado para pasto de porcos (ex.: montado de sobro).

2. O que se paga ao dono do montado pela pastagem do gado. = MONTÁDIGO
mon·tar mon·tar – Conjugar
verbo transitivo

1. Colocar-se a cavalo sobre (uma cavalgadura).

2. Pôr em cima de.

3. Colocar sobre.

4. Proporcionar o que é preciso a.

5. Prover, sortir.

6. Poder encerrar ou abranger.

7. [Galicismo]   [Galicismo]   Fundar, estabelecer.

8. Organizar.

9. Armar.

10. Proceder à armação de.verbo intransitivo

11. Cavalgar.

12. Importar, valer.

13. Ascender.

14. Cobrir o lanço (em leilão).verbo pronominal

15. Pôr-se a cavalo.


adjetivo Colocado em cima do cavalo: saiu montado a cavalo.
Como um cavaleiro, com modos de cavaleiro: montado na moto, no muro.
Que está pronto para ser usado; equipado: som montado.
Que está preparado para ser apresentado publicamente: espetáculo montado.
Etimologia (origem da palavra montado). Forma derivada de montar.
substantivo masculino Terreno repleto de sobreiros, usado na cria e na engorda de porcos.
Valor que se paga pelo terreno usado para a pastagem de gado (suíno ou bovino).
adjetivo Que fugiu e se tornou bravio; amontado: animal montado.
Etimologia (origem da palavra montado). Monta + ado.


O montado é um ecossistema particular, criado pelo Homem, característico do Alentejo. São florestas de azinheiras, sobreiros, carvalhos ou castanheiros, de equilíbrio muito delicado e que subsistem apenas no Mediterrâneo, na Argélia, em Marrocos e sobretudo no Sul da Península Ibérica. Em Portugal, país com a maior extensão de sobreiros do mundo (33% da área mundial), o montado é legalmente protegido, sendo proibido o seu abate e incentivada a exploração. Portugal é o principal exportador mundial de cortiça por via do fabrico de rolhas. Na Espanha, o montado é conhecido como dehesa.


bookmark_borderO que é geosfera

geosfera | s. f.
ge·os·fe·ra
(geo- + esfera )
substantivo feminino

[Geologia]   [Geologia]   Parte sólida do planeta Terra, composta pela litosfera, pelo manto terrestre e pelo núcleo terrestre.


substantivo feminino Parte mineral, não-viva, da Terra, que serve de suporte ao conjunto de seres vivos. (Compreende a atmosfera, a hidrosfera e a parte externa da litosfera.).


A geosfera são as partes mais densas da Terra e consistem principalmente de rochas e regolito e está relacionada com as rochas, solo, etc.Em física aristotélica, o termo foi aplicado a quatro locais esféricos naturais, de forma concêntrica em torno aninhado no centro da Terra, tal como descrito nas palestras Física e Meteorologia. Acreditavam que estavam a explicar os movimentos dos quatro elementos terrestres: Terra, Água, Ar e Fogo.
Nos textos modernos e em ciência do sistema solar , geosfera refere-se às partes sólidas da Terra e é usado juntamente com atmosfera, hidrosfera, biosfera e descrevem os sistemas da Terra (a interação desses sistemas com a heliosfera é por vezes listada). Nesse contexto, por vezes, o termo litosfera é usado em vez de geosfera. No entanto, a litosfera se refere apenas às camadas superiores da Terra sólida (crosta oceânica e rochas continentais e manto superior).
De um outro ponto de vista, o termo geosfera é comumente visto no que se refere a várias peças conceituais de “coisas de planeta” como as relacionadas ao ciclo de carbono. Outras peças são a hidrosfera, atmosfera, e a biosfera.
As transformações e movimentos que ocorrem na geosfera tornam a Terra um planeta geologicamente activo e em constante mudança.
Desde que a exploração espacial começou, tem-se observado que a extensão da ionosfera ou plasmasfera é altamente variável, e muitas vezes muito maior do que anteriormente apreciada, por vezes, que se prolongam até aos limites da magnetosfera da Terra. Este limite exterior altamente variável de matéria geogênica tem sido referida como a “geopausa”, para sugerir a escassez relativa de tal matéria para além dele, onde o vento solar domina.


bookmark_borderO que é ecologia

ecologia | s. f.
e·co·lo·gi·a
(francês écologie )
nome feminino

[Biologia]   [Biologia]   Parte da Biologia que tem como objectivo o estudo das relações dos seres vivos com o seu meio natural. = MESOLOGIA


substantivo feminino [Biologia] Ciência que se caracteriza pelo estudo das relações entre os seres vivos; estudo das relações dos seres vivos com o meio orgânico ou inorgânico (em que vivem).
[Por analogia] Análise das relações de correspondência mútua entre os seres vivos e seu meio social, econômico ou moral.
[Informal] Cujo propósito está centrado no equilíbrio entre o homem e seu meio de convívio normal; ecologismo.
[Informal] Reunião de ideias que defendem a preservação do meio ambiente de uma maneira geral; ambientalismo.
Etimologia (origem da palavra ecologia). Do francês écologie.


A Ecologia é a especialidade da biologia que estuda o meio ambiente e os seres vivos que vivem nele, ou seja, é o estudo científico da distribuição e abundância dos seres vivos e das interações que determinam a sua distribuição. As interações podem ser entre seres vivos e/ou com o meio ambiente. A palavra “Ökologie” deriva da junção dos termos gregos “oikos”, que significa casa, e “logos”, que quer dizer “estudo”. Foi criada pelo cientista alemão Ernest Haeckel, em 1866, para designar a ciência que estuda as relações entre seres vivos e meio ambiente. No percurso de pouco mais de um século a ecologia transformou-se de modesta disciplina ligada ao campo da biologia para uma variedade de subdisciplinas, que se articularam constantemente, até chegar à base da mais volumosa obra de epistemologia da complexidade, iniciada por Edgar Morin com “Le paradigme perdu: la nature humaine” (O paradigma perdido: a natureza humana), de 1973. Em 1977 este mesmo autor iniciou uma série de 6 volumes sobre epistemologia (La Méthode), concluindo o sexto volume em 2005. Trata-se de uma obra que articula ciências da natureza e ciências sociais humanas com a filosofia.
Ciência ampla e complexa, a Ecologia preocupa-se com o entendimento do funcionamento de toda a natureza. Assim como vários outros campos de estudo da Biologia, ela não é uma ciência isolada. Para entendê-la, é necessário, por exemplo, conhecer um pouco de Evolução, Genética, Biologia Molecular, Fisiologia e Anatomia.Como matéria pode ser dividida em Autoecologia (é um dos dois grandes ramos em que Schot dividiu a ecologia), Demoecologia e Sinecologia. Entretanto, diversos ramos têm surgido utilizando diversas áreas do conhecimento: Biologia da Conservação, Ecologia da Restauração, Ecologia Numérica, Ecologia Quantitativa, Ecologia Teórica, Macroecologia, Ecofisiologia, Agroecologia, Ecologia da Paisagem. Ainda pode-se dividir a Ecologia em Ecologia Vegetal e Animal e ainda em Ecologia Terrestre e Aquática.
O meio ambiente afeta os seres vivos não só pelo espaço necessário à sua sobrevivência e reprodução, mas também às suas funções vitais, incluindo o seu comportamento, através do metabolismo. Por essa razão, o meio ambiente e a sua qualidade determinam o número de indivíduos e de espécies que podem viver no mesmo habitat. Por outro lado, os seres vivos também alteram permanentemente o meio ambiente em que vivem. O exemplo mais dramático de alteração do meio ambiente por organismos é a construção dos recifes de coral por minúsculos invertebrados, os pólipos coralinos. As relações entre os seres vivos do ecossistema também influencia na distribuição e abundância deles próprios. Como exemplo, incluem-se a competição pelo espaço, pelo alimento ou por parceiros para a reprodução, a predação de organismos por outros, a simbiose entre diferentes espécies que cooperam para a sua mútua sobrevivência, o comensalismo, o parasitismo e outros.
A maior compreensão dos conceitos ecológicos e da verificação das alterações de vários ecossistemas pelo homem levou ao conceito da Ecologia Humana que estuda as relações entre o homem e a biosfera, principalmente do ponto de vista da manutenção da sua saúde, não só física, mas também social. Com o passar do tempo surgiram também os conceitos de conservação que se impuseram na atuação dos governos, quer através das ações de regulamentação do uso do ambiente natural e das suas espécies, quer através de várias organizações ambientalistas que promovem a disseminação do conhecimento sobre estas interações entre o homem e a biosfera. Há muitas aplicações práticas da ecologia, como a biologia da conservação, gestão de zonas úmidas, gestão de recursos naturais (agricultura, silvicultura e pesca), planejamento da cidade e aplicações na economia.
Maurício Andrés Ribeiro, em sua trilogia intitulada Ecologizar, vol. 1, trata de ecologias e evolução: ele define e apresenta 15 formas de ecologia: ecologia ambiental, ecologia cósmica, ecologia energética, ecologia humana, ecologia mental e da consciência, ecologia cultural e informacional, ecologia do ser, ecologia profunda e ecologia transpessoal, ecologia política, ecologia social, ecologia econômica (também existe a economia ecológica), ecologia urbana, ecologia industrial, ecologia agrária e da paisagem, além da ecologia do cotidiano.


bookmark_borderO que é decomposição

decomposição | s. f.
de·com·po·si·ção
substantivo feminino

1. Resolução de um corpo ou de um conjunto nas suas partes simples.

2. Redução a elementos simples.

3. Alteração profunda; desorganização.

4. Corrupção, putrefacção .


substantivo feminino Separação dos elementos constitutivos de um corpo.
[Figurado] Análise: decomposição de uma frase.
Putrefação.
[Figurado] Modificação, alteração profunda.


Em biologia e ecologia, decomposição, mineralização e em alguns casos, apodrecimento, é o processo de transformação da matéria orgânica em minerais, que podem ser assimilados pelas plantas para a produção de matéria viva, fechando assim os ciclos biogeoquímicos.
Este processo, não só fornece aos ecossistemas os compostos necessários ao desenvolvimento dos produtores primários, mas liberta-o igualmente de material que, se acumulado, poderia prejudicá-lo.
A decomposição dos animais e plantas mortos, ou suas partes, dos dejetos ou outras excreções dos animais e de restos de comida é um processo complexo. Nos tecidos dos organismos mortos inicia-se a autólise das células pelas enzimas contidas nos lisossomas. Esses tecidos são ainda triturados e parcialmente consumidos pelos detritívoros. A parte não consumida ou que não faz parte da alimentação desses animais é então atacada por vários tipos de bactérias; as partes interiores, onde não existe oxigénio livre, são consumidas por bactérias anaeróbicas, causando a putrefação, que resulta em aminas como a putrescina e a cadaverina, que têm um odor “pútrido”; este é o processo conhecido vulgarmente como apodrecimento. Finalmente, intervêm as bactérias mineralizantes — os decompositores –, que transformam as moléculas orgânicas libertadas pelos processos anteriores em água, dióxido de carbono e sais minerais.Estes processos dependem de muitos fatores bióticos e abióticos, como a abundância e tipos de decompositores no biótopo, a humidade, a temperatura e outros. Gases são comumente liberados em toda decomposição, sendo eles o hidrogênio, nitrogênio, gás carbônico, enxofre e metano.


bookmark_borderO que é heterotrofismo

Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição. electrotropismo heterótropos eletrotropismo (norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico) heliotropismo (norma brasileira) heterográfico (norma brasileira) heteromorfismo (norma brasileira) heteromorfismos (norma brasileira) heterotrófica (norma brasileira) heterotróficas (norma brasileira) heterotrófico (norma brasileira) heterotróficos (norma brasileira)
Caso a palavra que procura não seja nenhuma das apresentadas acima, sugira-nos a sua inclusão no dicionário.


substantivo masculino Variação de heterotrofia.
Etimologia (origem da palavra heterotrofismo). Hétero + trofo + ismo.


Heterotrofismo ou seres heterotróficos (do grego: hetero, diferente + trophikos, alimentar), refere-se àqueles seres vivos (heterotróficos) que não possuem a capacidade de produzir seu próprio alimento.Sua alimentação é através da ingestão de compostos orgânicos, sendo então, dependente de seres vivos autotróficos ou de outros heterotróficos para obtenção destes compostos. Como por exemplo: ser humano, animais, vírus, protozoários, algumas plantas, fungos e algumas bactérias; sendo estas últimas importantes, inclusive, na medição da qualidade da água potável.Algumas plantas além de serem autotróficas, podem apresentar heterotrofismo, como as plantas insetívoras. Entretanto, algumas plantas são completamente heterotróficas, como as plantas parasitas.


bookmark_borderO que é hematófago

hematófago | adj. s. m.
he·ma·tó·fa·go
(hemato- + -fago )
adjectivo e substantivo masculino adjetivo e substantivo masculino

Que ou o que se alimenta de sangue.


adjetivo, substantivo masculino Zoologia Que ou aquele que se alimenta de sangue.


Hematófago é um grupo de animais ou parasitas que se alimentam de sangue. De mais de 1 milhão de espécies descritas, apenas cerca de 300 a 400 espécies se alimentam de sangue. Os grupos mais conhecidos de seres que se alimentam do sangue são os piolhos, pulgas, mosquitos, flebotomíneos, simulídeos, e insetos. A palavra é formada por radicais do grego: Haima (de haimatos): “sangue” e Phagein: “comer”.