bookmark_borderO que é guarita

guarita | s. f.
gua·ri·ta
nome feminino

1. [Arquitectura]   [Arquitetura]   [Arquitetura]   Torre, nos ângulos dos antigos baluartes.

2. Pequeno abrigo onde se recolhem as sentinelas.

3. Cabina destinada aos vigias, à margem dos caminhos-de-ferro .

4. [Antigo]   [Antigo]   Baiuca , taberna.


substantivo feminino Pequena casa, geralmente de madeira fixa ou móvel, desenvolvida para abrigar sentinelas, vigias, seguranças.
Torre em que ficavam os sentinelas; torres situadas nos cantos de antigos fortes, desenvolvidas para dar proteção aos sentinelas.
Ver também: guarida.
Etimologia (origem da palavra guarita). Talvez do francês garite/guarite.


Uma guarita, em arquitectura militar, é uma pequena torre com frestas ou seteiras, geralmente erguida no ângulo mais saliente de um baluartes de uma fortificação, com a função de proteção das sentinelas.Modernamente também designa uma pequena estrutura móvel – com as mesmas funções -, geralmente disposta para guarnecer um portão ou entrada.


bookmark_borderO que é redente

redente | s. m.
re·den·te
(re- + dente )
nome masculino

1. [Fortificação]   [Fortificação]   Fortificação que tem ângulos salientes e reentrantes.

2. [Fortificação]   [Fortificação]   Ressalto que, de espaço em espaço, tem um muro construído em terreno inclinado, para conservar o mesmo nível.

3. Conjunto de entalhes em peças que se devem encaixar.


substantivo masculino [Arquitetura] Recorte de pedra em forma de dente.
[Construção] Ressalto de distância em distância em um muro construído em terreno inclinado.
[Fortificação] Entrincheiramento ininterrupto cujo interior apresenta ângulos salientes e reentrantes.
[Tecnologia] Série de entalhes feitos em sentidos opostos, em duas peças que devem ser encaixadas.


Um redente, em arquitetura militar, é uma obra de fortificação com duas faces, sem flancos, formando um ângulo saliente voltado para o lado de um possível ataque.
O redente pode ser uma obra permanente ou de campanha, feita de alvenaria ou de terra. Pode estar integrado numa cortina ou pano de muralha ou pode constituir uma obra exterior, parte, por exemplo do caminho coberto.


bookmark_borderO que é barricada

barricada | s. f. fem. sing. part. pass. de barricar
bar·ri·ca·da
nome feminino

1. Entrincheiramento feito à pressa para tolher a passagem do inimigo.

2. Conteúdo de uma barrica.
bar·ri·car bar·ri·car – Conjugar
verbo transitivo

1. Defender com barricadas.

2. Entrincheirar.


substantivo feminino Entrincheiramento feito com barricas cheias de materiais diversos, para interditar o acesso de uma rua ou de uma passagem.
Qualquer espécie de entrincheiramento (veículos, estacas, arame farpado) com que se interditam ruas, passagens, sobretudo por ocasião de motins populares.


Barricada é um obstáculo defensivo criado colocando-se objetos entre si e o perigo. É uma espécie de trincheira improvisada. Pode ser feita com barricas, estacas ou qualquer outro material que ofereça proteção.


bookmark_borderO que é trincheira

trincheira | s. f.
trin·chei·ra
(francês tranchée )
nome feminino

1. Caminho aberto com escavações.

2. [Militar]   [Militar]   Escavação feita para que a terra escavada sirva de parapeito a combatentes. = TRANQUEIRA

3. [Figurado]   [Figurado]   Lugar onde se luta ou combate.

4. Conjunto dos assentos à volta de um circo ou praça de touros.

5. [Tauromaquia]   [Tauromaquia]   Muro ou barreira que circunda a arena da praça de touros. = TÁBUAS

6. [Náutica]   [Náutica]   Caixa nas amuradas do navio onde se arrecadam as macas.

7. Corda tensa que serve de guia num trabalho de terreno ou estrada.

8. [Vestuário]   [Vestuário]   [Vestuário]   Gabardina ou impermeável de estilo militar.


substantivo feminino Escavação aberta no solo no sentido longitudinal: abrir uma trincheira.
Fosso que permite, durante o combate, a movimentação da tropa e o tiro a coberto do inimigo.
Vala onde se plantam cepas de videira.
Tauromaquia Espécie de tabique no qual, nas praças de touros, se refugiam os toureiros.


O termo trincheira designa, genericamente, qualquer tipo de escavação linear no solo. Eram valas escavadas no chão, com cerca de dois metros de profundidade e vários quilômetros de extensão. Nelas, milhões de soldados ficaram sujeitos à fome ao frio e ao medo constante da morte por bombardeios, granadas, tiros e doenças.
Em engenharia militar, é considerada um tipo de fortificação de campanha. Constitui-se em um abrigo elaborado mediante trabalhos de escavação para possibilitar o tiro a proteção e a circulação das tropas. São escavadas a céu aberto e posteriormente cobertas, ou são abertas em trabalhos de minas. Podem também ser empregadas em sentido inverso, ou seja, constituírem-se numa obra de aproximação por parte dos sitiadores.
Conflitos com o uso militar prolongado de trincheiras remontam à antiguidade, sempre ocorrendo quando um ou ambos os lados beligerantes se encontra(m) relativamente distante de suas fortificações/bases, ou quando ambos os lados vêem as suas tentativas de ofensivas militares frustradas, geralmente em decorrência de equiparação de tecnologia e táticas militares por ambas as partes, como por exemplo aconteceu durante a I Guerra Mundial, especialmente na frente ocidental, entre o final de 1914 e julho de 1918. Outros conflitos modernos que seguiram o mesmo padrão foram a Guerra da Coreia a partir da estabilização da frente de combate em meados de 1951 na altura do Paralelo 38; e a Guerra Irã-Iraque na década de 1980.
Já, por exemplo as 2 guerras (de Independência e de Reunificação) do Vietnam e o prolongado conflito no Afeganistão (que se arrasta há mais de 30 anos, desde a invasão soviética em 1979), se enquadram em outro padrão de guerra de trincheiras; uma vez que apesar dos prolongados períodos de impasse militar em ambos os conflitos, tanto a utilização de trincheiras (embora em larga escala) não se constituiu no fator majoritário e primordial, quanto a tecnologia e táticas militares utilizadas por ambas as partes foram diversas.


bookmark_borderO que é arquitrave

arquitrave | s. f.
ar·qui·tra·ve
(arqui- + trave )
substantivo feminino

Parte do entablamento entre o friso e o capitel da coluna.


substantivo feminino [Arquitetura] Parte inferior e principal do entablamento.


A arquitrave é o lintel ou viga que repousa sobre os capiteis das colunas. Uma trave horizontal que se apoia em duas ou mais colunas, cuja origem remonta à arquitetura clássica, mas que continuou presente em quase todos os estilos dela derivados. Consistia num elemento fundamental da cobertura plana, chamado de lintel. A Arquitetura da Grécia Antiga e sua antecessora, a arquitetura do Egeu (minoica e micênica), são um exemplo típico de estruturas arquitravadas. Anteriormente, os monumentais edifícios egípcios eram também construídos com telhados planos e vergas adinteladas.


bookmark_borderO que é torre

torre | s. f. 1ª pess. sing. pres. conj. de torrar 3ª pess. sing. imp. de torrar 3ª pess. sing. pres. conj. de torrar
tor·re |ô| tor·re |ô|
(latim turris, -is )
nome feminino

1. Construção elevada, geralmente de pedra ou de tijolo, redonda ou angular.

2. Campanário.

3. Fortaleza.

4. [Marinha]   [Marinha]   Parte elevada sobre a coberta dos navios onde se coloca a artilharia de grande alcance.

5. [Marinha]   [Marinha]   Estrutura estanque acima do casco do submarino, onde fica o comando, periscópio, rádio, radar e outros sistemas de controlo .

6. [Antigo]   [Antigo]   [Militar]   [Militar]   Máquina de guerra em forma de torre.

7. [Militar]   [Militar]   Estrutura móvel e blindada no topo dos carros de combate, onde fica a boca-de-fogo.

8. [Jogos]   [Jogos]   Cada uma das peças do xadrez, geralmente em forma de torre com ameias, que no início do jogo, está nas casas das pontas do tabuleiro. = ROQUE

9. [Figurado]   [Figurado]   Pessoa muito alta e robusta.

10. [Linguagem poética]   [Linguagem poética]   Navio de guerra.

torre de homenagem • [Arquitectura]   [Arquitetura]   • [Arquitetura]   O mesmo que torre de menagem.

torre de menagem • [Arquitectura]   [Arquitetura]   • [Arquitetura]   Torre principal de uma fortaleza em que se celebravam os actos mais solenes.

Torre do Tombo • Arquivo nacional português onde se guardam documentos do mais alto valor histórico.
tor·rar tor·rar – Conjugar
(latim torreo, -ere, secar, assar, tostar, queimar )
verbo transitivo, intransitivo e pronominal

1. Queimar(-se) ligeiramente. = ASSAR, TORRIFICAR, TOSTAR

2. Dar ou ficar com um tom acastanhado, geralmente por exposição à luz solar.verbo transitivo

3. Secar ao sol.

4. [Informal, Figurado]   [Informal, Figurado]   Gastar ou consumir excessiva e descontroladamente (ex.: torrou a herança dos pais no vício do jogo). = ESPATIFAR, ESTOURARverbo transitivo e intransitivo

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Vender a baixo preço. = LIQUIDAR

6. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Causar aborrecimento. = CHATEAR, ENTEDIARConfrontar: turrar.


substantivo feminino Construção muito alta, sobre base quadrada, circular, ou poligonal.
Estrutura alta de metal destinada a suportar as antenas em estações de rádio e televisão, cabos de transmissão de energia elétrica etc.
Complexo de estrutura metálica das sondas dos poços de petróleo.
Posto de observação e de comando nos navios de guerra.
Campanário.
Peça do jogo de xadrez.
Torre de controle, construção que domina a área de um aeroporto e da qual se transmitem as ordens de levantar vôo e de aterrissagem.
Química Torre fracionadora, aparelho de forma habitualmente cilíndrica, para separação dos diferentes corpos contidos numa mistura.


A torre (do latim “turris”), em arquitectura e engenharia, é uma estrutura em que a altura é bastante superior à largura, apresentando uma demarcada verticalidade. Pode ser edificada para diversos fins ou funções (defesa, comemoração ou otimização de espaço). A sua morfologia e materiais construtivos tem apresentado variantes conforme a função, a época e a região em que são construídas. De um modo geral pode ser edificada como estrutura auto-portante independente ou como parte integrante de um edifício, e a sua planta pode variar formalmente: circular, quadrangular ou poligonal.


bookmark_borderO que é valo

valo | s. m. 1ª pess. sing. pres. ind. de valar
va·lo
substantivo masculino

1. Parapeito, para defesa de um campo.

2. Arena, liça, nas antigas justas e torneios.

3. Valado; fosso; barranco.

4. [Pesca]   [Pesca]   Rede de emalhar em cerco.
va·lar va·lar – Conjugar
verbo transitivo

1. Abrir valas em.

2. Cercar com valas.

3. [Figurado]   [Figurado]   Murar; defender.adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

4. Relativo a vala ou cerca.


substantivo masculino Muro que defende um campo entrincheirado.
Arena ou liça onde combatiam os participantes dos torneios.
Fosso, vala.


O valo (em latim: vallum) era um tipo de muro ou paliçada usado, na arquitetura militar romana, como parte de uma fortificação. Normalmente, era colocado sobre uma muralha de terra – muitas vezes reforçada com madeira e pedras – e protegida por um fosso profundo (fossa) exterior. Os antigos Gregos já usavam uma fortificação semelhante ao valo romano, desde tempos muito remotos.
A palavra latina “vallum” deriva de “vallus” (significando “estaca” em latim). Etimologicamente, vallum teria dado origem a wall (significando “muralha” em Alemão e em Inglês).
Em Sentido restrito, o valo é apenas a paliçada colocada ao longo da crista exterior de uma muralha em aterro
(áger). No entanto, o termo é, frequentemente, usado em sentido lato, referindo-se ao conjunto formado pela paliçada e pelo aterro. Assim, o valo em sentido lato, juntamente com a fossa que o cercava, formava a fortificação completa.


bookmark_borderO que é seteira

seteira | s. f. fem. sing. de seteiro
se·tei·ra
(seta + -eira )
nome feminino

1. [Fortificação]   [Fortificação]   Fresta estreita aberta na muralha.

2. Fresta estreita aberta em parede para dar claridade a uma habitação que não tem janela.
se·tei·ro se·tei·ro
(seta + -eira )
nome masculino

Pessoa que atira setas. = ARCHEIRO, FRECHEIRO


substantivo feminino Abertura numa fortificação para permitir disparo de armas (setas).
[Arquitetura] Vão; abertura nas paredes de um edifício para entrada de luz.


Uma seteira, em arquitectura militar, é uma abertura ou um rebaixamento na muralha, que em sua primitiva concepção permitia aos defensores (arqueiros, besteiros) lançar flechas;
Bastante empregada na arquitetura medieval, pode ser descrita como um vão na alvenaria na forma de uma faixa vertical, cuja altura corresponde a aproximadamente cinco vezes a sua largura. Em geral, possui peitoril de aproximadamente trinta centímetros e o seu topo dista aproximadamente trinta centímetros do teto.
Conforme o período construtivo e a sua região pode ser simples ou cruzetada. Com a introdução das armas de fogo, a partir do século XIV, algumas apresentam adaptação para tiros de arcabuz, mosquete ou pequenos canhões. Os vãos circulares abertos para essas primitivas peças de artilharia são chamados troneiras.


bookmark_borderO que é casamata

casamata | s. f.
ca·sa·ma·ta |cà| ca·sa·ma·ta |cà|
(italiano casamatta )
nome feminino

1. Abrigo abobadado.

2. Casa à prova de bomba para guardar explosivos ou para habitação de governador de um castelo.

3. Abrigo subterrâneo fortificado, geralmente abobadado, destinado a protecção de pessoas, mantimentos, material ou munições. = BÚNQUER

4. Bateria que defende um fosso.


substantivo feminino Abrigo subterrâneo que, numa construção fortificada, se destina ao alojamento de tropas ou ao armazenamento de munições.
Pequena obra fortificada.


Em arquitetura militar, uma casamata é uma instalação fortificada fechada e abobadada, independente ou integrada numa fortificação maior, à prova dos projéteis inimigos. O termo é utilizado de um modo bastante genérico, podendo designar instalações de vários tipos e tamanhos, normalmente construídas em betão (concreto).
Podemos dividir as casamatas em dois grandes tipos: as passivas – que apenas se destinam a abrigar pessoal ou material – e as ativas – que constituem postos de combate de infantaria ou de artilharia, podendo funcionar como abrigos de canhões ou de metralhadoras.
A partir da Segunda Guerra Mundial, começou a se popularizar o termo búnquer , que tem significado diferente de casamata, segundo o dicionário Houaiss. O termo búnquer vem do alemão “bunker”. A palavra adquiriu em alemão o sentido de abrigo fortificado debaixo da terra já durante a Primeira Guerra Mundial; foi na Segunda Guerra Mundial, porém, que o sentido alemão dada à palavra se espalhou pelo mundo. A palavra foi para o inglês, a partir do alemão, com significado de paióis de carvão dos couraçados, que eram blindados de modo a proteger o combustível de eventuais impactos de projéteis inimigos.


bookmark_borderO que é baluarte

baluarte | s. m.
ba·lu·ar·te
(provençal antigo baloart )
substantivo masculino

1. [Fortificação]   [Fortificação]   Espécie de fortim construído onde as muralhas formam ângulo. = BASTIÃO

2. [Figurado]   [Figurado]   Local onde se reunem ou recolhem os defensores de uma ideia , de uma causa ou de um partido. = BASTIÃO

3. Lugar seguro. = CIDADELA, REDUTO

4. O que sustenta ou fundamenta algo. = ALICERCE, APOIO, BASE, SUSTENTÁCULO

5. [Técnica]   [Técnica]   Peça que assenta sobre o fuso do lagar.


substantivo masculino [Militar] Construção avançada de uma fortificação, com dois flancos e duas faces; bastião.
[Por Extensão] Lugar completamente seguro; fortaleza impossível de ser tomada pela força.
[Figurado] Princípios de base; o que pode ser utilizado como apoio ou auxílio; alicerce: baluarte da cultura.
Etimologia (origem da palavra baluarte). Do francês boulever.


Um baluarte (do provençal baloart, do neerlandês bolwerk) ou bastião (do francês bastion) – em arquitetura militar – é uma obra defensiva, situada nas esquinas e avançada em relação à estrutura principal de uma fortificação abaluartada.