bookmark_borderO que é ostentação

ostentação | s. f. derivação fem. sing. de ostentar
os·ten·ta·ção
(latim ostentatio, -onis )
nome feminino

1. Acto ou efeito de ostentar.

2. Manifestação.

3. Alarde.

4. Luxo.

5. Jactância.
os·ten·tar os·ten·tar – Conjugar
(latim ostento, -are )
verbo transitivo

Mostrar com alarde; exibir; alardear.


substantivo feminino Riqueza; expressão de luxo, pompa; exaltação de bens, carros, joias, propriedades, dinheiro: funk ostentação.
Comportamento de quem exibe riquezas ou dotes; exibição de ações ou qualidades próprias: ostentação de si próprio, ostentação de suas qualidades; comporta-se como se vivesse em constante ostentação.
Ação ou efeito de ostentar, de fazer alarde.
Etimologia (origem da palavra ostentação). Do latim ostentatio, onis.


A ostentação (do latin “ostentare” que significa “mostrar”) é o ato de, com muito excesso e orgulho, exibir realizações, posses ou habilidades de si próprio.. com vaidade e pompa, bens, direitos ou outra propriedade, normalmente fazendo referência à necessidade de mostrar luxo ou riqueza.
O termo também pode contrair conotação positiva como por exemplo, apesar de franzino, o padre ostentava a fama de ser um grande ajudante da sociedade. A ostentação também está ligada ao apego aos bens materiais,o poder.
O objetivo normalmente é que o alvo sinta uma sensação de satisfação, admiração ou inveja.
Como antônimo, pode-se citar discrição, humildade, simplicidade e modéstia.


bookmark_borderO que é preocupação

preocupação | s. f. pré-ocupação | s. f. derivação fem. sing. de preocupar
pre·o·cu·pa·ção
(latim praeoccupatio, -onis, ocupação prévia )
substantivo feminino

1. Estado de um espírito ocupado por uma ideia fixa a ponto de não prestar atenção a nada mais.

2. Inquietação.

3. Desassossego.

4. Pressentimento triste.
pré·-o·cu·pa·ção pré·-o·cu·pa·ção
substantivo feminino

Ocupação prévia.
pre·o·cu·par pre·o·cu·par – Conjugar
(latim praeoccupo, -are, ser o primeiro a ocupar, invadir, antecipar-se )
verbo transitivo

1. Causar preocupação a.verbo pronominal

2. Inquietar-se, recear.


substantivo feminino Perda do sossego, causada pelo sentimento de responsabilidade em relação a; cuidado: preocupação com o filho.
Ideia fixa, permanente, dominante e antecipada que perturba o pensamento; obsessão: preocupação com o peso.
Sentimento de apreensão, de inquietação; sensação de medo.
Primeira reação que algo causa em alguém.
Etimologia (origem da palavra preocupação). Do latim preoccupatio-onis.


A preocupação (do termo latino praeoccupatione) é uma ideia antecipada que gera sofrimento.


bookmark_borderO que é amizade

amizade | s. f.
a·mi·za·de
(latim vulgar amicitas, -atis, do latim amicitia, -ae )
substantivo feminino

1. Sentimento de afeição e simpatia recíprocas entre dois ou mais entes (ex.: obrigado pelo carinho e pela amizade). ≠ DESAMIZADE, INIMIZADE

2. Pessoa em relação a quem se tem esse sentimento (ex.: fazer novas amizades). = AMIGO

3. Relação de entendimento, concordância, afinidade (ex.: amizade luso-angolana). ≠ INIMIZADE

4. [Antigo]   [Antigo]   Concubinato, mancebia.

5. [Brasil, Informal]   [Brasil, Informal]   Forma de tratamento cordial (ex.: tudo bem, amizade?). = AMIGO, CHAPA, NOSSA-AMIZADE

amizade colorida • Relacionamento afectivo e sexual sem compromisso assumido com o parceiro.


substantivo feminino Afeição, estima, dedicação recíproca entre pessoas: laços de amizade.
Relacionamento social: ele tem facilidade para fazer amizades.
Pessoa que é amiga, companheira: ela era minha melhor amizade.
Simpatia de certos animais pelo homem: o cão é amigo do dono.
Aceitação mútua acerca de alguma coisa: acordo de amizade.
Ação que demonstra bondade ou compreensão; benevolência.
[Brasil] Pode ser utilizado como forma de tratamento; meu amigo: não fale assim comigo, amizade!
Etimologia (origem da palavra amizade). Do latim amicitatem.


Amizade (do termo latino vulgar amicitate) é uma relação afetiva, a princípio sem características romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve o conhecimento mútuo e a afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo. Neste aspecto, pode-se dizer que uma relação entre pais e filhos, entre irmãos, demais familiares, cônjuges ou namorados, pode ser também uma relação de amizade, embora não necessariamente.
A amizade pode ter, como origem, um instinto de sobrevivência da espécie, com a necessidade de proteger e ser protegido por outros seres. Alguns amigos se denominam “melhores amigos”. Os melhores amigos, muitas vezes, se conhecem mais que os próprios familiares e cônjuge, funcionando como um confidente. Para atingir esse grau de amizade, muita confiança e fidelidade são depositadas.
Muitas vezes, os interesses dos amigos são parecidos e demonstram um senso de cooperação. Mas também há pessoas que não necessariamente se interessam pelo mesmo tema, mas gostam de partilhar momentos juntos, pela companhia e amizade do outro, mesmo que a atividade não seja a de sua preferência.
A amizade é uma das mais comuns relações interpessoais que a maioria dos seres humanos tem na vida. Em caso de perda da amizade, sugere-se a reconciliação e o perdão. Carl Rogers diz que a amizade “é a aceitação de cada um como realmente ele é”.
Popularmente, disse-se que “o cão é o melhor amigo do homem”.
O Dia do Amigo (também conhecido como “Dia da Amizade”) é comemorado em 20 de julho.
A amizade, tem sido considerada pela religião e cultura popular, como uma experiência humana de vital importância, inclusive tendo sido santificada por várias religiões. Na Epopeia de Gilgamesh, se relata a amizade entre Gilgamesh e Enkidu. Os greco-romanos tinham, entre outros vários exemplos, a amizade entre Orestes e Pílades. Na Bíblia, cita-se, no livro 1 de Samuel, a amizade entre Davi (que depois se tornaria rei em Israel) e Jónatas (filho do Rei Saul) . Os evangelhos canônicos falam a respeito de uma declaração de Jesus, “Nenhum amor pode ser maior que este, o de sacrificar a própria vida por seus amigos.”. Salomão escreveu a sabedoria da amizade em seus Provérbios: “Em todo o tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão”.As relações de amizade são amplamente retratadas tanto na literatura como no cinema e na televisão. Como exemplos, podemos citar: Dom Quixote e Sancho Pança, Sherlock Holmes e Watson, os Três Mosqueteiros, O gordo e o magro, Os três patetas, a série Friends, entre outros.


bookmark_borderO que é preguiça

preguiça | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de preguiçar 2ª pess. sing. imp. de preguiçar
pre·gui·ça
(latim pigritia, -ae, lentidão, vagar, preguiça )
substantivo feminino

1. Propensão para não trabalhar. = INDOLÊNCIA, MANDRIICE, ÓCIO, VADIAGEM

2. Gosto de estar na cama ou de se levantar tarde.

3. Demora ou lentidão em agir. = VAGAR

4. Pau grosso em que estão pregadas as cangalhas da moega da atafona.

5. Corda que dirige o peso que se vai guindando para este não tocar na parede ou não se prender em alguma escabrosidade.

6. [Zoologia]   [Zoologia]   Designação comum a vários mamíferos bradípodes, desdentados, da América do Sul.

7. [Serralharia]   [Serralharia]   Aparelho para descansar ou encostar uma barra de ferro em que se trabalha.

8. [Brasil]   [Brasil]   Lomba, lombeira.
pre·gui·çar pre·gui·çar – Conjugar
(preguiça + -ar )
verbo intransitivo

Andar ou proceder com preguiça. = MANDRIAR, VADIAR


substantivo feminino Aversão ao trabalho; pouca disposição para trabalhar; ócio.
Lentidão em fazer qualquer coisa; morosidade.
Estado de moleza, de falta de vigor físico; prostração.
Falta de empenho na realização de alguma coisa; desleixo.
[Zoologia] Nome comum das espécies de mamíferos desdentados, da família dos Bradipodídeos, compreendendo os gêneros Brádipo, as preguiças com três dedos, e Colepo, as preguiças com dois dedos.
Corda que dirige o peso dos guindastes.
Pau a que estão pregadas as cangalhas da canoura no moinho.
Aparelho usado para descansar ou encostar a barra de ferro em que se trabalha.
Etimologia (origem da palavra preguiça). Do latim pigritia.ae.


A preguiça pode ser interpretada como aversão ao trabalho, bem como negligência, morosidade e lentidão.


bookmark_borderO que é hostilidade

hostilidade | s. f.
hos·ti·li·da·de
(latim hostilitas, -atis, inimizade, hostilidade )
nome feminino

1. Acto ou efeito de hostilizar.

2. Qualidade de hostil.

3. Oposição declarada.

romper as hostilidades • Começar a guerra.


substantivo feminino Característica ou particularidade do que é hostil.
Ação ou efeito de hostilizar ou hostilizar-se; demonstração de agressividade. eles vivem em constante hostilidade.
[Política] Reunião dos preparativos, estratégias e/ou operações de guerra; conjunto dos preparativos que antecedem uma guerra: cessaram as hostilidades entre Brasil e Argentina.
Etimologia (origem da palavra hostilidade). Do latim hostilitas.atis.


Hostilidade é um sentimento que o ser humano tem que representa um tipo de violência emocional e rivalidade, por parte de uma pessoa, um grupo de pessoas grandes e um grupo de pessoas pequenas.
Um dos conceitos da Hostilidade pode significar de passar da violência emocional à uma agressão física.
Em alguns casos de hostilidades entre nações pode referir um Conflito armado em forma de guerra e grandes exércitos mediantes a invasão ou atos violentos e armados. Agressão, Provocação.


bookmark_borderO que é nostalgia

nostalgia | s. f.
nos·tal·gi·a
(francês nostalgie, do grego nóstos, -ou, regresso a casa, viagem + grego álgos, -ous, dor )
substantivo feminino

1. Tristeza profunda causada por saudades do afastamento da pátria ou da terra natal.

2. Estado melancólico causado pela falta de algo ou de alguém.


substantivo feminino Tristeza causada pela saudade de sua terra ou de sua pátria; melancolia.
Saudade do passado, de um lugar etc.
Disfunções comportamentais causadas pela separação ou isolamento (físico) do país natal, pela ausência da família e pela vontade exacerbada de regressar à pátria.
Saudade de alguma coisa, de uma circunstância já passada ou de uma condição que (uma pessoa) deixou de possuir.
Condição melancólica causada pelo anseio de ter os sonhos realizados.
Condição daquele que é triste sem motivos explícitos.
Etimologia (origem da palavra nostalgia). Do francês nostalgie.


Nostalgia é um termo que descreve uma sensação de saudade idealizada, e às vezes irreal, por momentos vividos no passado associada a um desejo sentimental de regresso, impulsionado por lembranças de momentos felizes e antigas relações sociais. A palavra vem do grego nóstos (νόστος – “reencontro”) e ἄλγος (álgos – “dor, sofrimento”). A nostalgia já foi considerada uma condição médica no início da Era Moderna por ser associada à melancolia, além de ser importante na literatura como um frequente tropo no Romantismo.A nostalgia é diferente da saudade, pois a saudade é direcionada a um alvo ou momento específico, e até pode ser superada pela presença ou repetição, já a nostalgia não pode ser superada no campo físico pois diz respeito somente a uma visão idealizada de passado que cada um possui.
Costumeiramente associa-se o sentimento nostálgico a emissões sonoras de baixa frequência. Podemos sentir nostalgia em vários casos, como ouvindo músicas do passado, exalando algum cheiro, relembrando momentos/acontecimentos vividos no passado, etc.


bookmark_borderO que é alienação

alienação | s. f. derivação fem. sing. de alienar
a·li·e·na·ção
(latim alienatio, -onis )
nome feminino

1. Acto ou efeito de alienar ou de se alienar. = ALIENAMENTO

2. Cessão ou transmissão de bens ou direitos. ≠ INALIENAÇÃO

3. Arroubamento de espírito.

alienação fiduciária • [Direito]   • [Direito]   Transferência de um bem, feita pelo devedor à entidade ou empresa financiadora, até que seja feito o pagamento da dívida.
a·li·e·nar a·li·e·nar – Conjugar
(latim alieno, -are )
verbo transitivo

1. Transferir para domínio alheio (por venda, troca, doação, etc.).

2. Alucinar.

3. Malquistar.verbo pronominal

4. Enlouquecer; alhear-se.


substantivo feminino Transferência de propriedade ou de direito: alienação de bens.
Resultado do abandono ou efeito da falta de um direito: alienação paternal.
[Informal] Desinteresse por questões políticas ou sociais: alienação política.
[Psicologia] Perda da razão; loucura: alienação mental.
[Psicologia] Estado da pessoa que, tendo sido educada em condições sociais determinadas, se submete cegamente aos valores e instituições dadas, perdendo assim a consciência de seus verdadeiros problemas.
[Psicologia Patologia] No desenvolvimento de um sintoma clínico algumas pessoas ou situações comuns tornam-se estranhas ou perdem sua natureza familiar.
[Filosofia] Segundo o hegelianismo, momento em que a consciência se torna desconhecida a si própria ou a sua própria essência.
Ação ou efeito de alienar: alienação de uma propriedade.
expressão Alienação Fiduciária. Contrato entre o devedor (fiduciante) e o credor (fiduciário) em que a posse do bem só é transferida pelo credor ao devedor, após o pagamento completo do valor em dívida.
Alienação Parental. Situação em que um dos progenitores é impedido de estar com o(s) filho(s), sendo afastado do convívio com a criança.
Etimologia (origem da palavra alienação). Do latim alienatione.m.


Alienação (do latim alienatione) nas Ciências sociais, é um conceito que designa indivíduos que estão alheios a si próprios ou a outrem tornando-se escravos de atividades ou instituições humanas, devido a questões econômicas, sociais ou ideológicas. Desta forma, refere-se também à diminuição da capacidade dos indivíduos em pensarem e agirem por si próprios. Há quem defina a alienação como “a falta de consciência por parte do ser humano de que ele possui um grau de responsabilidade na formação do mundo a seu redor, e vice-versa”.Deste conceito filosófico-sociológico, derivaram-se outros usos da palavra, como por exemplo, na psiquiatria, pode ser usada como um sinônimo de loucura. No Direito, existem a alienação de um bem, a Alienação parental e a Alienação fiduciária. Ainda que a alienação seja um conceito a priori filosófico, existe o conceito de alienação mais propriamente na Filosofia Marxista.


bookmark_borderO que é resignação

resignação | s. f. derivação fem. sing. de resignar
re·sig·na·ção
(resignar + -ção )
substantivo feminino

1. Acto ou efeito de resignar.

2. Submissão à vontade de Deus.

3. Exoneração espontânea de uma graça ou de um cargo.

4. Sujeição paciente às contrariedades da vida. = CONFORMIDADE

Antónimo Antônimo Geral: IRRESIGNAÇÃO
re·sig·nar re·sig·nar – Conjugar
(latim resigno, -are, tirar o selo, abrir, descobrir, desvendar, anular, renunciar )
verbo transitivo

1. Desistir de alguma coisa, geralmente em favor de outrem. = ABDICAR, RENUNCIARverbo transitivo e intransitivo

2. Abandonar um cargo ou função de forma voluntária. = DEMITIR-SEverbo pronominal

3. Ter resignação; aceitar pacientemente o que se apresenta ou acontece. = CONFORMAR-SE, SUJEITAR-SE

4. Submeter-se à vontade divina.Confrontar: resinar.


substantivo feminino Ação ou efeito de se resignar, de se submeter ao desejo de uma outra pessoa, sujeição: o operário não se resignou às ordens do patrão.
Ação de se demitir voluntariamente de um trabalho, cargo, emprego.
Ação de aceitar pacificamente as dores ou sofrimentos da vida; conformidade: desistiu da vaga com um sentimento de resignação e impotência.
[Jurídico] Renúncia voluntária de um cargo, falando especialmente da ação de renunciar.
Desobrigação de um pedido.
Etimologia (origem da palavra resignação). Resignar, do latim “resigno”, tirar o selo + ção.


A resignação, ou ainda aceitação, na espiritualidade, na conscientização e na psicologia humana, geralmente se refere a experienciar uma situação sem a intenção de mudá-la. A aceitação não exige que a mudança seja possível ou mesmo concebível, nem necessita que a situação seja desejada ou aprovada por aqueles que a aceitam. De fato, a resignação é frequentemente aconselhada quando uma situação é tanto ruim quanto imutável, ou quando a mudança só é possível a um grande preço ou risco. Aceitação pode implicar apenas uma falta de tentativas comportamentais visíveis para mudar, mas a palavra também é utilizada mais especificamente para um sentimento ou um estado emocional ou cognitivo teórico. Então, alguém pode decidir não agir contra uma situação e ainda assim não ter se aceitado-a.
A aceitação é contrastada com a resistência, mas esse termo tem fortes conotações políticas e psicoanalítica que não são aplicáveis em muitos contextos. Às vezes, a aceitação é usada com noções de espontaneidade: “Mesmo se uma situação indesejável da qual não poderei escapar ocorrer comigo, eu ainda posso espontaneamente escolher aceitá-la.”
Por grupos ou por indivíduos, a aceitação pode ser de vários eventos e condições no mundo; as pessoas também podem aceitar elementos de seus próprios pensamentos, sentimentos ou passados. Por exemplo, o tratamento psicoterapeutico de uma pessoa com depressão ou ansiedade poderia envolver a aceitação das circunstâncias pessoais que geraram aqueles sentimentos, sejam elas quais forem, ou pelos sentimentos em si. (A psicoterapia também poderia envolver a diminuição da resignação de uma pessoa em relação a várias situações.)
Noções de aceitação são proeminentes em muitas fés e práticas de meditação. Por exemplo, a primeira nobre verdade do Budismo, “a vida é sofrimento”, convida as pessoas a aceitarem que o sofrimento é uma parte natural da vida.
Reconhecer os poderes maiores e imutáveis; não cometer o vandalismo da teoria que emprega a interpretação que, regras naturais devam ser ignoradas em prol da composição lógica da teoria, ou que regras naturais devam ser violadas para mudarem de forma artificial (apenas na interpretação da concepção) a regra natural em questão.


bookmark_borderO que é tristeza

tristeza | s. f.
tris·te·za |ê| tris·te·za |ê|
(latim tristitia, -ae )
substantivo feminino

1. Qualidade ou estado do que é ou está triste.

2. Mágoa.

3. Aflição.

4. Pena.

5. Angústia.

6. Inquietação.

7. Melancolia.


substantivo feminino Qualidade ou condição de triste; falta de alegria; melancolia.
Caráter do que incita essa melancolia: a tristeza dos dias frios.
Sem alegria; falta de contentamento; esmorecimento.
Circunstância em que a condição melancólica ou de desânimo prevalece.
[Veterinária] Afecção febril proveniente da babésia; babesiose.
Etimologia (origem da palavra tristeza). Do latim tristia.ae.


Tristeza é uma emoção e um sentimento muito típico dos seres humanos, caracterizado pela falta da alegria, ânimo, disposição e outras emoções de insatisfação.[1]
A tristeza pode se apresentar em diferentes graus de intensidade, variando desde a tristeza passageira, que normalmente dura alguns minutos ou horas, à tristeza profunda, que pode persistir por vários dias ou semanas, além de ser um sinal de problemas mais complexos, como a depressão.

Tristeza (do termo latino tristia, tristeza, aflição), é um estado afectivo duradouro caracterizado por um sentimento de insatisfação e acompanhado de uma desvalorização da existência e do real.

A tristeza é uma das “oito emoções básicas” descritas por Paul Ekman, junto com felicidade, raiva, surpresa, medo, nojo e desprezoVários podem ser os motivos que desencadeiam sentimentos de tristeza, como uma desilusão amorosa, a perda de um emprego, a morte de um amigo ou familiar e outras situações que sejam encaradas de modo negativo pela pessoa, fazendo com que ela seja afetada psicologicamente.
Entre os principais sintomas da tristeza, está o desânimo, a falta de vontade de desempenhar tarefas rotineiras e de conviver socialmente.
Em Baruch Espinoza, a tristeza é definida justamente como o ato no qual nossa potência de agir é diminuída ou contrariada.


bookmark_borderO que é surpresa

surpresa | s. f. | adj. 2 g. 2 núm. fem. sing. de surpreso
sur·pre·sa |ê| sur·pre·sa |ê|
(francês surprise )
nome feminino

1. Acto ou efeito de surpreender ou de ser surpreendido.

2. Espanto (causado por algo inesperado).

3. Sobressalto; perturbação; pasmo.

4. Sucesso inesperado, facto ou incidente inopinado.

5. Acção calculada pela qual se pretende agradar ou ser útil a alguma pessoa sem esta o prever.

6. Prazer inesperado.adjectivo de dois géneros e de dois números adjetivo de dois géneros e de dois números

7. Que acontece ou surge de repente; que não está previsto (ex.: ataque surpresa, efeito surpresa, festa surpresa). [Como adjectivo , pode ser ligado por hífen ao substantivo que qualifica.] = IMPREVISTO, INESPERADO
sur·pre·so |ê| sur·pre·so |ê|
adjectivo adjetivo

1. Apanhado em flagrante.

2. Surpreendido; perplexo.


substantivo feminino O que provoca espanto; aquilo capaz de surpreender, de espantar.
Coisa ou situação que causa admiração: minha promoção foi uma surpresa.
Circunstância imprevista, inesperada, repentina; o que não se sabe por antecipação; imprevisto: não gosto de surpresas.
Aquilo que é agradável ou provoca um prazer não esperado; presente: meu pai comprou uma surpresa no meu aniversário.
Trabalho coletivo de pessoas ou chegada imprevista de pessoas que se dispõem a auxiliar, geralmente com música e dança; mutirão.
locução adverbial De surpresa. De modo inesperado: essa gravidez apareceu de surpresa.
Etimologia (origem da palavra surpresa). Do francês surprise.


A surpresa pode ser um sentimento de reação relativo a um acontecimento inesperado. Pode se manifestar a partir de impulsos nervosos com manifestações químicas (com a liberação de adrenalina) e físicas, aumentando o ritmo cardíaco e impulsionando a pessoa ter alguma reação corporal.
A surpresa é uma emoção básica, que tem a especificidade de poder ser percpecionada pelo indivíduo como positiva ou negativa, dependendo da forma e conteúdo que lhe deu origem por um lado e das expectativas ou situação concreta em que o indivíduo se encontra, por outro.