bookmark_borderO que é padrão

padrão | s. m. | adj. 2 g. 2 núm. s. m. | adj. 2 g. 2 núm. padrão | s. m.
pa·drão 1
(latim patronus, -i, patrono, defensor )
nome masculino

1. Tipo oficial de pesos e medidas. = BITOLA, CRAVEIRA, ESTALÃO, MODELO

2. O que serve de referência. = MODELO, PARADIGMA

3. Régua de ferro para medir a largura da boca das pipas, barris, etc.

4. Desenho decorativo de um tecido ou de outra superfície. = ESTAMPADO

5. Ferrete.

6. Título autêntico relativo a um direito.

7. [Figurado]   [Figurado]   Nota pública de infâmia ou desdouro.adjectivo de dois géneros e dois números e nome masculino adjetivo de dois géneros e dois números e nome masculino

8. Diz-se de ou variante linguística considerada prestigiada e referência de uma comunidade, principalmente no ensino e nos meios de comunicação.adjectivo de dois géneros e de dois números adjetivo de dois géneros e de dois números

9. Que serve de referência ou de modelo (ex.: medida padrão). [Como adjectivo , pode ser ligado por hífen ao substantivo que qualifica (ex.: norma-padrão).]
pa·drão pa·drão 2
(alteração de pedrão )
nome masculino

1. Lápide ou coluna com inscrição ou com armas reais, geralmente para assinalar uma presença (ex.: o navegador português Diogo Cão colocou padrões na costa sudoeste africana).

2. Pedra que assinala um local ou um acontecimento. = MARCO

3. Monumento de pedra erigido para homenagear algo ou alguém (ex.: o governo mandou erguer um padrão no campo onde decorreu a batalha).

4. [Antigo]   [Antigo]   Marco militar colocado nas vias romanas para indicar o espaço de duas milhas.


substantivo masculino Grandeza modelo para medidas (peso, comprimento, quantidade etc.) de valor determinado e institucionalizado por uma entidade especializada ou com autoridade.
Norma determinada e aprovada consensualmente pela maioria, ou por uma autoridade, que é usada como base para estabelecer uma comparação.
Aquilo que serve para ser imitado como modelo; protótipo.
[Figurado] Nível de qualidade; classe: escola de alto padrão.
Grandeza modelo que serve para definir uma unidade.
Modelo legal dos pesos e das medidas.
Desenho de estamparia.
Valor mínimo tido como base para que uma opinião ou julgamento seja efetuado; gabarito: padrão culinário.
expressão Padrão monetário. Metal cujo valor comercial corresponde, em regime de cunhagem livre, ao valor nominal.
Etimologia (origem da palavra padrão). Do latim patronus.


Um padrão, além do uso do termo para significar template, é uma discernível regularidade no mundo ou em um design feito pelo homem. Isto posto, os elementos em um padrão repetem-se de maneira previsível. Qualquer um dos cinco sentidos pode observar padrões diretamente. Reciprocamente, padrões abstratos na ciência, matemática ou linguagem podem ser observáveis apenas através da análise. Observação direta, na prática, significa ver padrões visuais, que são vastos na natureza e na arte.
Na ciência aplicada, o padrão assume patamares infinitos, já que, para efetuar um estudo qualquer onde se queira dosar ou mensurar qualquer tipo de substância, é necessária a construção de uma curva padrão. Padrões visuais na natureza, frequentemente, são caóticos, por nunca repetirem exatamente a mesma forma. Muito frequentemente, envolvem fractais.


bookmark_borderO que é vacina

vacina | s. f. 3ª pess. sing. pres. ind. de vacinar 2ª pess. sing. imp. de vacinar
va·ci·na
(francês vaccine, do latim científico [variola] vaccina, varíola das vacas )
substantivo feminino

1. Doença da vaca ou do cavalo que se pode transmitir ao homem e que confere a este a imunidade variólica.

2. Qualquer substância que, inoculada num indivíduo, lhe confere imunidade contra uma determinada doença.

3. Em especial, líquido seroso, proveniente de uma pústula, que se desenvolve nas tetas da vaca, e que se emprega por meio de inoculação para preservar da varíola.

4. Vacinação.
Ver também dúvida linguística: pronúncia de vacina.

va·ci·nar va·ci·nar – Conjugar
verbo transitivo

Inocular a vacina em.


substantivo feminino Substância que, contendo certos agentes patológicos, mortos ou atenuados, é introduzida no organismo para provocar a formação de anticorpos, desenvolvendo imunidade às doenças por eles causadas.
[Informática] Antivírus; programa cuja função é proteger o computador do ataque de vírus.
Etimologia (origem da palavra vacina). Do francês vaccine.


Uma vacina é uma preparação biológica que fornece imunidade adquirida ativa para uma doença particular. Uma vacina tipicamente contém um agente que se assemelha a um microrganismo causador de doenças e é muitas vezes feito de formas enfraquecidas ou mortas do micróbio, das suas toxinas ou de uma das suas proteínas de superfície. O agente estimula o sistema imunológico do corpo para reconhecê-lo como uma ameaça, destruí-lo e a manter um registro dele para que o sistema imunológico possa mais facilmente reconhecer e destruir qualquer um desses microrganismos que mais tarde encontre. As vacinas podem ser profilácticas (exemplo: para prevenir ou melhorar os efeitos de uma futura infecção por qualquer patógeno natural ou “selvagem”), ou terapêuticas (por exemplo, vacinas contra o câncer estão a ser pesquisadas).
A administração de vacinas é chamada vacinação e sua eficácia tem sido amplamente estudada e verificada; por exemplo, a vacina contra a gripe, a vacina contra o HPV e a vacina contra a varicela. A vacinação é o método mais eficaz de prevenção de doenças infecciosas, a imunidade generalizada devido à vacinação é amplamente responsável pela erradicação mundial da varíola e pela restrição de doenças como poliomielite, sarampo e tétano de grande parte do mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) relata que as vacinas licenciadas estão atualmente disponíveis para prevenir ou contribuir para a prevenção e controle de 25 infecções.Os termos “vacina” e “vacinação” são derivados de Variolae vaccinae (varíola da vaca), o termo inventado por Edward Jenner para denotar a varíola bovina. Em 1881, para homenagear Jenner, Louis Pasteur propôs que os termos fossem estendidos para cobrir as novas inoculações protetoras então em desenvolvimento.


bookmark_borderO que é bioquímica

bioquímica | s. f. fem. sing. de bioquímico
bi·o·quí·mi·ca
(bio- + química )
nome feminino

Parte da Biologia que estuda a constituição química das substâncias produzidas pela acção da vida.
bi·o·quí·mi·co bi·o·quí·mi·co
(bio- + químico )
adjectivo adjetivo

1. Relativo a bioquímica.

2. Relativo à biologia e à química.adjectivo e nome masculino adjetivo e nome masculino

3. Que ou quem é especialista em bioquímica.


substantivo feminino Parte da química que compreende o estudo dos constituintes da matéria viva e de suas reações. O mesmo que química biológica.


Bioquímica (química aplicada á biologia) é a ciência e tecnologia que estuda e aplica as ciências químicas ao contexto da biologia. De maneira geral, ela consiste no estudo e modificação da estrutura molecular e das reações químicas do metabolismo de biomoléculas, biopolímeros e componentes celulares e virais, como proteínas (proteômica), enzimas (enzimologia), carboidratos, lipídios, ácidos nucléicos (biologia molecular) entre outros. Também engloba o estudo do efeito de compostos químicos nos organismos vivos (química biológica). Suas aplicações englobam setores como alimentos, fármacos e biofármacos, análises clínicas, biocombustíveis, pesquisa básica dentre outros. É uma ciência e tecnologia essencial para todas as profissões relacionadas a ciências da vida e uma das fronteiras de desenvolvimento das ciências químicas.
Bioquímico é o profissional que estuda e aplica as leis da bioquímica para o entendimento e aplicação tecnológica de biomoléculas e dos organismos vivos (bioquímica industrial, biotecnologia e bioprocessos, bioquímica médica e clínica, bioquímica de alimentos, bioquímica agrícola e ambiental) para benefícios comerciais e industriais, e/ou benefícios a saúde humana e animal, a agropecuária e ao meio ambiente.Os bioquímicos utilizam ferramentas e conceitos da química e da biologia, particularmente da química orgânica, físico-química, fermentações e metabolismo, biologia celular, biologia molecular e genética, para a elucidação dos sistemas vivos e para sua aplicação tecnológica e industrial.A Bioquímica não deve ser confundida, no Brasil, com as análises clínicas, apenas uma de suas inúmeras aplicações e nem tampouco as análises clínicas devem ser reduzidas a apenas a bioquímica clínica. Em função disso, a graduação (licenciatura em Portugal) em Bioquímica é uma das mais tradicionais na Europa e EUA, e no Brasil, existe nas Universidades Federais de Viçosa e de São João del Rey (UFV e UFSJ) e nas Universidades Estaduais de Maringá e de São Paulo (UEM e USP, nesta última, como química ênfase bioquímica). No Brasil, não se deve confundir farmacêutico com o bioquímico, visto que um é profissional de saúde e outro é profissional da química da vida e da biotecnologia. Por bastante tempo, os cursos de graduação em farmácia no Brasil denominaram-se Farmácia-Bioquímica, em errônea alusão à habilitação em análises clínicas. Isto gerou na sociedade, e mesmo nos meios acadêmicos, a falsa noção de que bioquímica seria sinônimo de análises clínicas e farmácia, algo totalmente errado.


bookmark_borderO que é emoliente

emoliente | adj. 2 g. | s. m.
e·mo·li·en·te
adjectivo de dois géneros adjetivo de dois géneros

1. [Medicina]   [Medicina]   Que tem a propriedade de fazer amolecer.nome masculino

2. Medicamento que serve para abrandar ou amolecer as partes inflamadas.


adjetivo Que amolece, abranda.
substantivo masculino Medicamento próprio para amolecer, abrandar uma inflamação: emplastro emoliente.


Emolientes ou cremes hidratantes são formulações semissólidas, viscosas e monofásicas, possuindo combinações de água, óleos e gorduras destinadas a ajudar a hidratar a pele e restaurar a oleosidade perdida devido ao ressecamento da pele. É o principal agente dos cremes hidratantes.
Atuam na epiderme por meio da sua hidrofobicidade, impedindo a desidratação da pele. O termo deriva da sua ação de manter os tecidos mais macios ou moles.
Quando usados corretamente, são parte essencial do controle da dermatite (infeção da pele) e das providências de que a pele precisa para melhorar. Estão disponíveis sob a forma de unguentos, loções e substitutos do sabonete, bem como de óleos para o banho, lubrificantes, como a vaselina e cremes para as mãos e pés.
Os emolientes podem ser utilizados para finalidades simples, por exemplo hidratar pés ressecados, até tratamentos mais sérios, como tratamentos de psoríase.


bookmark_borderO que é automedicação

automedicação | s. f. derivação fem. sing. de automedicar
au·to·me·di·ca·ção
(auto- + medicação )
nome feminino

Medicação feita a si próprio e sem prescrição médica.
au·to·me·di·car au·to·me·di·car – Conjugar
(auto- + medicar )
verbo pronominal

Tratar-se com medicamentos sem prescrição médica.Nota: usa-se apenas como verbo pronominal.


substantivo feminino Ato ou efeito de escolher e tomar medicamento(s) sem aconselhamento médico.


A automedicação é a prática de ingerir medicamentos sem o aconselhamento e/ou acompanhamento de um profissional de saúde qualificado, em outras palavras, é a ingestão de medicamentos por conta e risco por um indivíduo.


bookmark_borderO que é farmacopeia

farmacopeia farmacopéia farmacopeia | s. f.
far·ma·co·pei·a far·ma·co·péi·a far·ma·co·pei·a
(francês pharmacopée )
nome feminino

[Farmácia]   [Farmácia]   Livro que ensina a preparar os medicamentos ou contém as suas fórmulas. = CÓDICE, CÓDIGO, DISPENSATÓRIO• Grafia no Brasil: farmacopéia. • Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990:farmacopeia. • Grafia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990:farmacopéia
• Grafia em Portugal:farmacopeia.


substantivo feminino Habilidade ou aptidão para desenvolver medicamentos; livro que ensina o ofício de se fazer medicamentos.
Receituário que possui as receitas e/ou fórmulas de medicamentos (ou drogas); catálogo que contém receitas e/ou fórmulas de drogas; códice ou código.
Glossário de receitas ou fórmulas para desenvolver medicamentos.
Coleção das fórmulas de medicamentos básicos e/ou gerais.
Farmácia. Livro oficial que contém as normas essenciais ao farmacêutico para que o mesmo exerça a profissão.
Etimologia (origem da palavra farmacopeia). Do francês pharmacopée; pelo grego pharmakopoíia.


Uma farmacopeia é um conjunto de informações técnicas que retratam a nomenclatura das substâncias, dos medicamentos básicos (princípios ativos e coadjuvantes), requisitos de qualidade, insumos, compostos e equipamentos farmacêuticos.


bookmark_borderO que é teriaga

teriaga | s. f.
te·ri·a·ga
(grego theriakê [antídotos], antídoto contra animais venenosos )
nome feminino

1. [Antigo]   [Antigo]   [Medicina]   [Medicina]   Mistura complexa de muitos ingredientes que se supunha ser eficaz contra muitas doenças e contra mordeduras de animais venenosos. = TERÍACA

2. [Informal, Por extensão]   [Informal, Por extensão]   Remédio caseiro.

3. Substância muito amarga.

4. O que se usa para remediar dificuldades. = PANACEIA

Sinónimo Sinônimo Geral: TRIAGA


substantivo feminino Remédio antigo de composição complexa, que se supunha ser ótimo contra a mordedura das serpentes e outros animais peçonhentos.
[Por Extensão] Qualquer remédio caseiro ou mezinha (geralmente em sentido depreciativo).


Teriaga ou triaga é um antigo antídoto capaz de reverter qualquer envenenamento. Continha uma série de ingredientes.Mais tarde, no período colonial, vê-mo-lo ser feito pelos jesuítas da Baía sob a designação de Triaga Brasílica.