bookmark_borderO que é teiú

teiú | s. m.
tei·ú
(tupi te’yu, lagarto )
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   [Zoologia]   [Zoologia]   Grande lagarto (Tupinambis teguixin) da família dos teiídeos, nativo da América do Sul. = TEIÚ-AÇU, TEJU, TEJUAÇU, TIÚ

2. [Brasil]   [Brasil]   [Botânica]   [Botânica]   Planta morácea brasileira.


substantivo masculino [Zoologia] Espécie de lagarto terrestre, da família dos teiídeos, de coloração, geralmente, acinzentada cujas manchas ou faixas em branco, preto ou amarelo estão localizadas em seu dorso; possui o ventre de cor clara; normalmente, pode atingir 50 centímetros de comprimento, sendo encontrado do norte do Brasil ao norte da Argentina.
[Botânica] Tipo de árvore oriunda de regiões tropicais cujas sementes produzem óleo.
Etimologia (origem da palavra teiú). Do tupi te’yu.


O gênero de répteis Tupinambis, da família Teiidae, é popularmente conhecido como teiú, tiú, teju açu, lagartiu, teju, tegu, jacuraru, jacuaru, jacuruaru, jacruaru e caruaru. Compreende os maiores lagartos do Novo Mundo (podem atingir até 2 metros de comprimento) e abrange sete espécies em dois gêneros, todas nativas da América do Sul. São elas:
1 – Gênero Tupinambis:

Tupinambis teguixin L. (teiú-branco)
Tupinambis rufescens (teiú-argentino ou teiú-vermelho)
Tupinambis palustris (teiú-palustre)
Tupinambis longilineus (teiú-comprido)
Tupinambis dusenil (teiú-mascarado)
Tupinambis quadrilineatus (teiú-de-quatro-linhas)2 – Gênero Salvator:

Salvator merianae (teiú-comum ou teiú-gigante)


bookmark_borderO que é corrupião

corrupião | s. m.
cor·ru·pi·ão
(corrupio + -ão )
nome masculino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave icterídea, canora e facilmente domesticável, do Brasil.


substantivo masculino Também chamado sofrê, concriz ou joão-pinto, é uma canora do Brasil, domesticável, de cerca de 20cm de comprimento, que se destaca pela plumagem e pelo canto.
Embora predominantemente negro, possui penas amarelas e alaranjadas na parte posterior do dorso, no peito e no ventre. As asas têm discretos toques brancos. Além de emitir seu próprio canto, em trinos prolongados, é capaz de imitar o de outras aves, ou mesmo certos trechos de música. Sua habilidade no canto é tão grande que uma espécie amazônica, muito valorizada, é chamada de rouxinol-do-rio-negro. Ocorre com bastante frequência no Norte e Nordeste, e em menor escala no Sudeste do Brasil.


O corrupião (Icterus jamacaii), também conhecido como sofrê ou concriz, é uma espécie de pássaro da família Icteridae.
Pode ser encontrada nos seguintes países ou regiões: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Venezuela e Antilhas. Seu canto é muito melodioso e possui a notável capacidade de imitar cantos de outras aves, além de sons musicais.


bookmark_borderO que é caititu

caititu | s. m.
cai·ti·tu
(tupi taïte’tu, porco do mato )
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   [Zoologia]   [Zoologia]   Mamífero artiodáctilo (Pecari tajacu) de morfologia semelhante ao javali, com cerca de 1 metro de comprimento e 50 centímetros de altura, de pelagem acastanhada ou cinzenta mesclada de preto, com uma faixa branca ao redor do pescoço e uma glândula odorífera dorsal que segrega uma substância almiscarada. = CATETO, PORCO-DO-MATO

2. [Brasil]   [Brasil]   Espécie de engenho de moer mandioca.


substantivo masculino Mamífero paquiderme, espécie de porco do mato, também chamado queixada.
Cilindro do aparelho de ralar mandioca.


O caititu (nome científico: Dicotyles tajacu) também conhecido por caitatu, taititu, cateto, tateto, pecari, porco-do-mato e patira, é um mamífero artiodáctilo, da família Tayassuidae e gênero Dicotyles.


bookmark_borderO que é caxinguelê

caxinguelê | s. m.
ca·xin·gue·lê
nome masculino

1. [Brasil]   [Brasil]   Velhaco.

2. [Brasil]   [Brasil]   Astuto.

3. [Brasil]   [Brasil]   Feio.

4. [Brasil]   [Brasil]   [Zoologia]   [Zoologia]   Esquilo florestal (Sciurus aestuans) nativo da América do Sul. = SERELEPE


substantivo masculino [Brasil] Zoologia. Tipo de esquilo (Sciurus aestuans) que, sendo encontrado na Amazônia e em certas partes do litoral brasileiro, possui aproximadamente 20 centímetros de comprimento, de pelagem marrom-oliácea e possuidor de uma longa cauda.
Etimologia (origem da palavra caxinguelê). De origem questionável/ talvez do quimbundo kaxinjiang’elê.


O caxinguelê (Sciurus aestuans), também chamado de serelepe e conhecido nos idiomas inglês e espanhol respectivamente como “Brazilian squirrel” e “ardilla de Brasil” que numa tradução livre para o português seria respectivamente esquilo brasileiro e esquilo do Brasil, é uma espécie de esquilo florestal que mede cerca de vinte centímetros de comprimento. É endêmico da América do Sul, podendo ser encontrado no Brasil, Guiana, Guiana Francesa, Suriname, Venezuela e nordeste da Argentina. É o único esquilo dos Pampas. Esses pequenos animais vivem sozinhos ou em pares e podem viver até quinze anos, atingindo a maturidade sexual com um ano de idade. A fêmea fica prenha uma vez por ano e tem de um a dois filhotes. Além das copas altas, o caxinguelê escolhe locais onde exista vegetação de idade avançada, para que haja ocos nas árvores, onde habitam, reproduzem-se, guardam os filhotes e estocam comida.


bookmark_borderO que é ema

ema | s. f.
e·ma |ê| e·ma |ê|
(origem duvidosa )
nome feminino

[Ornitologia]   [Ornitologia]   Ave corredora do género casuar parecida com o avestruz.


substantivo feminino [Ornitologia] Ave corredora sul-americana, da ordem dos Reiformes (Rhea americana), muito parecida com o avestruz. A diferença morfológica mais importante entre essas duas aves reside no fato de possuir a ema três dedos em cada pé, e o avestruz, dois. Sin (de origem indígena): nhandu. Voz: grasna, ronca.
[Folclore] Uma das figuras do bailado nordestino do bumba-meu-boi.
Ema-truncada, Bot: nome vulgar da planta brasileira Cenangium paraense.
substantivo feminino Bebedeira.
Ato de mascar fumo.


A ema (Rhea americana), também chamada nandu, nhandu, guaripé e xuri, é uma ave da família Rheidae cujo habitat se restringe à América do Sul. Apesar de possuir grandes asas, não voa. Usa asas para se equilibrar e mudar de direção enquanto correm. Os indivíduos masculinos são os responsáveis pela incubação e o cuidado com os filhotes. É considerada a maior ave brasileira.
Quando das Invasões holandesas no Brasil, no brasão holandês do Rio Grande do Norte (1639) figurava uma ema. Cerca de 70 emas vivem nos jardins do Palácio do Alvorada. Segundo o Ibama, as emas eram mantidas sem o registro necessário para sua criação, porém foram incluídas sob guarda provisória da Presidência da República em 2002.